Fevereiro de 1996
A Imagem e as previsões de Nossa Senhora do Bom Sucesso
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Capa

A Imagem e as previsões de Nossa Senhora do Bom Sucesso

Há mais de 400 anos, no Equador, a Virgem Santíssima anunciou:
"Eu serei especialmente conhecida no século XX"

Diogo Waki


Ainda pouco conhecida no Brasil, comemora-se a 2 de fevereiro uma invocação das mais insignes da mariologia.

O homem moderno está acostumado a acreditar apenas naquilo que vê, e habituado a considerar as pessoas não pelo que são, mas por aquilo que fazem. Para ele talvez seja difícil entender a exaltação da vida apagada de clausura, de sacrifícios e orações, na qual muitas vezes a Providência faz suas maiores revelações

Madre Mariana de Jesus Torres, uma das fundadoras do Mosteiro Real da Imaculada Conceição de Quito, foi uma grande mística que abraçou o estado de perfeição evangélica conforme o ensinamento do próprio Nosso Senhor Jesus Cristo e o levou a grau de heroicidade. Deus a escolheu para ser depositária de uma série de revelações a propósito do século em que viveu e também dos futuros. Foi a ela que Nossa Senhora apareceu ordenando que mandasse esculpir uma imagem sob a invocação de Nossa Senhora do Bom Sucesso.

Nascida na Espanha, na Província de Viscaya, no ano do Senhor de 1563, Mariana bem cedo sentiu a vocação religiosa. Aos 13 anos de idade, com permisão do Rei Filipe II, abandonou seu país, juntamente com sua tia, Madre Maria de Jesus Talvada, e partiu para Quito, cidade situada em terras de colonização espanhola na América do Sul, a fim de ali estabelecer o primeiro mosteiro nas Américas em honra da Imaculada Conceição.

A Europa estava conturbada por diversas questões político-religiosas e a Igreja Católica havia perdido influência em vários países. Em conseqüência, pessoas, grupos ou até mesmo nações inteiras abandonaram o seio bendito da Santa Igreja.

Para compensar a perda nas metrópoles, a Providência suscitou pessoas que, abandonando tudo em seus países de origem, se sentiam chamadas a conquistar almas para a Igreja nas colônias, junto a povos pagãos. Assim, enquanto São Francisco Xavier atuava na Gndia e no Japão, o Bem-aventurado Padre José de Anchieta evangelizava o Brasil etc.

Foi movido por esse mesmo espírito que, em 1576, atendendo a pedidos insistentes de influentes famílias da cidade de Quito, o rei de Espanha enviou para o Equador um grupo de freiras da Ordem das Concepcionistas, fundada, algumas décadas antes, por uma religiosa portuguesa, Santa Beatriz da Silva.

A serpente infernal tenta esmagar a obra no seu nascedouro

Entre os atributos santíssimos de Nossa Senhora, um dos que mais provoca a indignação e o ódio de Lúcifer e seus sequazes é, certamente, a Imaculada Conceição. Nossa Senhora, escolhida para ser Mãe do Divino Salvador, concebida sem pecado original, co-redentora e medianeira universal de todos os dons divinos, foi fiel a todas as graças desde o primeiro instante de sua concepção e, em nenhum momento, foi escrava do demônio, tendo sido elevada aos Céus e coroada como Rainha dos Céus e da Terra.

As potestades infernais não poderiam ficar satisfeitas com a extensão da devoção à Imaculada Conceição por toda a Terra. Não espanta, assim, que uma terrível tempestade tenha ameaçado naufragar a embarcação em que viajavam as religiosas espanholas. Em meio à tormenta, Madre Maria e a menina viram no mar uma serpente monstruosa de sete cabeças, que movimentando as ondas ameaçava destroçar a frágil embarcação.

A menina deu um grito e caiu desfalecida. Sua tia, Madre Maria, pediu a Deus que as salvassem naquele grande perigo. Terminada esta oração, a tempestade milagrosamente cessou, o dia clareou e ouviram o clamor de terrível voz, dizendo: "Não permitirei a fundação; não permitirei que progrida; não permitirei que se conserve até o fim dos tempos e a todo momento a perseguirei".

Fundação do mosteiro

No dia 13 de janeiro de 1577, na fundação do Real Mosteiro da Imaculada Conceição, professaram as sete religiosas fundadoras, nas mãos de um sacerdote franciscano. Mariana de Jesus não pode participar da cerimônia por ter apenas treze anos.

É nesse local bendito que, durante 59 anos, Dar-se-á a longa Via Crucis desta grande mística, crescida à sombra da Cruz e transformada em vítima expiatória da justiça divina.

Deus permitirá que fosse muito tentada pelo demônio.

Às vezes ele se apresentava em forma de uma enorme serpente que a rondava de dia e de noite; outras vezes, insuflava o ódio de freiras inobservantes, vendo-a tão severa para consigo mesma e tão exigente no cumprimento da regra de São Francisco, nas diversas vezes em que foi eleita priora. Em conseqüência desse ódio chegou a ser injustamente encarcerada na prisão do convento.

1 | 2 | 3 Continua
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão