Catolicismo - Acervo
Busca Google dentro do Site:
« »
<<       Página       >>


(continuação)

contato com São João Evangelista que, de lá, governava todas as Igrejas da Ásia.

“Supõe-se que São Timóteo foi aquele anjo da Igreja de Éfeso, de quem o mesmo Evangelista fala no seu Apocalipse, louvando-o muito pelo horror com que olhava os hereges, pelo zelo com que trabalhava na vinha do Senhor, e pelo muito que havia padecido em promover a glória de Deus”.1 Depois do desterro de São João para a ilha de Patmos, São Timóteo foi preso quando tentava reprimir as abominações brutais cometidas por pagãos durante uma de suas festas, chamada Catagógia. Segundo a tradição, ele foi arrastado pelas ruas e apedrejado, sofrendo o martírio por sua fé.

São Tito, grande coadjutor de São Paulo

De São Tito — que seria mais velho e mais experimentado que São Timóteo — carecemos de maiores informações, pois ele aparece muito pouco nos Atos dos Apóstolos. Não sendo judeu, tinha mais aceitação entre os cristãos de origem pagã. Filho querido, irmão e precioso colaborador de São Paulo, seguiu sempre o Mestre em suas andanças apostólicas, pregando o Evangelho de Cristo.

“Santo Hipólito e São Doroteu asseguram que ‘São Tito foi um dos 72 discípulos de Jesus Cristo. Que, mais tarde ele foi bispo de Creta, pregou o Evangelho nessa cidade e nas adjacentes; que morreu em Creta e que ali foi sepultado com glória’. As célebres crônicas de Alexandria o enumera como o 63º. dos 72 discípulos de Nosso Senhor”.2

Contudo, nada sabemos do lugar e data do seu nascimento. Para São João Crisóstomo, ele era de Corinto; para outros, de Creta; muitos afirmam que era de Antioquia. O que é muito provável é que ele tenha sido convertido por São Paulo, que o chama de “seu verdadeiro filho, segundo a fé” (Tt 1,4).

Tito substitui Silas nas viagens posteriores de São Paulo, a quem ele acompanha nas várias missões e fundações. Estando com o Apóstolo em Éfeso, este o enviou a Corinto para substituir Timóteo, pacificar os ânimos e organizar uma coleta para os cristãos pobres de Jerusalém. O zelo, a ponderação e a energia do discípulo conseguiram o objetivo de São Paulo.

De Corinto São Tito juntou-se a São Paulo na Macedônia, alegrando-o muito com as boas notícias que trazia dos coríntios, uma vez que o Apóstolo ficara muito preocupado com o que ocorria entre eles.

A partir de então São Tito desaparece dos Atos dos Apóstolos, só voltando a ser mencionado na epístola que lhe escreve São Paulo por volta do ano 65, na qual o instrui a dotar os fiéis de Creta de bons superiores e a viajar depois para Epiro, onde o Apóstolo contava invernar na cidade de Nicópolis. Eles se encontraram na Dalmácia, onde foi escrita a segunda epístola a Timóteo.

Desconhecem-se fatos posteriores relativos a esse grande companheiro de São Paulo. Segundo a opinião de Eusébio, Teodoreto e Santo Isidoro, ele teria voltado a Creta, onde continuou evangelizando o povo até a morte, com aproximadamente 95 anos, no ano 107.

As Epístolas Pastorais de São Paulo

As três epístolas do Apóstolo aos discípulos amados (duas a Timóteo e uma a Tito) foram escritas na mesma época. “As Epístolas Pastorais nos documentam que Paulo voltou ainda para o Oriente. Visitou Éfeso, onde deixou Teófilo, seu discípulo predileto, missionou a ilha de Creta, em cujas cidades de civilização antiquíssima Tito devia organizar as comunidades ali fundadas. Paulo escreve aos dois auxiliares para acudir-lhes no desempenho de sua missão. Ele dá instruções e diretivas para a situação e os problemas de Éfeso e Creta. Por causa deste seu caráter, são geralmente denominadas Epístolas Pastorais. A segunda carta a Timóteo foi escrita já durante o segundo cativeiro de Paulo em Roma sob a previsão do próximo martírio. O Apóstolo quer confortar seu discípulo muito amado, e o chama para a última despedida”.3

É nessa carta que, esperando o martírio, o Apóstolo das Gentes faz esta belíssima profissão de fé: “Quanto a mim, estou a ponto de derramar-me em libação, sendo já iminente o tempo da minha partida. Combati o bom combate, terminei minha carreira, guardei a fé. Já me está preparada a coroa da justiça, que naquele dia me outorgará o Senhor, justo juiz, e não só a mim, porém, a todos os que amam a sua vinda” (2 Tm, 3, 6-8).

Notas:

1. Pe. José Leite, S.J., Santos de Cada Dia, tomo I, Editorial A.O., Braga, 1993, p. 124.

2. Mgr. Paul Guérin, Les Petits Bollandistes, Vies des Saints, Paris, Bloud et Barral, Libraires-Éditeurs, tomo I, p. 14, nota 3.

3. Frei Mateus Hoepers, O.F.M., Novo Testamento, Editora Vozes Limitada, Petrópolis, 1958, p. 551.

LEGENDAS:
- Martírio de São Timóteo – Anônimo (Império Bizantino).
- São Paulo, na companhia de São Tito, prega em Creta.



Advertência

Este texto, reconhecido pelo processo OCR, não passou por revisão e pode conter erros de digitação.
Sua transcrição parcial ou total está autorizada, desde que seja citada a fonte e o texto conferido com o da imagem original.

Agradecemos desde já reportar-nos erros de digitação, através do
Fale conosco


CRÉDITOS
© Copyright 1951 -

Editora Padre Belchior de Pontes Ltda.

Diretor
Paulo Corrêa de Brito Filho

Jornalista Responsável
Nelson Ramos Barreto
Registro na DRT/DF
sob o nº 3116

Administração
Rua Javaés, 681
1° Andar
Bairro Bom Retiro
CEP 01130-010
São Paulo- SP

SAC
(11) 3331 4522
(11) 3331-4790
(11) 2843-9487

Correspondência
Caixa Postal 707
CEP 01031-970
São Paulo-SP

E-mail:
catolicismo@terra.com.br

ISSN 0102-8502

 HOME 
 
TOPO
+ZOOM
-ZOOM
Home Page
HOME
Ir ao texto da matéria
TEXTO