Maio de 2003
Acolhimento triunfal à Virgem de Fátima
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Fatima

Acolhimento triunfal à Virgem de Fátima

Há 50 anos, multidões inteiras vibraram com a solene visita de sua Imagem ao Brasil. “Foi uma explosão de entusiasmo”



  • Helvécio Alves

Multidão recepciona Imagem Peregrina em Campos (RJ), no ano de 1953

Em todos os estados brasileiros, ainda há muitos que guardam vivíssima recordação da vinda da Imagem Peregrina de Nossa Senhora de Fátima à nossa Pátria em 1953. Era uma das quatro imagens peregrinas esculpidas em 1946, em cedro brasileiro, pelo escultor português José Ferreira Thedim, segundo orientação direta da irmã Lúcia, a única sobrevivente dos três pastorinhos de Fátima. Essa vidente, quando pela primeira vez viu a imagem já inteiramente pronta, afirmou que: “estava muito parecida, tudo estava muito bem imitado, mas que Nossa Senhora era ainda mais bonita, porque Ela era branca, mas um branco que dava luz”.

Outra imagem esculpida pelo mesmo artista é a que verteu lágrimas miraculosamente em Nova Orleans (EUA), em 1972, a qual tem sido objeto de várias matérias em nossa revista.

Já então, a Imagem da Virgem de Fátima percorria países  dos cinco continentes — nestes 50 anos, ela já peregrinou pelo mundo inteiro — e sua visita ao Brasil foi cheia de bênçãos. Ela foi triunfalmente recepcionada em todos os Estados, sendo essa peregrinação ocasião de inúmeras graças, afervoramento na piedade, e mesmo de conversões.

Espetáculo maravilhoso

Ecos daqueles longínquos dias ainda reboam no presente. Comprovam isso, por exemplo, as palavras enlevadas, em recente depoimento, de Da. Maria do Carmo, assinante de Catolicismo e participante ativa da Campanha Vinde Nossa Senhora de Fátima, não tardeis!, residente no Rio de Janeiro:

            “Aquela vinda da Imagem Peregrina foi ocasião para uma das maiores graças de minha vida. Devo a essa graça minha religiosidade, e meus filhos e netos são consagrados a Nossa Senhora de Fátima devido a isso. Naquela época, eu tinha apenas 15 anos e morava em Campos, no norte fluminense, mas o empolgamento que houve na recepção da Imagem é algo que nunca se apagará de minha memória. Todo mundo se lembra daqueles dias: aonde a Imagem ia, sempre acompanhada de uns pombinhos, ela arrebanhava multidões de fiéis.

Quem não viu, não pode ter idéia, pois foi uma recepção... O que dizer? Não tenho palavras suficientes para descrever aquela visita da Imagem, a não ser dizer que houve uma explosão de entusiasmo. Foi um espetáculo maravilhoso, foi muito emocionante e numa época em que a fé transbordava. Mas esse fato dá-nos uma lição, nos levando a   confiar que retomaremos esse grau de fé. E nisso devemos confiar, mesmo quando pareça absurdo confiar”.

*     *     *

Em comemoração do transcurso das cinco décadas da inesquecível visita daquela imagem da Rainha do Céu a todos os brasileiros, reproduzimos a seguir um extraordinário artigo de Plinio Corrêa de Oliveira, escrito especialmente para Catolicismo, em maio de 1953. Um artigo redigido há meio século, mas de uma atualidade impressionante, e de modo  particular muito conveniente para este mês de maio, dedicado a Maria Santíssima. O autor analisa a grande crise de nossos dias, à luz das revelações de Fátima — o acontecimento capital do século XX.

1 | 2 | 3 Continua
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão