Catolicismo - Acervo
Busca Google dentro do Site:
«
»
<<       Página       >>

Fátima: explicação e remédio da crise contemporânea

Plinio Corrêa de Oliveira

CATOLICISMO publicou em seu último número o resumo das revelações feitas pelo Anjo de Portugal e depois por Nossa Senhora aos três pequenos Pastores de Fátima. O mês de maio é propício a que esta folha continue a tratar do assunto, tanto mais que toda Campos ainda vibra com ecos da acolhida triunfal que seus filhos tributaram à Imagem peregrina de Nossa Senhora de Fátima.

No presente estudo, supomos demonstrada a veracidade das aparições de Fátima. Em outros termos, admitimos que o leitor reconheça como verídico que o Anjo de Portugal, e depois dele Nossa Senhora, tenham aparecido aos três Pastorinhos, e que as revelações feitas nas diversas aparições tenham sido fielmente reproduzidas por estes. Tal prova, por certo, poderia fazer-se segundo os métodos empregados para o estudo de qualquer fato histórico deste gênero. Houve em Fátima curas e prodígios presenciados por milhares de pessoas. Pode-se pois submeter estes e aquelas a uma análise científica para verificar se são miraculosos. De outro lado, os três Pastorinhos foram sujeitos a numerosos interrogatórios, oficiais e privados, feitos por amigos e inimigos. Estes depoimentos são susceptíveis de passar pelo crivo de todos os bons métodos da crítica. Neste estudo, haveria que analisar também os antecedentes dos Pastorinhos, a vida que levaram depois das aparições, e os pronunciamentos da Autoridade Eclesiástica, pois tudo isto importa a uma completa elucidação do assunto.

Por mais interessante que um tal estudo seja, deixamo-lo intencionalmente de lado. A grande maioria dos fiéis crê nas aparições e revelações de Fátima. Sendo nossa folha destinada principalmente a orientar leitores católicos, parece-nos mais útil, em lugar de lhes provar o que já admitem como certo, analisar alguns aspectos daquilo que suas almas, esclarecidas pela Fé, aceitam.

A grande crise de nossos dias

Os fatos contemporâneos mais marcantes são:

1. — A crise universal. A sociedade humana apresentava na primeira parte deste século, isto é até 1914, um aspecto brilhante. O progresso era indiscutível em todos os terrenos. A vida econômica tinha alcançado uma prosperidade sem precedentes. A vida social era fácil e atraente. A humanidade parecia caminhar para a era de ouro. Alguns sintomas graves destoavam das cores risonhas deste quadro. Havia misérias materiais e morais, é certo. Mas poucos eram os que mediam em toda a sua extensão a importância destes fatos. A grande maioria esperava que a ciência e o progresso resolvessem todos os problemas. A primeira guerra mundial veio opor um desmentido terrível a estas perspectivas. Em todos os sentidos, as dificuldades se agravaram incessantemente até 1939. Sobreveio a segunda guerra mundial, e com isto chegamos à condição presente, em que se pode dizer que não há sobre a terra uma só nação que não esteja a braços, em quase todos os campos, com crises gravíssimas. Em outras palavras, se analisamos a vida interna de cada nação, notamos nela um estado de agitação, de desordem, de desbragamento de apetites e ambições, de subversão de valores, que se já não é a anarquia franca, em todo o caso caminha para lá. Nenhum estadista de nossos dias soube ainda apresentar o remédio que corte o passo a este processo mórbido de envergadura universal.

2. — As guerras mundiais. A de 1914-1918 pareceu uma tragédia insuperável. Na realidade, a de 1939-1945 a superou do ponto do vista da duração, da universalidade, da mortandade, e das ruínas que ocasionou. Ela nos deixou a dois passos de uma nova guerra ainda pior sob todos os pontos de vista. Massas humanas tem vivido estes últimos anos no terror dessa perspectiva, cônscias de que um terceiro conflito mundial talvez acarrete o fim de nossa civilização.

A atualidade das revelações de Fátima

O elemento essencial das mensagens do Anjo de Portugal e de Nossa Senhora consiste, como veremos, em abrir os olhos dos homens para a gravidade destes fatos, em lhes ensinar sua explicação à luz dos planos da Providência Divina, e em indicar os meios necessários para evitar a catástrofe. É a própria História de nossa época, e mais do que isto o seu futuro, que nos é ensinado por Nossa Senhora.

O Império Romano do Ocidente se encerrou com uma catástrofe iluminada e analisada pelo gênio de um grande Doutor, que foi Santo Agostinho. O ocaso da Idade Média foi previsto por um grande profeta que foi São Vicente Ferrer. A Revolução Francesa, que marca o fim dos Tempos Modernos, foi prevista por outro grande profeta

A monumental Basílica de Fátima ergue-se junto ao lugar das aparições e é ponto de confluência de peregrinos de todo orbe, que vão implorar o auxílio da Virgem Santíssima no local por Ela escolhido para falar ao mundo contemporâneo incitando-o à piedade, à emenda e à penitência.

(continua)



Advertência

Este texto, reconhecido pelo processo OCR, não passou por revisão e pode conter erros de digitação.
Sua transcrição parcial ou total está autorizada, desde que seja citada a fonte e o texto conferido com o da imagem original.

Agradecemos desde já reportar-nos erros de digitação, através do
Fale conosco


CRÉDITOS
© Copyright 1951 -

Editora Padre Belchior de Pontes Ltda.

Diretor
Paulo Corrêa de Brito Filho

Jornalista Responsável
Nelson Ramos Barreto
Registro na DRT/DF
sob o nº 3116

Administração
Rua Javaés, 681
1° Andar
Bairro Bom Retiro
CEP 01130-010
São Paulo- SP

SAC
(11) 3331 4522
(11) 3331-4790
(11) 2843-9487

Correspondência
Caixa Postal 707
CEP 01031-970
São Paulo-SP

E-mail:
catolicismo@terra.com.br

ISSN 0102-8502

 HOME 
 
TOPO
+ZOOM
-ZOOM
Home Page
HOME
Ir ao texto da matéria
TEXTO