(continuação)

Ideologia de Gênero: Não, Não e Não!

A Avenida Paulista é conhecida como o grande centro comercial e econômico do Brasil, mas também como palco de manifestações de todos os naipes, inclusive dos adversários da família. Foi ali que membros e cooperadores do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, da TFP e de outras diversas entidades coirmãs, com seus estandartes tremulando junto aos arranha-céus, circularam pelos principais cruzamentos, numa campanha enérgica, ordeira e pacífica contra a malfadada Ideologia de Gênero. A manifestação era parte de uma campanha internacional advertindo para o perigo dessa ação contra a família. Folhetos informativos foram distribuídos largamente, informando sobre o abaixo-assinado em que o Instituto Plinio Corrêa de Oliveira pede ao Presidente Michel Temer que a Ideologia de Gênero permaneça fora da Base Nacional Comum Curricular e de qualquer outra proposta legislativa. Muitos manifestantes se dedicavam a esclarecer os transeuntes sobre o objetivo da campanha, convidando-os a participar.

Hinos marianos e patrióticos foram entoados pelos participantes, acompanhados pela banda da TFP Americana. Numerosas manifestações pessoais e de grupos indicavam adesão irrestrita à campanha. Não surpreendeu também a presença de integrantes do movimento homossexual. Ao contrário do respeito e cordialidade do grande público, estes bradavam palavrões impublicáveis, partindo por vezes para agressões. Querem tolerância para eles, mas não toleram os que se opõem à sua ação demolidora.

Após duas horas de campanha na Av. Paulista, os membros e cooperadores do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira e entidades coirmãs reuniram-se junto ao Museu de Arte de São Paulo, MASP. Nesse momento, um magote de agitadores do movimento homossexual, gritando slogans de agitadores e palavras de baixo calão, e descompondo-se em gestos obscenos, tentou inutilmente prejudicar a campanha.

Às 18:00h, após a recitação do Angelus dirigido pelo Padre David Francisquini, a manifestação foi encerrada com a proclamação dos princípios cristãos estabelecidos por Deus no instituto da família, na Lei Natural e na Lei Divina, valores pelos quais todo católico deve pugnar.

Ato no Monumento do Ipiranga

Na manhã do dia 16 de dezembro, as comemorações prosseguiram junto ao Monumento do Ipiranga, local histórico da proclamação da Independência do Brasil por Dom Pedro I. Dispostos nas escadarias do Monumento, os participantes do encontro — tendo ao centro uma imagem de Nossa Senhora de Fátima, além de estandartes das TFPs do exterior e do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira — rezaram a Deus e a Nossa Senhora Aparecida, Padroeira do Brasil, pedindo proteção contra os males que os adversários querem impor ao nosso País por meio da corrupção da família. E assim estava formado o quadro para uma foto oficial do memorável encontro [pp. 42-43].

Apóstolo de Fátima

Encerrando a série dos atos comemorativos, na tarde do mesmo dia foram apresentados dois audiovisuais no Hotel Pestana.

(continua)

LEGENDA: - Campanha na Avenida Paulista, em São Paulo.