Julho de 2005
O Palácio de Rohan
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Ambientes, Costumes e Civilizações

O Palácio de Rohan

Regularidade clássica entre torres medievais

·         Plinio Corrêa de Oliveira

A família dos príncipes de Rohan descendia dos antigos duques da Bretanha, mas não eram descendentes legítimos.

Os duques da Bretanha desfrutavam a categoria de príncipes e casavam-se com pessoas de famílias reais. Os Rohan não possuíam esse status, mas constituíam, com algumas outras famílias da alta nobreza francesa, um verdadeiro escalão intermediário entre a Família Real e o comum dos nobres da corte.

O palácio de Rohan internamente ostenta uma decoração maravilhosa, e se caracteriza por uma regularidade clássica muito bela e distinta.

Chamam muito a atenção as duas torres medievais pontudas, com os tetos em cone, bem altos, que apresentam um contraste com o estilo do edifício, inteiramente dos Tempos Modernos. Em História, chama-se Tempos Modernos a época que se estende do fim da Idade Média até a Revolução Francesa.  Portanto, esse estilo é marcadamente anterior à Revolução Francesa, mas não é medieval. 

Essas duas torres eram uma reminiscência histórica. Antigamente estava construído naquele lugar o palácio dos príncipes de Lorena –– o ramo francês da família de Lorena. Seus membros eram muito bons políticos e detinham grande poder político e financeiro. O castelo deles foi derrubado para dar origem ao dos Rohan.  Estes, provavelmente compraram o antigo edifício dos Lorena e edificaram o palácio. Conservaram, porém, do castelo anterior os aposentos que ficam no andar térreo e as duas torres. Estas são próximas uma da outra, e há uma sala localizada entre elas. Mas por que razão foram elas conservadas?  Porque a sala era utilizada pelos príncipes de Lorena –– que foram os líderes dos católicos na luta contra os protestantes –– quando mantinham confabulações políticas importantes e muito secretas. Eram reuniões das quais participavam os elementos mais decisivos da ala católica da França, e que impediram que o país se tornasse protestante. Essas duas torres são, portanto, históricas. 

Se bem que vários dos príncipes de Lorena fossem objetáveis do ponto de vista de costumes, a Casa de Lorena era muito abençoada e possuía em alto grau o charme francês. Basta dizer que pertenceram a ela duas rainhas célebres na História, tanto por seu charme único quanto por seu infortúnio sem nome: Maria Stuart, Rainha da Escócia, que morreu decapitada; e Maria Antonieta, Rainha de França, vítima da Revolução Francesa.

__________________________________________________________________________

Excertos de conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira, em 13 de janeiro de 1989. Sem revisão do autor.

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão