O MITO E O ESTRATAGEMA

As quatro rampas de foguetes soviéticos da foto abaixo constituem significativa amostra da agressividade dos vermelhos. A cada dia surgem novas advertências sobre o aumento do poderio russo e a possibilidade de um ataque comunista externo. Mas, será real a superioridade militar russa?

O exame dos armamentos somado ao clima de revolta criado pela miséria e opressão reinantes atrás da cortina de ferro indicam que o poderio comunista está longe de ser o que a propaganda apresenta. Na realidade, o poder bélico atribuído à Rússia bem pode ser um mito a serviço de um estratagema da guerra psicológica revolucionária para a conquista da opinião pública ocidental.

Diante disso, o novo governo norte-americano parece mais empenhado do que nunca em estreitar suas relações com os regimes obedientes a Moscou e Pequim, enquanto comete erros sucessivos no trato com seus melhores aliados. (Página 2).

BISPOS CUBANOS COLABORAM COM CASTRO

Muito sangue católico correu no Paredón e inumeráveis vítimas definharam nas masmorras de La Cabaña desde que Fidel Castro tomou o poder em Cuba. O regime comunista, ateu, inimigo da Fé, transformou a ilha do Caribe numa prisão onde campeia a miséria. Até a festa de Natal foi abolida.

A esse regime, os Pastores de Cuba oferecem sua colaboração. Pois, se para grande número de Bispos de países não comunistas "evangelizar" significa reformar as estruturas e lançar campanhas de protesto contra violações dos chamados direitos humanos supostamente cometidas por regimes anticomunistas, para os Prelados cubanos, pelo contrário, "evangelizar" significa adaptar os fiéis à estrutura marxista. É o que se encontra na Carta Circular do Episcopado cubano, que nosso colaborador Gregário Vivanco Lopes analisa à página 3. Na foto, significativo contato de uma freira com o tirano de Havana.

MISSA SACRÍLEGA

O documento e as fotos que oferecemos a nossos leitores na página 5 foram enviados especialmente para CATOLICISMO pelo movimento Jeunes Canadiens Pour Une Civilisation Chrétienne, com sede em Montreal, congênere às TFPs da América do Sul e do Norte. Através desse documento, largamente divulgado no Canadá, o leitor poderá aquilatar a que abismos o comuno-progressismo vai conduzindo impunemente a Santa Igreja.

Pela posição que assumiram, os Jovens Canadenses por uma Civilização Cristã vêm recebendo significativas manifestações de apoio da parte de católicos inconformados com a atitude omissa, quando não de cumplicidade, das autoridades eclesiásticas daquele país em relação ao monstruoso fato ocorrido em igreja de uma das principais cidades do Canadá.