(continuação)

Neste sentido, grupelhos anarquistas praticaram na segunda metade do século XIX vários atentados fracassados contra a vida de Alexandre II. O último deles — um atentado a bomba nas proximidades do Palácio de Inverno em São Petersburgo, no dia 13 de março de 1881 —, ceifou a vida do Imperador e de vários membros de sua guarda.

Num clima de lenta e crescente efervescência, minando os sustentáculos do governo imperial, subiu ao trono Alexandre III. Não simpatizava com as tendências liberais do pai, e seu governo representou um esfriamento no processo de modernização da monarquia russa. De fato, cumpria fazer uma adaptação da Rússia aos tempos novos, expurgando o que se tornara obsoleto, porém mantendo e aperfeiçoando as estruturas tradicionais. Tudo isso poderia ter sido feito sem concessões ao espírito revolucionário.

Embora tivesse caráter forte, Alexandre III não havia sido educado para o trono, pois era o terceiro na linha sucessória. Carecia de descortino e tato político, assemelhando-se mais a um mujique coroado, e legou a seu sucessor um país intumescido de problemas espinhosos não resolvidos.

A família de Nicolau II

O último Tzar da Rússia, Nicolau II [foto à esq.], nasceu em 18 de maio de 1868 e ascendeu ao trono com 26 anos, em consequência da morte prematura de seu pai, um gigante de saúde fraca. Culto, cordato, extremamente tímido, não estava devidamente preparado para governar um império de mais de 100 milhões de habitantes, dispersos num território quase três vezes maior que o Brasil. Poderia ter dito como Luís XVI, ao assumir o trono da França: "Reinamos muito cedo".

No mesmo ano de sua ascensão ao trono, Nicolau II casou-se com a princesa Alice, filha de Luís IV, Grão-Duque de Hessen, e da princesa Alice do Reino Unido. Esse casamento contrariava a vontade dos pais, que pretendiam vê-lo unido a Helena de Orleans, filha do Conde de Paris. A nova Tzarina, que adotou o nome de Alexandra Feodorovna [foto à esq.], deu a seu esposo quatro filhas — Olga, Tatiana, Maria e Anastácia — e um filho, o Tzarevitch Alexis.

No dia do casamento, uma catástrofe ofuscou a alegria geral. Quando se procedia à distribuição de presentes para o povo, um corre-corre degenerou em pânico. Centenas de pessoas caíram ao chão, morrendo pisoteadas pela multidão desvairada. Essa tragédia bem pode ter sido um sinal prenunciativo das que viriam posteriormente.

Agitações em Moscou e São Petersburgo

Em fins de 1904, explodiu a guerra entre o Império Russo e o Império Japonês. A Rússia possuía então a

(continua)

LEGENDAS:
- O Tzar Alexandre III com sua família. No círculo, seu filho, o futuro Nicolau II.
- Coroação de Nicolau II – L.Tuxen, 1898. Museu Hermitage, São Petersburgo (Rússia).