CAPA

Visão autenticamente católica da política

Qual é a concepção católica de Estado? É possível um Estado católico? O Estado desvia os homens do ensinamento perene da Santa Igreja? A Igreja pode contar com estadistas autenticamente católicos no Brasil de hoje? Estas e outras questões, de suma importância, Plinio Corrêa de Oliveira [foto] as explica, fundamenta e desenvolve em um manifesto publicado em 1937 no “Legionário”, semanário que ele dirigia e de cuja linha de pensamento “Catolicismo” é continuador. Reproduzimo-lo a partir da página 28, omitindo apenas alguns trechos e fatos específicos daquele ano.

O Prof. Plinio aponta para o ideal de uma civilização católica com toda a sua beleza e grandeza, pujante no campo temporal e espiritual, voltada a conduzir os homens nas vias das Leis de Deus. Assim organizada, ela realizaria a meta da Santa Igreja em relação à humanidade , que é conquistar a felicidade suprema — a bem-aventurança eterna —, após ter alcançado a felicidade possível na Terra.

Sendo a felicidade eterna o fim último dos homens, alcançá-la é um objetivo superior ao bem comum temporal. E como a finalidade precípua do Estado é proporcionar o bem temporal, realizá-lo de acordo com os princípios e objetivos da Igreja deve constituir para ele uma preocupação constante. Organizando assim a sociedade temporal, o Estado evita colocar em choque a consciência católica do País.

Várias décadas transcorreram desde a publicação desse manifesto, sem que a sociedade tenha caminhado nas sendas de tão alto ideal. Mas permanece inteiramente atual o princípio de que uma autêntica civilização só é possível quando a política é essencialmente católica dentro de um Estado católico.

Poderá a humanidade atingir com êxito o ideal de um Estado católico? Não devemos ficar apenas na admiração utópica dele, mas lutar para que seja aplicado. Não basta defendê-lo na teoria, mas trabalhar como se a sua aplicação efetiva dependesse somente de nós, embora estejamos convictos de que ele não será alcançado sem a Providência Divina e suas bênçãos. Nada de bom será erguido sem o auxílio divino, pois “se o Senhor não edificar a cidade, em vão trabalham os seus construtores; se o Senhor não guardar a cidade, inutilmente vigia a sentinela” (Sl 126, 1).

Após ler o memorável manifesto, o leitor verá que esse ideal não é uma falácia. Ele é realizável, verdadeiro e fundamentado, pois tem como base o ensinamento de Nosso Senhor Jesus Cristo.
Direção de Catolicismo

(continua)

LEGENDA:
- Os antigos prédios da cidade de Praga dão testemunho de uma época de harmônico convívio do religioso com o temporal, um reflexo do que realmente existia no espírito daquela sociedade.