Janeiro de 2012
China: “Rio do câncer” produz “vilas de câncer”
A Realidade Concisamente

China: “Rio do câncer” produz “vilas de câncer”

Mineradora estatal Dabaoshan

O rio Hengshui, na pequena cidade Shangba, sudeste da China, contém tanto veneno químico que, entre 1976 e 2005, causou 270 mortes por câncer. “De início, as vítimas do ‘rio da morte’ demoravam a morrer no hospital. Mas, na década de 1980, duravam poucos meses”, explicou Zhang Lihua, 57 anos. Um marreco morria em menos de três horas. A mineradora estatal Dabaoshan é a grande causadora das “vilas de câncer” na região, mas ganhou do governo comunista o título de “empresa nacional avançada em trabalho político e ideológico”. Por muitíssimo menos, o coro onipresente do ambientalismo montaria um estrondo publicitário universal. Mas não o faz quando a China comunista está no centro do escândalo: mistério ou cumplicidade ideológica?

 

Internet abala a vida de mosteiro de clausura

No mosteiro de Notre-Dame-de-la-Plaine, norte da França, a Internet abalou a vida e a clausura das freiras bernardinas. Elas tinham a ilusão de pesquisar sobre a vida monástica, mas os temas procurados se misturaram com mundanismos. E dos mundanismos “ingênuos” passaram a beirar precipícios, reconheceu a Irmã Mary-Helen, priora-geral da Ordem. A superiora, bem imbuída do espírito pós-conciliar, preferiu fechar os olhos dizendo: “Nossas freiras não visitam sites satanistas ou pornográficos. Eu conheço mosteiros onde foi necessário instalar um controle parental (recurso para evitar sites perigosos e imorais)”. Em sentido contrário, a irmã Marie-Francis, 91, acha que com a Internet as religiosas perdem seu tempo e sua razão de ser.

 

Carro chinês bate recorde de insegurança

O CK1, sedan da montadora chinesa Geely, que deseja fabricar carros no Brasil, participou do Latin NCAP, programa de avaliação dos veículos em caso de colisão. Obteve o pior resultado e nenhuma das cinco estrelas possíveis. Até então, nenhum carro havia “zerado” na prova, cujo formato existe há décadas na Europa e EUA. Entre as realizações da Geely figura a apresentação, no Salão de Xangai 2009, de uma cópia do Rolls-Royce Phantom. Até a estatueta “Spirit of Ecstasy”, símbolo da fabricante inglesa, foi pirateada. A montadora existe há menos de 30 anos, mas já é uma das maiores da China. Em 2009 ela comprou a Volvo, da Suécia, e tornou-se um dos tentáculos do governo comunista para ir penetrando a indústria ocidental e destruindo-a, garantindo assim a supremacia chinesa.

 

Ministra francesa: “Não há islamismo moderado”

Jeannette Bougrab, ministra francesa da Juventude, declarou ao diário parisiense “Le Parisien”: “Eu não conheço islamismo moderado [...] Não há sharia light”. Sua observação coincide com a do eurodeputado Magdi Allam, convertido ao catolicismo. A ministra está alarmada com as vitórias fundamentalistas nas eleições no Marrocos, Tunísia e Egito. Para ela, a opção entre ditaduras de um lado e regimes fundamentalistas do outro, é como ter que escolher “entre a peste e o cólera”. Ela falou não como ministra, mas como “mulher francesa de origem árabe”. “Eu sou daqueles que acham que se podem proibir os partidos políticos que trazem perigo para a Constituição”. A Europa está percebendo que alimentou alegremente o monstro nascido da “Primavera Árabe”, que agora se volta contra ela de punhal na mão.

 

Brasil apontado como vilão da ecologia

Em Durban, África do Sul, mais uma conferencia mundial, a COP-17, tentou impor uma meta ambientalista radical aos 200 países participantes. A reunião começou desanimada e acabou sem medidas efetivas, embora prometendo um acordo vinculante para 2020. A China foi reconhecida como a maior poluidora da Terra, mas foi poupada por ser país “emergente”. Os EUA “capitalistas” e “consumistas” foram o saco de pancadas. O Brasil ficou na mira da demagogia. O recuo no projeto de Código Florestal foi tratado de “calamidade ecológica” e previsões “apocalípticas” pintaram o País como um vilão, ecologicamente tão “criminoso” quanto o teria sido no tempo da escravatura. Paradoxalmente, a delegação brasileira foi das mais engajadas a favor de uma agenda “verde” que pode prejudicar seriamente o País, especialmente na “Rio+20” no mês de junho de 2012.

 

Putin falsifica eleições e reprime opositores

Protesto contra a fraude eleitoral

Na Rússia, a perda de prestígio do ex-coronel da KGB, Vladimir Putin, patenteou-se em estrepitosas vaias públicas e na perda da esmagadora maioria que seu partido possuía na Duma (Parlamento). Nas eleições de dezembro, mais de cinco mil casos de fraude foram denunciados e entre 20 e 25% dos votos teriam sido fabricados. A fraude maciça foi confirmada pelos observadores internacionais e até pela secretária norte-americana de Estado, Hillary Clinton. Dezenas de milhares de oposicionistas manifestaram-se contra a falcatrua e foram reprimidos com violência; mais de 500 foram presos. Dezenas de bilhões de dólares teriam saído do país diante do sombrio panorama criado pela conduta ditatorial dos oficiais da ex-polícia política soviética.

 

Nigéria aprova lei anti-homossexualismo e Obama se enfurece

O Senado nigeriano aprovou lei que penaliza com até 14 anos de prisão o “casamento” de homossexuais e também de lésbicas. Todos os envolvidos na cerimônia poderão receber até 10 anos de pena. O povo da Nigéria é muito religioso e considera o homossexualismo um pecado. Mais de 30 países da África punem a as relações homossexuais. O presidente Obama ameaçou cortar os auxílios a esses países. Mas o governo nigeriano reagiu com dignidade, lembrando ao presidente americano que a Nigéria é soberana e livre, se rege pelo Direito, sua lei é democrática e de acordo com a sensibilidade da nação, enquanto o homossexualismo é muito ofensivo às culturas e tradições da África. “Direitos humanos”, “democracia”, “soberania” e “respeito às culturas tradicionais” são princípios que as esquerdas utilizam e fingem respeitar somente quando servem para demolir a ordem natural e cristã.

Breves Religiosas

Milagre de Nossa Senhora de Fátima emociona Portugal

Portugal ficou emocionado pelo favor insigne de Nossa Senhora aos pescadores do barco Virgem do Sameiro. O barco naufragou e os pescadores ficaram à deriva numa balsa, em alto mar, durante 60 horas. O capitão José Manuel Coentrão narrou: “Havia um Terço na balsa, que é do pescador que ainda está no hospital. Rezamos muito a Nossa Senhora de Fátima. Eu rezava em voz alta e os outros oravam em silêncio. Não tenho dúvidas de que foi um milagre”. Os náufragos aguardavam que o dono do Terço saísse do hospital para irem ao santuário. “Hoje fui à balsa buscar o Terço que quero oferecer a Nossa Senhora de Fátima e que nos ajudou a sobreviver, mandando o avião para nos salvar”, acrescentou o capitão.

 

Descobertos no Tibet antigos textos católicos

Na Paróquia de Mang Kang, única do Tibet, foram encontrados, em perfeito estado, 45 volumes das Sagradas Escrituras e 489 fascículos sobre Nossa Senhora em tibetano. Ao norte do Himalaia e tiranizado hoje pela China, o Tibet é um dos países de mais difícil acesso. O primeiro padre católico a chegar a seu solo, em plena Idade Média, foi o Beato Pe. Odorico Mattiuzzi de Pordenone (1265-1331), grande colaborador do Beato Giovanni da Montecorvino, Arcebispo de Pequim. No século XVII chegaram os padres jesuítas, muitos dos quais sofreram o martírio. No século seguinte, os missionários lazaristas foram perseguidos pelo Dalai Lama, chefe do péssimo budismo local. No século XIX, os Padres das Missões Estrangeiras de Paris estabeleceram ali as raízes do catolicismo. Sete deles foram martirizados, juntamente com 11 fiéis tibetanos. A Revolução Cultural maoísta, tão ao gosto do “comuno-progressismo”, expulsou os sacerdotes, que estão voltando e continuando o apostolado. Se não fosse a Revolução anticristã e a subversão no interior da Igreja, até onde a pregação do Evangelho não teria chegado?