Catolicismo - Acervo
Busca Google dentro do Site:
« »
<<       Página       >>


CARTAS DOS LEITORES

100 milhões de pessoas executadas

A revista assinalou muito bem os 100 anos da sinistra Revolução Russa. A começar pela capa com a representação da tomada do Palácio de Inverno da família do Czar, que foi um marco das origens daquela revolução diabólica. Tendo Lenin como chefe, foi o começo da destruição da Rússia e depois de várias nações, chegando até ao Brasil as consequências de tal destruição, ultrapassando a cifra de mais de 100 milhões de seres humanos mortos em vários países. Difícil entender historicamente como a doutrina comunista pôde produzir encantos em tantos intelectuais. Alguns fizeram um pedido de perdão, mas muitos ficaram quietinhos após o desmoronamento da URSS, como se eles não tivessem culpa pela propaganda que fizeram do sistema comunista soviético. (J.P.S.G. — AC)

“Um gambá cheira o outro”

Muito oportuno artigo lembrando o centenário da Revolução Bolchevista que implantou a ditadura ateia, matou milhões, aboliu a propriedade privada e mutilou a família. Putin, à maneira dos mágicos que tiram coelhos de cartolas, tenta enganar o Ocidente não festejando o massacre feito pelos seus antecessores. E por que Putin não faz o mea culpa e inaugura a Nuremberg do comunismo? Como, aliás, propôs o Prof. Plinio Corrêa de Oliveira em manifestos publicados nos maiores jornais do mundo livre, por ocasião da queda do Muro de Berlin. Por que Putin esquece e esconde crimes de seus antecessores. “Um gambá cheira o outro”, diz o provérbio. (C.M. — MG)

Novo Gorbachev

O comunismo não morreu, ele vive metamorfoseado, e Putin é o maquiavélico agente soviético para tentar ressuscitá-lo, mas graças à soneira dos líderes ocidentais. Curioso que ele não tenha aparecido para comemorar os 100 anos da “grande revolução socialista” contra o que chamavam de “imperialismo”. De fato, não se tem nada para comemorar, mas, como líder que pretende viver camuflado, ele preferiu manter distância dos minguados festejos na Praça Vermelha. Putin, o novo Gorbachev, também será desmascarado se pedirmos logo a intervenção de Nossa Senhora de Fátima. E parece que algo de intervenção já estamos começando a notar na Polônia católica, saindo das trevas do período comunista. (P.D.M. — RJ)

Lutero, um Lenin dentro da Igreja

O clero de esquerda anda num estado de vergonha aproximando-se da religião protestante. A esquerda entende bem disso, uma vez que Lutero foi uma espécie de Lenin dentro da Igreja. E Calvino foi o Marx no ambiente da Igreja. O comunismo, que estava morrendo, está sendo tratado na UTI do clero de esquerda na esperança de que um dia possa fazer com que renasça das cinzas os restos da maldita árvore bolchevista. Em vez de querer o renascimento do Evangelho nas almas, tal clero almeja a volta de governos marxistas. (D.S.R. — RS)

Silêncio vergonhoso

Um dia a História registrará o Concílio Vaticano II como responsável pela expansão do comunismo em diversas nações, pois se o Concílio tivesse condenado o comunismo a História seria outra, o direito de propriedade não estaria tão debilitado, os valores da família também não estariam tão debilitados, as desigualdades sociais seriam não só respeitadas, mas admiradas. Mas eu ainda sonho com a conversão da Rússia, conforme a promessa de Fátima, e o povo russo vingará. Será um dia de espanto, tanto para a esquerda política, quanto para a esquerda religiosa. (J.M.F. — SP)

Mártires de Cunhaú e Uruaçu

Com certeza as mais fascinantes páginas de nossa História são aquelas que registraram a reação surgida no Nordeste contra os invasores protestantes. O povo católico combateu confiando que Deus lhe daria vitória, e não confiando na própria força. Aliás, não tinha meios materiais para vencer. De outro lado, os inimigos da fé católica, no início da invasão, imaginaram que conquistariam facilmente o povo brasileiro para a religião de Lutero e Calvino com promessas de progresso material. Ledo engano! Os holandeses subestimaram a fé e a força de nosso povo. Grande exemplo disso foi a atitude dos mártires de Cunhaú e Uruaçu, hoje canonizados. Eles preferiram morrer a se debandarem para o protestantismo. Do sangue deles é que floresceu o Brasil. Pena que o povo brasileiro, hoje manipulado pela mídia, especialmente a televisiva, e sobretudo pela Globo, está perdendo seu caráter reativo, está amolecido, sem vontade para lutar contra os inimigos da fé católica nos dias atuais, que são piores que aqueles do século XVII. (P.E.K. — RN)

Patrulhamento ideológico

Estranho, realmente muito estranho que as notícias publicadas sobre a canonização dos primeiros 30 mártires brasileiros não tenham relacionado esses santos com a “Insurreição Pernambucana”. Os brasileiros executados foram mártires por causa da invasão calvinista. Seria impossível separar uma coisa da outra, mas as notícias publicadas (seguindo ordens das redações?) separaram, e sequer mencionam a relação desses fatos históricos. Assim é a atuação da velha “Patrulha Ideológica”. Patrulhamento velho, mas que nunca cessa de agir para impedir que floresça a verdade histórica que poderia levantar o Brasil. Esquisito também que num tema obviamente ligado à Região católica, a própria Igreja tenha colaborado com essa “censura”. Mas tal patrulhamento não vencerá, pois há uma predileção especial de Deus por esta Terra de Santa Cruz, como se percebe na “Insurreição Pernambucana”. (A.C.B. — PE)

Ato simbólico

Achei muito significativa a “Homenagem a Nossa Senhora Aparecida nos seus 300 anos”, noticiada na revista de novembro. Isto porque a homenagem e a reparação a Ela foram realizadas no próprio monumento do Ipiranga, bem no local onde se deu o nascimento de nossa Pátria. Depois, outro significado altíssimo: quem portou a Imagem de Nossa Senhora foi o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, descendente direto de Dom Pedro I que naquele mesmo lugar proclamou a Independência. Alegro-me vendo as atividades do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, uma associação digna do nome que escolheu. (A.N.R.V. — PB)


VERDADES ESQUECIDAS

Leão XIII denuncia a igualdade socialista

Muitos, até autoridades eclesiásticas, veem na igualdade a libertação dos pobres. Entretanto, nela o Papa Leão XIII antevia os fracassos econômicos, a miséria dos operários, por exemplo como ocorre em Cuba e na Venezuela.

“Substituindo a providência paterna pela providência do Estado, os socialistas vão contra a justiça natural e quebram os laços da família.

Mas, além da injustiça do seu sistema, veem-se bem todas as suas funestas consequências: a perturbação em todas as classes da sociedade, uma odiosa e insuportável servidão para todos os cidadãos, porta aberta a todas as invejas, a todos os descontentamentos, a todas as discórdias; o talento e a habilidade privados dos seus estímulos, e, como consequência necessária, as riquezas estancadas na sua fonte; enfim, em lugar dessa igualdade tão sonhada, a igualdade da nudez, na indigência e na miséria [...].

Fique, pois, bem assente que o primeiro fundamento a estabelecer para todos aqueles que querem sinceramente o bem do povo, é a inviolabilidade da propriedade particular”.

(Encíclica “Rerum Novarum” de 15 de maio de 1891, “Documentos Pontifícios”, Vozes, Petrópolis, fasc. 2, 6ª ed., 1961, pp. 10-11).



Advertência

Este texto, reconhecido pelo processo OCR, não passou por revisão e pode conter erros de digitação.
Sua transcrição parcial ou total está autorizada, desde que seja citada a fonte e o texto conferido com o da imagem original.

Agradecemos desde já reportar-nos erros de digitação, através do
Fale conosco


CRÉDITOS
© Copyright 1951 -

Editora Padre Belchior de Pontes Ltda.

Diretor
Paulo Corrêa de Brito Filho

Jornalista Responsável
Nelson Ramos Barreto
Registro na DRT/DF
sob o nº 3116

Administração
Rua Javaés, 681
1° Andar
Bairro Bom Retiro
CEP 01130-010
São Paulo- SP

SAC
(11) 3331 4522
(11) 3331-4790
(11) 2843-9487

Correspondência
Caixa Postal 707
CEP 01031-970
São Paulo-SP

E-mail:
catolicismo@terra.com.br

ISSN 0102-8502

 HOME 
 
TOPO
+ZOOM
-ZOOM
Home Page
HOME
Ir ao texto da matéria
TEXTO