Catolicismo - Acervo
Busca Google dentro do Site:
«
»
<<       Página 1       >>


NAZISMO & COMUNISMO

O comum intento de impor a todo o povo uma unanimidade no pensar e no sentir, através de uma repressão policial brutal, e de uma não menos brutal pressão ideológica, exercida sobre cada um desde os primeiros anos de vida, só por si bastaria para revelar que nazismo e comunismo são o verso e reverso da mesma medalha (fotos publicadas por Bertram Otto — Berto - Verlag, Bonn).

VERSO E REVERSO DA MESMA MEDALHA

Cunha Alvarenga

Dizia Tertuliano que a alma humana é naturalmente cristã. Uma das várias consequências práticas que podemos tirar desta verdade é que a alma humana é naturalmente anti-socialista. Com efeito, se — como proclama Pio XI na "Quadragesimo Anno" — socialismo e Cristianismo são termos contraditórios, não há como fugir àquela consequência. De resto, a refutação do socialismo feita por Leão XIII e pelos Soberanos Pontífices seus Sucessores tem como ponto de partida a consideração da natureza humana tal qual Deus a criou.

Eis porque a Santa Igreja não se cansa de denunciar as origens antinaturais e conspiratórias do socialismo e do comunismo. Na Encíclica "Quod Apostolici Muneris", dedicada a combater as "seitas socialistas", Leão XIII declara logo de início: "Falamos daquela seita de homens que, sob os diversos e quase bárbaros nomes de socialistas, comunistas ou niilistas, espalhados por todo o orbe e estreitamente coligados entre si por um pacto iníquo, já não buscam abrigo nas trevas dos conciliábulos secretos, senão que, saindo à luz do dia, confiantes e de rosto descoberto, se empenham em levar a cabo o plano que de há muito conceberam, de destruir os fundamentos da sociedade civil".

Não é outra a linguagem da Santa Igreja nestes últimos tempos, quando declara ser o comunismo "intrinsecamente perverso" (Pio XI na Encíclica "Divini Redemptoris"). Tal flagelo só poderia ter vindo na esteira de outros erros. A apostasia das nações lhe preparou o caminho: "Agora, pois — observa Pio XI — se colhem os frutos amargos dos erros tantas vezes denunciados por Nossos Predecessores e por Nós mesmo. Por isso, pode alguém espantar-se de que um mundo tão profundamente descristianizado se submerja no turbilhão do comunismo?" (Encíclica citada).

Ademais desse fundo de quadro, é preciso não esquecer, acrescenta o Papa, que a difusão tão rápida do comunismo se explica "por uma propaganda verdadeiramente diabólica, como o mundo talvez não haja conhecido igual". Coadjuvou tal propaganda outro importante fator: “.... poderosa ajuda na difusão do comunismo é essa verdadeira conspiração do silêncio exercida por uma grande parte da imprensa mundial que não se conforma com os preceitos católicos”. Neste particular o processo revolucionário progrediu a grandes passadas depois do tempo de Pio XI, pois vemos hoje não somente no Brasil, mas em vários outros países, órgãos que se dizem católicos tomar parte nessa campanha de silêncio propícia aos avanços do comunismo e, o que é pior, se consagrarem sem rebuços à subversão socialista.

Sem essa bem montada máquina de propaganda e sem o auxílio poderoso de um vigilante dispositivo policial, sem cortinas de ferro e sem campos de concentração ou "paredón" para os recalcitrantes, nenhum regime totalitário se impõe estavelmente a um povo, tamanha é a vocação dos filhos de Deus para a liberdade.

Tudo isto que dizemos em resumo constitui verdades ultra conhecidas, mas acontece que vivemos em uma época em que se negam as realidades mais contundentes. Assim é que em artigo publicado no "Diário de Notícias" do Rio de Janeiro, em data de 15 de março p.p., sob o título de "Fascismo e Comunismo", o Sr. Tristão de Ataide sustenta que "se a guerra e a Contra-Revolução tiveram efeito contra o fascismo e o nazismo, não terão efeito, senão contraproducente, contra o comunismo. É que aqueles eram reações efêmeras e artificiais, ao passo que este era uma evolução natural". Evolução natural de que? O ex-discípulo de Jackson de Figueiredo explica: "O fato histórico inatacável é este: o fascismo nasceu como uma reação violenta contra o comunismo. Ao passo que o comunismo nasceu como uma evolução natural do socialismo". Como se vê, o Sr. Alceu Amoroso Lima com incrível ligeireza afasta a noção de violência da fachada do comunismo...

Dir-se-ia que S. Sa. se acha persuadido de que já se realizou a evolução utópica do socialismo para o comunismo, isto é, já se passou do "a cada um segundo a sua capacidade" (socialismo) para o "a cada um segundo a sua necessidade" (comunismo), coisa que

Conclui na página 4

Legenda das fotos

Comunismo: unanimidade no conselho municipal de Berlim Oriental

Nazismo: unanimidade no Reichstag da Alemanha nacional-socialista

Nazismo: a Gestapo prende adversários políticos do regime nacional-socialista

Comunismo: os "vopos" prendem adversários políticos da República Popular Alemã

Nazismo: a juventude educada na idolatria dos símbolos do regime

Comunismo: a juventude educada na idolatria dos símbolos do regime



Advertência

Este texto, reconhecido pelo processo OCR, não passou por revisão e pode conter erros de digitação.
Sua transcrição parcial ou total está autorizada, desde que seja citada a fonte e o texto conferido com o da imagem original.

Agradecemos desde já reportar-nos erros de digitação, através do
Fale conosco


CRÉDITOS
© Copyright 1951 -

Editora Padre Belchior de Pontes Ltda.

Diretor
Paulo Corrêa de Brito Filho

Jornalista Responsável
Nelson Ramos Barreto
Registro na DRT/DF
sob o nº 3116

Administração
Rua Javaés, 681
1° Andar
Bairro Bom Retiro
CEP 01130-010
São Paulo- SP

SAC
(11) 3331 4522
(11) 3331-4790
(11) 2843-9487

Correspondência
Caixa Postal 707
CEP 01031-970
São Paulo-SP

E-mail:
catolicismo@terra.com.br

ISSN 0102-8502

 HOME 
 
TOPO
+ZOOM
-ZOOM
Home Page
ÍNDICE
Ir ao texto da matéria
TEXTO