Março de 2004
Extravagância, socialismo e satanismo
Neopaganismo

Extravagância, socialismo e satanismo

Os três elementos acima tendendo a um mesmo fim, é o que fica patenteado em macabra "linha de montagem" de cadáveres estabelecida na China.

Luís Dufaur

Gunther von Hagens promoveu mórbida mostra artística itinerante denominada Body Worlds
Talvez o leitor se pergunte o que têm a ver entre si assuntos tão diversos como a arte moderna ultra-arrojada, a imoralidade desbragada, a onda atual de blasfêmias e sacrilégios, o satanismo, o socialismo e o comunismo -para citar apenas alguns- contra os quais Catolicismo, com base na doutrina católica, procura erguer uma muralha de horror e denúncia.

Contudo, tais aberrações de caráter neopagão apresentam entre si profunda coerência. Ilustra tal conexão uma estarrecedora matéria divulgada por dois semanários de grande tiragem: "Der Spiegel", da Alemanha, e "Veja",(*) do Brasil. Segundo eles, o médico alemão Gunther von Hagens promoveu mórbida mostra artística itinerante denominada Body Worlds. Nela exibe defuntos sem pele, tratados com uma técnica de sua invenção. Eles são dispostos em posturas lúdicas, para dissimular o conteúdo macabro da exposição. Esta, diz-se, já atraiu 14 milhões de visitantes. Em alguns países a mostra foi cancelada, devido a queixas de religiosos e associações de ética médica. Hagens, além disso, vende tais obras de arte para excêntricos clientes.

* * *

Mostra "artística" Body Worlds
Para realizar sua empresa, ele criou uma linha de montagem de cadáveres em Dalian (China comunista), próxima a três prisões agrícolas. O regime marxista lhe vende os presos executados, por 800 reais cada. A dantesca linha de montagem supera as mais férteis imaginações de horror. Uma das fotos mostra sorridentes operárias chinesas tratando peles humanas inteiras, penduradas como num açougue!

Os principais fornecedores na China, como também no Quirguistão (ex-URSS), são delegacias de polícia, asilos de velhos, presídios, hospitais e universidades. Entre 1996 e 2002, a "filial" do Quirguistão exportou 30 toneladas de carne humana: 488 corpos inteiros, 10 fetos, 431 cérebros e 397 órgãos variados! Outra "filial" dessas aberrações funciona na Rússia de Putin.

Em Body Worlds, Hagens expõe cenas como a de um homem nu fatiado. Hagens quer montar em Londres um inqualificável e blasfemo presépio em tamanho natural, colocando na manjedoura um feto dissecado! Poderá a impiedade humana conceber, por si só, injúria tão abjeta contra o adorabilíssimo Menino Jesus, sua Santíssima Mãe e o admirável São José? Ou deve-se supor também uma inspiração infernal?

* * *

Assim, a aberrante "arte" moderna, o socialismo e o comunismo, a blasfêmia, o ateísmo e o satanismo conjugam-se para produzir os elementos de um mundo diabolicamente oposto à Civilização Cristã. Ou seja, à civilização filha da Santa Igreja Católica, ela própria corpo místico do Divino Redentor.

Tais elementos de um mundo visceralmente anticristão são fruto do processo revolucionário multissecular, eximiamente denunciado pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira em sua obra-mestra Revolução e Contra-Revolução.

* "Veja", 28-1-04, pp. 44-47.