IMPORTANTES DIRETRIZES PARA O APOSTOLADO LEIGO

No próximo dia 29, a Igreja celebrará a festa de São Pedro, e, segundo a tradição, em todo o orbe católico os fiéis manifestarão seu amor e seu respeito ao Papa, que é São Pedro vivo e presente entre nós.
Estas homenagens se dirigem antes de tudo ao Papa como Vigário de Cristo, mestre infalível da verdade, fundamento, coluna e cúpula da Igreja de Deus, defensor máximo e guia supremo da Civilização Cristã. Mas elas também têm como objeto exprimir a admiração e o reconhecimento universal dos fiéis pelos predicados excepcionais do Pontífice reinante. Governando a Santa Igreja numa das quadras mais tormentosas da sua História, Pio XII se tem assinalado pelo seu tino diplomático, por sua atividade intensa, pela profundeza e atualidade palpitante de seus ensinamentos.
CATOLICISMO publica hoje em homenagem ao Santo Padre mais um documento pontifício de alta valia, uma alocução à Ação Católica e às Congregações Marianas, que constitui um elo precioso, na sequência áurea dos grandes atos de Magistério do atual Pontífice: as Encíclicas «Mystici Corporis» e «Mediator Dei», a Constituição «Bis Saeculari» e a Encíclica «Humani Generis».
E, ao mesmo tempo, elevamos a Deus, em união com a Medianeira de todas as graças, a prece que a Igreja canta diariamente: «Oremus pro Pontífice nostro Pio, Dominus conservet Eum...»

O dia 3 de Maio pp., festa da Ascensão do Senhor, o Santo Padre Pio XII recebeu em uma mesma audiência grande número de dirigentes e membros da Ação Católica Italiana, que concluíram os convênios e a assembleia geral dos dias anteriores, bem como os participantes do Congresso da Confederação das Congregações Marianas de Roma e da Itália, e os membros das Congregações Marianas Femininas, que celebram neste ano o 2º Centenário de sua instituição.

No decurso desta audiência o Sumo Pontífice pronunciou duas memoráveis alocuções respectivamente aos membros da Ação Católica Italiana e às delegações marianas ali presentes.

Publicamos hoje estas duas alocuções, que devem ser meditadas palavra por palavra por todos os membros da Ação Católica e Congregados Marianos tão ricas são elas em advertências e ensinamentos.

Traduzimos o texto das alocuções publicadas no "Osservatore Romano" de 6 de Maio pp., sendo que os títulos, subtítulos e notas são desta Redação.

Alocução à Ação Católica italiana

"Diletos filhos e filhas. — Homens e Senhoras, Juventude masculina e feminina, Professores e Professoras, da Ação Católica Italiana. De todo coração Nós vos saudamos e vos agradecemos pela diligência com que vos aplicastes nos últimos dias ao estudo de duas questões de capital importância para a vida religiosa, tanto pública quanto privada, na Itália. De Nossa parte, não temos hoje o propósito de voltar mais uma vez àqueles temas, nem consideramos necessário exprimir-vos a alegria paternal, que ledes em Nossos olhos, ao ver-vos reunidos em tão grande número em torno de Nós; desejamos antes chamar a vossa atenção para alguns temas que dizem respeito à Ação Católica em si mesma.

Característica da Ação Católica: não tem fins específicos

Antes de tudo, sois "Ação Católica". Esta palavra "Ação", ao mesmo tempo precisa e compreensível, indica o caráter próprio de vossa organização, e vos distingue de outras (1) associações católicas. Não que estas não exerçam também elas alguma ação, mas sua ação tende geralmente a um fim peculiar e determinado, que se quer conseguir mediante trabalho organizado e permanente, quer este trabalho se desenvolva na esfera religiosa e caritativa, quer na esfera social e econômica, ou em outros campos da cultura. Por este motivo tais associações tiram habitualmente seu próprio nome do fim que têm em vista.

Vós, pelo contrário, vos chamais simplesmente "Ação católica", porque, tendo um fim geral e não um fim particular ou específico (2), não sois um eixo fixo em torno do qual gravite o mecanismo de uma determinada organização, mas antes como um lugar de encontro, para onde convergem e se organizam os católicos de ação.

Seleção de membros na Ação Católica

Daí se deduz que não pode haver entre vós — ao contrário do que ocorre legitima e utilmente em outras associações — ao lado dos membros verdadeira e propriamente ativos, outros por assim dizer "honorários", que aderem simplesmente à finalidade objetiva da associação, renovam regularmente sua inscrição, pagam sua contribuição financeira, recebem talvez suas publicações periódicas e tomam parte uma vez ou outra nas assembleias. Pelo contrário seria impossível conceber um grupo de Ação católica, no qual se recrutassem membros apenas parcialmente ativos. Munir-se da caderneta de sócio, ouvir conferências e discursos, assinar o jornal, talvez mesmo sem o ler depois, pode tudo isto bastar para dizer-se alguém verdadeiro membro da Ação católica? Não haveria neste caso oposição entre o nome e a coisa? Mereceria o nome de Ação Católica um pequeno núcleo de membros ativos, a quem servisse de escolta e coro nas grandes manifestações públicas uma multidão amorfa de aderentes?

O assistente eclesiástico nos setores femininos da Ação Católica

A Ação católica é — vós bem o sabeis — subordinada diretamente e a título especial ao poder da Hierarquia Eclesiástica, de quem é colaboradora no apostolado (3). Na Ação católica italiana (4) a presidência geral e dos vários grupos diocesanos e paroquiais toca aos leigos, os quais entretanto são apoiados e guiados (5) pelos Assistentes Eclesiásticos; enquanto nas Congregações Marianas, que também podem chamar-se "pleno iure" Ação católica (6), o Pároco é o Presidente nato (cfr. Constituição "Bis Saeculari" 27 de Setembro de 1948 — Acta Ap. Sedis vol. 40 pág. 393 e seguintes) (7). Mas para que a assistência a vossas Associações femininas seja verdadeiramente santa e frutuosa, os Sacerdotes deixam inteiramente, com fina e delicada reserva, às dirigentes, em todo caso aos cuidados e nas mãos de senhoras piedosas e criteriosas, o que estas podem fazer por si mesmas, talvez até melhor, restringindo eles próprios o seu trabalho ao exercício do ministério sacerdotal (8).

Erros existentes nos ambientes da Ação Católica

Estas considerações sobre a organização da Ação católica Nos induzem a acrescentar algumas advertências gerais, reclamadas também por algumas tendências não retas, que se têm manifestado em nosso tempo.

(conclui na página seguinte)

SUMÁRIO

IMPORTANTES DIRETRIZES PARA O APOSTOLADO LEIGO (Pio XII)
PIO X, MODELO DE ENERGIA
A HOMBRIDADE DOS BONS PARECE TER ADORMECIDO (IMORALIDADE DAS DANÇAS E COSTUMES MODERNOS) (Cardeal João Alberto Guevara, Arcebispo de Limo)
- ABOLIÇÃO DO PROLETARIADO? COMO RESOLVER O PROBLEMA
AMBIENTES, COSTUMES, CIVILIZAÇÕES
- Dois quadros, duas mentalidades, duas doutrinas (Plinio Corrêa de Oliveira)
ENTRE OS MAIS BEM FEITOS JORNAIS CATÓLICOS DO BRASIL (Jornal do Comércio)
NOVA ET VETERA
- Ocaso de um líder (J. de Azeredo Santos)
CORRESPONDÊNCIA
VERBA TUA MANENT IN AETERNUM
- A frequente confissão das faltas veniais (Pio XII)
- O poder temporal da Igreja (Pio IX)
- A realeza de Cristo no domínio temporal (Pio XI)
- A beleza da Santa Igreja age sobre as almas (Leão XIII)
- Não são de Cristo os que não se adestram a sofrer (Leão XIII)
- Como deve ser um jornal católico (São Pio X)
- Louvor dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio (Pio XI)
OS CATÓLICOS FRANCESES DO SÉCULO XIX
- Ofensiva católica contra a Universidade (Bertrand de Poulengy)
CIDADES EM QUE CIRCULA CATOLICISMO
NOTA INTERNACIONAL
- Vários tipos de quinta coluna russa (Adolpho Lindenberg)
TRADIÇÕES CARMELITANAS DE CAMPOS
CANÇÃO À VIRGEM (Sá de Miranda)