Fevereiro de 2004
Vitória eleitoral de Putin ao estilo soviético
A Realidade Concisamente

 

Vitória eleitoral de Putin ao estilo soviético

Um dos locais de votação
Listas eleitorais manipuladas, resultados subtraídos ao controle ou falsificados, mesas eleitorais exclusivamente dirigidas por membros do partido do novo czar à soviética Vladimir Putin. Essas são algumas das conclusões estarrecedoras da ONG russa Golos (A Voz), cujos 5.000 membros observaram as eleições parlamentares russas realizadas em dezembro. Para Lilia Shibanova, presidente de A Voz, o governo falseou também as cifras para que os partidos de direita não ingressassem na Duma, isto é, na Assembléia Nacional. “Voltamos ao velho sistema de voto à soviética!” — disse outro observador.

A oposição política denunciou unanimemente a fraude. Em mais de dois terços das urnas, os resultados verificados no local não correspondem às cifras oficiais. Os 500 observadores do Conselho da Europa e da OSCE (Organização para a Segurança e Cooperação na Europa) concluíram que as eleições que deram maioria parlamentar a Putin significaram uma “regressão” em termos democráticos.

Se a fraude tivesse ocorrido num regime não-esquerdista, o establishment político-midiático ocidental certamente teria bradado aos quatro ventos a sua inconformidade. Mas, como o vencedor é um ex-agente da KGB, os protestos foram pífios e como que submetidos a um abafador de som.

Permissivismo leva ao canibalismo satânico

A polícia alemã retira os restos mortais de Bernd-Jurgen Brandes
Armin Meiwes, de 42 anos, confessou ante o tribunal de Kassel, Alemanha, ter praticado canibalismo, com requintes de perversidade que estarreceram o mundo. Ele recrutava vítimas pela Internet, oferecia um guia prático para “cortar a carcaça humana para consumo humano” e sugeria receitas de molhos, incluindo uísque, molho inglês e alho picado.

Meiwes pôs o macabro anúncio numa sala de bate-papo na Internet sobre canibalismo e atraiu o engenheiro Bernd-Jurgen Brandes, de Berlim. Este assinou um contrato dando pleno consentimento ao ritual macabro, o qual foi filmado. As cenas mostram Meiwes cortando os órgãos sexuais do engenheiro, usando anestesia local, e depois comendo-os junto com a própria vítima. Por fim o canibal esfaqueou-lhe o pescoço e retalhou o cadáver, guardando os pedaços dele na geladeira e devorando-os depois.

Eis aí um sinistro resultado do princípio amoral de que cada um pode fazer o que quer. Os estudantes revolucionários da Sorbonne cunharam, em 1968, o dito “é proibido proibir”. O caso do canibal alemão indica para que extremos caminha tal permissivismo moral. E, no fim dessa senda execrável, já se pode ouvir a gargalhada do inferno.

Crescem grupos universitários conservadores

Universitários conservadores em Washington
Nas universidades norte-americanas, multiplicam-se grupos de estudantes conservadores que discordam dos professores esquerdistas. Os alunos rejeitam pregações antipatrióticas nas aulas a propósito da guerra no Iraque, ou da política externa do país. Em apenas dois meses, 45 grupos conservadores universitários inscreveram-se na Campus Leadership Program, entidade de Washington que, no momento, reúne mais de 216 associações do gênero. Elas editam mais de 80 jornais em diversos institutos de altos estudos.

Na Universidade do Texas, a maior do país, o grupo Jovens Conservadores do Texas elaborou uma lista dos professores que usam a cátedra para pregar idéias revolucionárias ou simplesmente anti-americanas. Os mestres denunciados estão numa posição defensiva, não sentindo ambiente para mobilizar uma reação ponderável de esquerda a seu favor.

 

Subnutrição cai, expectativa de vida aumenta

Segundo o último relatório da FAO, organismo mundial para a alimentação, entre 1992 e 2001 os subnutridos no Brasil caíram de 18,6 milhões para 15,6 milhões, a saber, de 12% para 9% da população.

Frei Betto exultou quando tomou conhecimento superficial do relatório: “É um prêmio por apontar o Brasil como exemplo”, disse. Porém, quando se inteirou dos dados, declarou que eles estavam errados. “O país tem entre 44 milhões e 50 milhões de famintos”, reclamou.

     Comentando a imprecisão dos números desse teólogo da libertação, o jornalista Augusto Nunes observou: ele “anda cavalgando nuvens na estratosfera”.

     O fato concreto é que, entre 1990 e 2003, a disponibilidade de carne bovina em quilos anuais por pessoa passou de 26 para 36,5 (+40%). Entre 1996 e 2003, a carne de frango disponível subiu de 22,1 para 31,2 (+41%), e a de porco de 9,8 para 13,6 (+38,8%). Entre 1990 e 2000 a produção de leite subiu 36,5%. As colheitas de feijão, milho e soja cresceram, respectivamente, 16,1%, 96,6% e 238,2% entre 1990-91 e 2002-2003. O crescimento da colheita de arroz foi de 4,3%. O superávit do agronegócio ultrapassou 20 bilhões de dólares em 2003, e as compras externas tradicionais, como a de trigo, tendem a diminuir.

Enquanto isso, segundo o IBGE, em 2003 a expectativa de vida do brasileiro subiu para 71 anos, isto é, três meses a mais do que a estimativa de 2001. De 1980 para cá, a ascensão foi de 8,5 anos.

No Brasil, falar em fome generalizada, mais cheira a demagogia do que outra coisa.

Abortista condenado por abusos sexuais

Dr. Brian Finkel na prisão
Outrora, o Dr. Brian Finkel era aclamado como herói nacional pelos movimentos abortistas norte-americanos, em virtude de sua “corajosa” prática do aborto. Recentemente, foi ele condenado à prisão por 24 casos de abuso sexual. Finkel fora denunciado em 60 abusos do gênero contra 35 mulheres, cometidos em sua clínica desde 1986.

Finkel costumava permanecer em sua clínica abortista – agora fechada – usando um colete à prova de balas e uma arma para se proteger, segundo ele, dos manifestantes pró-vida. O médico abortista acusava-os de “chantagistas religiosos”, “cristãos mal-intencionados e cheios de ódio, engajados numa guerra de guerrilhas”.

Ainda hoje, Finkel pavoneia-se de ter interrompido mais de 20 mil gravidezes, num período de quase 20 anos.

A imoralidade e o crime andam de mãos dadas, embora, por vezes, esse fato seja ocultado ou disfarçado pela ação pró-abortista de certa mídia.

*     *     *

Breves Religiosas

Mais anglicanos desejam converter-se ao catolicismo

Toda uma diocese episcopaliana (anglicanos dos Estados Unidos), escandalizada pela nomeação de um bispo homossexual nessa confissão religiosa, pediu a admissão na Igreja Católica. A informação é do Arcebispo de Seattle, Mons. Alexander J. Brunett. O prelado acrescentou que o Vaticano vem recebendo “muitas mostras de mal-estar por parte dos bispos anglicanos de todo o mundo”, por causa daquela nomeação.

Os anglicanos romperam com a sucessão apostólica, e há séculos não ordenam nem sagram verdadeiramente padres ou bispos. A nomeação de sacerdotisas provocou muitas conversões dessa seita protestante ao catolicismo, inclusive de sacerdotes e bispos.

A propósito desse movimento para a conversão ao catolicismo, cabe uma observação: se a Igreja Católica não estivesse imersa na crise atual, quantas almas acorreriam a Ela — e não só anglicanos —, encontrando assim a única via de salvação!

 

Comunismo chinês ameaça católicos de Macau

O bispo emérito de Macau, D. Arquimico Rodrigues da Costa, manifestou sua preocupação pelo futuro dos católicos de Macau sob o domínio da China comunista. Portugal entregou Macau ao regime de Pequim em 20 de dezembro de 1999.

“Se o regime atual continuar no poder, não vejo que a Igreja Católica possa ter um futuro na China, a não ser como Igreja perseguida”, afirmou o prelado em Fátima durante um seminário sobre a Cristandade na China. D. Rodrigues da Costa advertiu que o governo comunista “deseja controlar tudo, inclusive as religiões”.