Fevereiro de 2005
Líderes sem-teto extorquiam famílias pobres
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
A Realidade Concisamente

Líderes sem-teto extorquiam famílias pobres

Cinco líderes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto da Região Central (MTST-RC) de São
Bandeira do MTST
Paulo comandavam um esquema de extorsão, ameaças e lesão corporal. Foram descobertos pelo Ministério Público Estadual e a Polícia Civil. Eles induziam famílias pobres a invadir edifícios e depois lhes extorquiam dinheiro, vendendo-lhes os apartamentos invadidos ou cobrando aluguéis. Os inadimplentes apanhavam fisicamente ou eram ameaçados de morte. O principal mandante do esquema era Hamilton Silvio de Souza, ex-candidato a vereador pelo PT e ex-assessor do vereador José Américo (PT).

Eis aí um sintoma de métodos ilegais e violentos do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto, que apresenta analogias com os empregados pelo MST.

Cultura de uvas desmente exageros ecologistas

A propaganda ecologista sobre o “aquecimento da Terra”, atribuído ao progresso material, recebeu mais
um desmentido.

Os registros paroquiais na Borgonha, França, guardam cuidadosamente as dadas das festas ligadas à vindima, desde a Idade Média. Como não mudaram a uva – da casta pinot noir –, os lotes e os métodos de cultura utilizados no decorrer dos séculos, esses registros fornecem um critério imutável e imparcial para se deduzir as temperaturas anuais. Assim, os cientistas constataram que a temperatura média do verão de 1370 foi maior que a de 2003. E que, a partir daquela data, houve oscilações para mais e para menos. O alarmismo ecologista, acentuado após a onda de calor que atingiu a França em 2003, sofreu contundente desmentido.

Descrédito mundial de instituições públicas

Segundo a opinião pública mundial, os partidos políticos são as instituições mais corruptas do mundo. Na
Plenário do Senado brasileiro
triste lista, vêm logo a seguir os parlamentos, a polícia e o Poder Judiciário. Esses dados são extraídos de uma pesquisa realizada pelo instituto Gallup, que ouviu 50.000 pessoas em 64 países, publicados pela organização Transparência Internacional, em Paris.

O que será do mundo atual, se suas instituições não deixarem de dar fundamento para essa péssima imagem de si mesmas?

Processado ministro que falsificou cifras de abortos

O ministro da Saúde argentino, Ginés González García, falsificou o número provável de abortos anuais no
Ao centro, o ministro argentino Ginés Gonzáles García
país, para obter a despenalização desse crime abominável. Ele falou em 500.000 abortos anuais, quando as estatísticas oficiais do seu Ministério permitem supor, no máximo, 50.000 casos. A associação Portal de Belém — que mantém albergues para “mães solteiras” ou abandonadas — denunciou o ministro pelo “não cumprimento de deveres de funcionário público” e “intimidação da população, da Corte Suprema e do Congresso”. A Justiça Federal argentina acolheu a denúncia.

Em todos os países as táticas abortistas são as mesmas. E as fraudes, também...

Site do MEC acusado de “distorção marxista”

O
Ministério da Educação mantém o site Domínio Público, que dá acesso gratuito a textos, imagens e músicas considerados clássicos da cultura. Mas, dos 166 títulos dessa biblioteca, 86 são a respeito ou de autoria de intelectuais esquerdistas. Autores de outras tendências doutrinárias não foram incluídos. Figuram pelo menos 21 textos de Karl Marx, nove do seu íntimo colaborador Friedrich Engels, quatro assinados pelos dois, e dos revolucionários comunistas Lênin e Trotsky, 12 e 15 textos respectivamente. Há uma “distorção marxista”, comentou a respeito do assunto o cientista político Fábio Wanderley Reis, da UFMG.

Breves Religiosas

Progressismo católico prejudica Natal na Itália

O Natal agoniza na Itália por causa do ecumenismo. Em cidades como Treviso, diretores e professores trocaram as encenações natalinas por outras sobre a historieta infantil Chapeuzinho vermelho. Na cidade de Como, foi retirado o nome santíssimo de Jesus dos vilancicos, as canções de Natal. Tudo isso foi feito a pretexto de não magoar os alunos maometanos, cujo número cresce com a imigração.

O absurdo dessa posição antinatalina de progressistas católicos fica patente quando se sabe que os alunos muçulmanos gostam do Natal italiano. O ímã (chefe religioso islâmico) de Milão tampouco deseja mudar as celebrações natalinas católicas. De fato, a causa da crise do Natal na Itália não provém dos islâmicos, mas principalmente do progressismo, que vem depredando a Igreja católica.

Anglicanismo: crise aprofunda-se

A chamada igreja anglicana está “no limite da implosão”, declarou o arcebispo anglicano de York, David Hope, ao jornal “The Telegraph” de Londres. A causa da séria crise
David Hope, arcebispo anglicano
que abala a instituição é o generalizado desacordo interno, devido à sagração de um bispo homossexual e à ordenação de mulheres. O anglicanismo surgiu quando o rei inglês Henrique VIII rompeu com Roma, no século XVI, porque queria divorciar-se para contrair novas núpcias, o que é proibido pela doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo. Os bispos de então, já muito decadentes, o acompanharam em sua revolta. Uma vez feita essa concessão à sensualidade, a igreja anglicana cismática e herética foi descambando até atingir as atuais ignomínias.

 

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão