Junho de 2012
Descobertos imensos aquíferos de água doce no Saara
A Realidade Concisamente

Descobertos imensos aquíferos de água doce no Saara

Mapa geológico feito por cientistas britânicos mostra a existência de uma “descomunal reserva de água subterrânea” debaixo do Saara. O volume de água atingiria 500 quatrilhões de litros, suficientes para alimentar a cidade de São Paulo durante 4.453 anos sem reposição do aquífero. O volume é cem vezes maior do que toda a água da superfície africana. As reservas atenderiam às necessidades de mais de 300 milhões de africanos, incluindo a agricultura, segundo cientistas da British Geological Survey. O catastrofismo ambientalista insiste que a água doce vai acabar no planeta, mas não tem ideia da água existente sob seus pés...

 

200 mil pessoas agonizam em gulags da Coréia do Norte

Duzentos jornalistas estrangeiros foram convidados a admirar, sob estrita vigilância, as realizações do socialismo norte-coreano, inclusive seu centro espacial. Dentro de um luxuoso trem eles puderam contemplar encenações cuidadosamente montadas de assentamentos da reforma agrária. O emissário especial dos EUA para os direitos humanos na Coréia do Norte, Robert King, advertiu os jornalistas: “Os coreanos do Norte não vão lhes permitir ver o que acontece nos campos de concentração”. E enquanto os repórteres se regalavam com lautos menus, em Washington foi apresentado espantoso relatório sobre o gulag norte-coreano: 200 mil homens, mulheres e crianças vivem como escravos, encarcerados sem julgamento ou vítimas de processos iníquos. Do tamanho de cidades, esses campos de concentração têm “distritos de controle total” onde os prisioneiros “irrecuperáveis” permanecem até morrer. Apenas três pessoas já conseguiram fugir.

 

Milão: mais sobrenomes chineses do que italianos

Na Itália – onde, a exemplo do Brasil, os nascimentos já não repõem os falecimentos –, a crescente imigração chinesa legal e ilegal vai ocupando os vazios abertos pela limitação da natalidade. Nos registros da prefeitura da rica e populosa cidade de Milão, o sobrenome Rossi ainda ocupa o primeiro lugar, mas é logo seguido por Hu. Os 15 sobrenomes mais registrados naquela prefeitura são: Rossi, Hu, Chen, Brambilla, Zhou, Wang, Wu, Lin, Zhang, Fumagalli, Liu, Zhao, Li, Zhu e Zheng. Mas não são os únicos nomes estrangeiros. Mohamed, Ahmed e Ibrahim estão entre os que crescem, refletindo a imigração de países islâmicos. Na vida real, os chineses dominam os camelôs ilegais, as lojas sem registro e as fábricas clandestinas.

 

Desastre deixa capital estadual venezuelana sem água

A infraestrutura petrolífera da Venezuela cai aos pedaços desde que os técnicos da estatal de petróleo PDVSA foram substituídos por adeptos fanatizados do caudilho Hugo Chávez. Na cidade de Jusepin um oleoduto rachou, derramando 12 milhões de litros de petróleo no rio Guarapiche e provocando a “maior catástrofe mundial ocorrida em água doce” (foto), segundo especialistas. A cidade de Maturin (400.000 habitantes), capital do Estado de Monagas, ficou sem água potável. O governo silenciou a catástrofe. O governador do Estado, Gregorio Briceño, foi suspenso do partido chavista por “fraqueza ideológica”. Ele não quis autorizar a retirada de água do rio por temor de que ela pudesse intoxicar a população. Sob o regime socialista, a Venezuela, um dos países naturalmente mais ricos da América Latina, afunda na miséria como Cuba e dilapida a fonte de sua prosperidade.

 

Pai da “hipótese Gaia” se retrata de seu alarmismo

James Lovelock (foto), criador da hipótese segundo a qual a Terra seria um organismo “vivo” apelidado “Gaia”, admitiu que foi “alarmista” a respeito de “mudança climática”. Ele afirmou que outros ambientalistas famosos, como Al Gore, incidiram no mesmo erro. Em 2006, Lovelock escreveu que “antes do fim deste século bilhões de homens terão morrido e os poucos casais que sobreviverem ficarão no Ártico, onde o clima ainda será tolerável”. Agora, explicou: “O problema é que não sabemos o que é que o clima vai fazer. Há 20 anos nós achávamos que sabíamos. Isso nos levou a escrever alguns livros alarmistas — o meu inclusive — porque parecia evidente, porém não aconteceu”. Ambientalistas só puderam concordar, embora desanimados, com o mea culpa do guru. A crença nessas hipóteses está cada vez mais desacreditada, salvo entre os fanatizados pela Rio+20.

 

Apresentador de TV chinesa denuncia iogurtes contaminados

Zhao Pu, apresentador habitual de programas vespertinos da TV estatal chinesa CCTV, desapareceu após alertar contra iogurtes adulterados. Em 9 de abril, Zhao denunciou em seu microblog (equivalente ao Twitter) a gelatina tóxica presente em iogurtes e outros alimentos. Foi o último dia em que ele apareceu nas telas. A CCTV nada informa sobre o seu paradeiro. A mensagem de Zhao foi reenviada 130.000 vezes, antes de ser apagada pela censura socialista. A segurança alimentar é tema candente na China, após sucessivas intoxicações coletivas acobertadas pelo regime marxista. O fatídico leite em pó para crianças, adulterado com melamina, matou centenas delas e intoxicou centenas de milhares de bebês dentro e fora do país.

 

Presidente de Gâmbia rejeita condutas homossexuais

“Preferimos comer capim que aceitar as condutas homossexuais, atitudes más que são contra Deus, contra o homem e contra a Criação”, respondeu Yahya Jammeh, presidente de Gâmbia, às ameaças de cortes nas ajudas alimentícias feitas pelos EUA. A secretária de Estado americana, Hillary Clinton, havia declarado que os “direitos homossexuais” e os “direitos humanos” são “uma só e mesma coisa”. E o premiê britânico David Cameron havia ameaçado países africanos com represálias. Porém, líderes políticos e religiosos de diversos países desse continente repudiam as ameaças. Segundo Jammeh, a lei de Gâmbia está solidamente enraizada na cultura e na religião do país, e a admissão de condutas homossexuais compromete a dignidade da nação e “insulta a Deus”. Até pagãos e islâmicos como Jammeh revelam possuir mais moralidade do que os ocidentais que renegaram Jesus Cristo e sua Igreja.

 

Repugnantes experiências com células de fetos abortados

A PepsiCo desistiu de procurar novos sabores utilizando células abortivas com o fim de desenvolver aromatizantes para suas bebidas. A decisão foi tomada após milhares de pessoas aderirem ao boicote promovido pelo grupo anti-aborto Children of God for Life e 34 outras associações pró-vida. De início, o “gigante” do setor de bebidas pareceu não ter dado tanta importância ao “anão” representado por esses grupos. Mas depois “jogou a toalha”. Os grupos manifestaram seu contentamento e receberam com cortesia o anúncio feito pela Pepsi. As abjetas experiências com células de fetos abortados eram efetuadas pela empresa Senomyx, contratada pela Pepsi. Até mulheres que praticaram o aborto mostraram-se horrorizadas com elas.

Breves Religiosas

Anglicanos aderem ao catolicismo

Os anglicanos se voltam cada vez mais para o catolicismo, constituindo já um “êxodo”. A cada mês, dezenas de pastores e centenas de fiéis abandonam a falsa Igreja da Inglaterra, assustados pela introdução de sacerdotisas e, proximamente, de “bispas” lésbicas. Segundo diversas pesquisas, metade dos anglicanos aprova o retorno à Igreja Católica. O salutar “contágio” estende-se a luteranos da América do Norte e da Escandinávia, que pediram para serem acolhidos pela Igreja Católica num Ordinariato semelhante ao dos ex-anglicanos. Estas conversões trazem “consequências negativas para o diálogo ecumênico e inter-religioso”, alegam fontes “progressistas” católicas, como se esta razão tivesse mais importância que a salvação de incontáveis almas afundadas nas trevas do cisma e da heresia.

 

Expansão do catolicismo na Coreia do Sul

Na Coreia do Sul, a população passou de 23 para 48 milhões entre 1960 e 2010. Os católicos crescem aproximadamente 3% ao ano, perfazem 11% (5,5 milhões) da população, e podem chegar a 20% em 2020. Nesse período, os sacerdotes católicos coreanos aumentaram de 250 para 5.000. Mais de dois terços deles têm menos de 40 anos. Em 2011 foram batizados 134.562 catecúmenos, incluindo mais de 100.000 adultos que repudiaram o budismo. A Igreja Católica teve inicio na Coréia com alguns nobres que se converteram em Pequim no século XVIII. Retornando à sua pátria, os aristocratas coreanos propagaram a fé verdadeira. Os missionários só chegaram ao país em 1836, encontrando o terreno muito bem preparado para a boa nova. Houve ferozes perseguições e muitos martírios, mas o exemplo dos nobres foi empolgante, causando grande admiração. Muitos deles foram elevados à honra dos altares. Ainda hoje as elites sociais coreanas desempenham papel decisivo na expansão do catolicismo.