Janeiro de 2004
Adoração dos Reis Magos
Ambientes, Costumes e Civilizações

Adoração dos Reis Magos

Tranqüilidade sobrenatural e oração diante do Menino-Deus

Plinio Corrêa de Oliveira

Afresco pintado entre 1302 e 1306, por Giotto di Bondone, que se encontra na Capela degli Scrovegni – Pádua (Itália).
Os Reis Magos, de acordo com a Tradição, vieram do Oriente trazendo seus presentes para o Menino Jesus.

Nesse afresco — de autoria do famoso pintor italiano Giotto(*) — Nossa Senhora, tendo seu Divino Filho no colo, aparece sentada numa espécie de troneto colocado sobre um estradozinho ricamente atapetado, e ricamente vestida. Para receber os Reis, compreende-se que Ela se vestiu com aparato.

Atrás de Nossa Senhora aparecem um anjo, São José, santos e outras pessoas do Templo que o autor quis representar. Ou talvez sejam pessoas que algum dia no futuro haveriam de contemplar tal cena em espírito e em oração.

Chama a atenção o seguinte: um dos reis está adorando o Menino Jesus e osculando seus pés. Os dois outros monarcas estão tranqüilos, comprazidos em oração diante de Nossa Senhora e do Menino-Deus, vendo seu companheiro de viagem, seu irmão na realeza, adorar o Divino Infante. E estão contentes com tudo o que se passa, aguardando chegar a vez deles. Mas sem impaciência, com a tranqüilidade e a serenidade medieval, que exprimia bem a presença de Deus, o espírito e a graça divinos na alma desses personagens.

Logo atrás dos dois Reis, nota-se um homem que está freando ou subjugando o camelo, a fim de que este não crie problemas. Esse personagem é um animalis homo, sem nada de sobrenatural, de tranqüilo e sereno. É um homem bruto, agitado e prestando atenção em tudo, de nariz pontudo, de olhos saltados e mandão. Está bem à altura de um tratador de camelos.

*      *      *

________________________________________________

    Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira para sócios e cooperadores da TFP, em 30 de novembro de 1988. Sem revisão do autor.