Abril de 2015
XI Simpósio da Associação dos Fundadores
Ação Contra-Revolucionária

XI Simpósio da Associação dos Fundadores

 

 Fábio Cardoso

 

O mundo moderno encontra-se numa encruzilhada perplexitante e perigosa. Se de um lado os avanços da tecnologia são espantosos, de outro os valores morais e religiosos vão se deteriorando numa marcha assustadora, deixando receosas e perplexas as pessoas de bem. Sentimento que é compartilhado mesmo por aqueles que vivem de maneira superficial.

Que futuro nos aguarda? A família enquanto instituição natural e cristã vai sendo inexoravelmente erodida, e hoje não só agentes do Estado, mas até altas personalidades eclesiásticas fazem parte do rol dos que trabalham para a sua ruína. A honestidade, a civilidade, a caridade cristã, o senso do que é certo e do que é errado, tudo isto está num estágio de letargia, quase moribundo.

 Ameaças terríveis pairam sobre o Ocidente, como é o caso do Islamismo na sua face mais radical e violenta. Ele vai avançando não só em países do Oriente, onde historicamente já dominava, mas também no Ocidente e, de modo particular, na Europa, que deliberada e culposamente o favoreceu nas últimas décadas em seus territórios tradicionalmente cristãos.

Foi nesse contexto que se realizou nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro último em São Bernardo do Campo (SP) o XI Simpósio da Associação dos Fundadores. Provenientes de vários estados e cidades do Brasil, Amigos e Colaboradores da Associação dos Fundadores participaram com muito interesse dessa atividade anual da entidade. As palestras trataram dos temas candentes acima citados, enfatizando sobretudo a importância da confiança na Providência Divina que um verdadeiro católico deve ter. Focalizou-se também a forte reação conservadora que se observa na opinião pública, de modo especial na juventude. Fato infelizmente pouco salientado pela grande imprensa, mas que apresenta um panorama mais esperançoso sobre a ação da graça divina nas almas.

As palavras de encerramento — “Instaurar todas as coisas em Cristo, por Maria” — foram proferidas pelo Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança. Com uma argumentação lógica, fiel aos ensinamentos tradicionais de Nosso Senhor Jesus Cristo e a esperança da vitória, ele coroou os demais temas tratados durante o simpósio como meta de uma ação autenticamente católica e contra-revolucionária. O orador ressaltou que essa foi a meta do pontificado do glorioso São Pio X no início do século passado, e também o ideal pelo qual lutou Plinio Corrêa de Oliveira. E que ainda combatem com meritória dedicação as associações por ele inspiradas e mesmo criadas posteriormente no mundo inteiro.    

O simpósio foi presidido por uma imagem de Nossa Senhora de Fátima e a assistência religiosa esteve a cargo do Revmo. Pe. David Francisquini, que atendeu com muita solicitude todos que o procuraram.

Ao final do Simpósio, o desejo comum era de voltar no próximo ano com bons e duradouros frutos de apostolado.

E-mail para o autor: catolicismo@terra.com.br