DISCERNINDO

O verdadeiro ideal de vida repele a massificação

João Carlos Leal da Costa

Existência voltada para o maravilhamento da fé, para os valores sobrenaturais e os grandes feitos, em oposição ao prosaísmo e a mediocridade da vida hodierna

Os leitores de Catolicismo conhecem a posição da revista sobre a sociedade moderna, em boa medida resultante da Revolução Industrial americana. Com a vitória dos Estados Unidos na Primeira Guerra Mundial, confirmada com igual êxito na Segunda, pode-se afirmar: quase todo o século XX foi impregnado pela mentalidade difundida pelo vencedor.

Riqueza e poder conferem prestígio, e vitórias militares o reforçam; daí a ascensão e irradiação crescente do chamado american way of life, ou seja, o modo de vida americano. Assim foram se estabelecendo no mundo ocidental os modos de ser materialistas e sensuais, tão difundidos por Hollywood.

Ao contrário desse modo de vida, temos enaltecido sempre uma sociedade orgânica e cristã, na qual os valores do espírito predominam sobre o mero bem-estar material. Como termo de comparação, temos frequentemente apresentado o modo de vida essencialmente católico da Europa no século XIII, quando reinavam São Luís IX em França e São Fernando III em Castela.

O mito da tecnologia

O way of life americano não se exprime tanto em função de princípios abstratos, mas em modos de ser, de existir, de comportar-se, de estabelecer relações com os outros. Sendo o homem racional, é claro que todo modo de existir, atuar, organizar tem de ser sustentado racionalmente, por meio de uma doutrina. E o modo de vida norte-americano não foge à regra, baseia-se numa doutrina. Mas a mentalidade americana está impregnada pelo conceito de que não se deve ser doutrinário, por isso fica mais cômodo esconder que essa doutrina existe, incubada no seu way of life.

Vivendo num país em que a técnica e a ciência ocupam um trono altamente reverenciado, o americano se acha impregnado da crença na veracidade dos recursos que ambas oferecem. Está também convencido de que por meio delas se conhecerá tudo o que da natureza pode ser conhecido, além de acreditar ainda que a felicidade humana será completa quando o homem conhecer tudo isso. Na prática, a ciência, a técnica, as invenções podem, segundo eles, levar ao auge da felicidade.

Quanto mais progresso técnico-científico houver, tanto mais feliz será a existência dos homens. Haverá técnica para tudo: administração, diplomacia, guerra, propaganda, indústria, comércio, produção agrícola, circulação dos produtos – a tecnologia e a ciência resolvem tudo. O mais característico é que, mesmo nas coisas em que participam aspectos que não são técnicos, o norte-americano tende a reduzi-las aos seus aspectos técnicos.

Desprezando valores culturais

O american way of life é sobretudo considerado em função dos prazeres que a vida oferece, das condições de saúde e bem-estar em que se pode viver muito e viver bem. Atendendo a essa expectativa, ou superando-a como acontecia até algum tempo atrás, não se apresentavam a eles problemas profundos de caráter doutrinário e intelectual, limitados quase sempre aos horizontes de intelectuais, cientistas e universitários. Eles não entravam na cogitação da maioria, para quem essa situação triunfal permanente era a solução para todos os problemas.

(continua)

Legendas:
- Propaganda característica do american way of life. Quanto mais progresso técnico-científico houver, tanto mais feliz será a existência dos homens.
Nova Iorque vista do Empire State Building, em 1950.