Setembro de 2000
Rio de Janeiro
Ambientes, Costumes e Civilizações

Rio de Janeiro

charme e encanto do Brasil

  • Plinio Corrêa de Oliveira

O Rio de Janeiro foi durante muito tempo, como é de conhecimento geral, a capital do País.

Nessa cidade situavam-se todas as embaixadas de países com os quais o Brasil mantinha relações, num período brilhante em que a vida diplomática não se reduzia a atividades quase de caixeiros viajantes, como hoje em dia. Havia, pelo contrário, uma atuação autenticamente representativa, nobre e que exalava o aroma das velhas cortes européias. O mundo diplomático refulgia no ambiente do Rio de Janeiro, estabelecendo naturalmente comunicação com a alta sociedade local. Assim, essa elite social ficava impregnada de todos os ventos culturais que vinham da Europa.

*    *    *

Reunião de membros do corpo diplomático e suas esposas na recepção de um dignitário estrangeiro na antiga capital do País
Por outro lado, tendo sido capital do Império e depois da República, o Rio atraía as elites de todos os Estados do Brasil. Dessa forma, elementos humanos exponenciais do que havia de melhor dos vários Estados brasileiros residiam na então capital.

Eram particularmente notórias a doçura, a beleza majestosa, suave e descansada da natureza da cidade, naquela época muito mais aprazível do que hoje.

Algumas reformas urbanísticas mais recentes desfiguraram um tanto o perfil da antiga capital, onde as curvas das praias haviam sido desenhadas por um francês... O mar chegava bem próximo das casas. Sentia-se quase o oceano bater nos paredões do Hotel Glória ...

A par disso, convém lembrar das palmeiras imperiais do Jardim Botânico, daquelas montanhas que parecem irmãs, umas encostadas nas outras, e da brisa marítima constante...

Igreja do Outeiro da Glória
Por fim, a igreja do Outeiro da Glória, lindamente situada num morro - uma verdadeira jóia! Até parece uma igrejinha de brinquedo, de tal maneira ela é graciosa e bela.

Tudo isso junto contribuiu para que se discernisse no carioca, como nota dominante, o charme e o encanto. Donde, por exemplo, o modo de os habitantes do Rio pronunciarem os “s” finais como se fossem “j”...

Muito amáveis, gentis, brincalhões, mas sem nada de agressivo. Criando, a partir desse espírito, circunstâncias pelas quais atraíam tudo e todos para o encantador Rio de Janeiro, propiciando uma atmosfera de bonomia elegante, que o turismo de hoje destruiu completamente...

____________________

Excertos da conferência proferida pelo Prof. Plinio Corrêa de Oliveira para sócios e cooperadores da TFP, em 14 de março de 1987. Sem revisão do autor.