Julho de 2005
O Palácio de Rohan
Ambientes, Costumes e Civilizações

O Palácio de Rohan

Regularidade clássica entre torres medievais

·         Plinio Corrêa de Oliveira

A família dos príncipes de Rohan descendia dos antigos duques da Bretanha, mas não eram descendentes legítimos.

Os duques da Bretanha desfrutavam a categoria de príncipes e casavam-se com pessoas de famílias reais. Os Rohan não possuíam esse status, mas constituíam, com algumas outras famílias da alta nobreza francesa, um verdadeiro escalão intermediário entre a Família Real e o comum dos nobres da corte.

O palácio de Rohan internamente ostenta uma decoração maravilhosa, e se caracteriza por uma regularidade clássica muito bela e distinta.

Chamam muito a atenção as duas torres medievais pontudas, com os tetos em cone, bem altos, que apresentam um contraste com o estilo do edifício, inteiramente dos Tempos Modernos. Em História, chama-se Tempos Modernos a época que se estende do fim da Idade Média até a Revolução Francesa.  Portanto, esse estilo é marcadamente anterior à Revolução Francesa, mas não é medieval. 

Essas duas torres eram uma reminiscência histórica. Antigamente estava construído naquele lugar o palácio dos príncipes de Lorena –– o ramo francês da família de Lorena. Seus membros eram muito bons políticos e detinham grande poder político e financeiro. O castelo deles foi derrubado para dar origem ao dos Rohan.  Estes, provavelmente compraram o antigo edifício dos Lorena e edificaram o palácio. Conservaram, porém, do castelo anterior os aposentos que ficam no andar térreo e as duas torres. Estas são próximas uma da outra, e há uma sala localizada entre elas. Mas por que razão foram elas conservadas?  Porque a sala era utilizada pelos príncipes de Lorena –– que foram os líderes dos católicos na luta contra os protestantes –– quando mantinham confabulações políticas importantes e muito secretas. Eram reuniões das quais participavam os elementos mais decisivos da ala católica da França, e que impediram que o país se tornasse protestante. Essas duas torres são, portanto, históricas. 

Se bem que vários dos príncipes de Lorena fossem objetáveis do ponto de vista de costumes, a Casa de Lorena era muito abençoada e possuía em alto grau o charme francês. Basta dizer que pertenceram a ela duas rainhas célebres na História, tanto por seu charme único quanto por seu infortúnio sem nome: Maria Stuart, Rainha da Escócia, que morreu decapitada; e Maria Antonieta, Rainha de França, vítima da Revolução Francesa.

__________________________________________________________________________

Excertos de conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, em 13 de janeiro de 1989. Sem revisão do autor.