Março de 2001
Nossa Senhora, a ponte para o Céu
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Página Mariana

Nossa Senhora da Ponte,
Padroeira de Sorocaba
Quem não precisou, em determinado momento da vida, passar por algum obstáculo que, por suas próprias forças, não conseguiria transpor? E quem melhor do que Nossa Senhora para nos auxiliar a transpor os abismos que defrontamos em nossa vida? Assim como as pontes nos possibilitam atravessar obstáculos geográficos, Maria Santíssima é a ponte que nos conduz ao Céu.

Valdis Grinsteins

Nossa Senhora da Ponte, Padroeira de SorocabaPosso garantir que a devoção a Nossa Senhora da Ponte é natural surgir. Já tive que passar, em minhas numerosas viagens, por mais de uma ponte cambaia que, sujeita à erosão do tempo, a relaxamentos etc, mantinha-se de pé não se sabe como. Por vezes, em viagens, os minutos desagradáveis foram aqueles em que, transpor um rio escuro, pensei na morte que poderia chegar a qualquer momento, enquanto observava as rodas do veículo girando sobre a madeira apodrecida da ponte...

Se isto acontece em nossa época de engenharia avançada, concreto e aço, podemos facilmente imaginar, nos longínquos tempos passados, o que era atravessar uma ponte! Não falo daquelas pontes romanas de pedra, grandiosas e imponentes, mas de pontes em estradas meio invadidas pelo mato. A viagem podia terminar trágica e repentinamente... Então, era bem o caso de invocar: Nossa Senhora da Ponte, socorrei-me!

Tal súplica surge naturalmente. Entretanto, apesar de existir em muitos países essa invocação, quase ninguém conhece sua origem.

Surgiu essa devoção devido apenas a fatos desse gênero? Ela nada mais nos ensina? Não representa algo mais?

Nossa Senhora, ponte que conduz ao Céu

Certas imagens servem muito bem para descrever fenômenos espirituais. Uma surpresa desagradável, por exemplo, pode assim ser expressa: "Fiquei como se me tivesse caído um raio!" Um deserto representa adequadamente a aridez na vida espiritual; um vulcão em erupção, a cólera; um mar revolto, a fúria etc. E os objetos que nos auxiliam a vencer os obstáculos naturais são igualmente invocados na vida espiritual. Por isso dizemos que tal graça recebida foi como "um copo de água no deserto"; tal idéia foi "como luz nas trevas" etc. Donde ser natural que uma ponte lembre os auxílios recebidos para transpor obstáculos insuperáveis ou dificilmente superáveis.

Quis Deus, na sua sabedoria divina, que no decurso desta vida passássemos por situações de angústia e aperto realmente aflitivas. Muitas vezes, uma situação permitida pela Providência Divina visa a nos ensinar a ter confiança. Por vezes, é para quebrar em nós o ateísmo-prático e mostrar-nos que, sem Deus, sucumbimos: "Sem Mim nada podeis fazer", diz Nosso Senhor na Sagrada Escritura.

Deus estabeleceu que sua Mãe Santíssima exercesse um papel-chave em nossa salvação. Por isso, a idéia de ser Nossa Senhora uma ponte que nos auxilia a chegar ao Céu surge espontaneamente ao espírito do católico. A idéia da ponte aparece exatamente nas ocasiões mais difíceis de nosso caminho, especialmente no momento da morte, em que horizontes opostos e definitivos abrem-se para nós: Céu ou inferno eternos. Comparar o inferno a um imenso e profundo rio de fogo é fácil, como também o Céu a uma bela montanha com panoramas esplêndidos. Nada mais natural que comparar Nossa Senhora a uma ponte, protegendo-nos na travessia de um rio traiçoeiro e levando-nos aos mais altos panoramas.

Nascimento de uma devoção

Muitas vezes, surgem situações nas quais as pessoas pedem a proteção materna de Nossa Senhora sem pensar em realidades etéreas e metafísicas. E, por vezes, isso pode ocorrer ao se transpor uma ponte, uma vulgar e despretensiosa ponte.

Por exemplo, na França medieval, no século XII, o seguinte episódio deu origem à devoção conhecida como Notre Dame du Pont (Nossa Senhora da Ponte).

Em 1198 o Rei Felipe Augusto, da França (avô de São Luiz IX), foi socorrer a cidade de Gisors, cercada por seu rival, o Rei da Inglaterra Ricardo Coração de Leão. Conseguiu Felipe Augusto passar entre as tropas inimigas para entrar na cidade. Mas, no momento em que atravessava a ponte sobre o rio Epte, esta cedeu sob o peso do exército e o Rei caiu na água. Cair num rio portando pesada armadura não é situação invejável... O Rei invocou Nossa Senhora e conseguiu chegar salvo à margem. Para agradecer à Virgem Santíssima, mandou dourar uma imagem de Nossa Senhora, que colocou na nova ponte à entrada da cidade. Nasceu assim uma devoção.

Desconhecemos como terá surgido a invocação de Nossa Senhora da Ponte em Saint-Junien-sur-Vienne, na diocese de Limoges (França). Esta é antiga, pois o Rei francês Luiz XI foi duas vezes lá em peregrinação, já em 1465.

Em Portugal existe uma cidade chamada Ponte de Lima, a qual pode bem ter nascido próximo à ermida que havia junto à ponte que cruza o rio.

Também na cidade de Villarica, no Paraguai, existia uma devoção de Nossa Senhora da Ponte.

Devoção de Nossa Senhora da Ponte em Sorocaba

Fachada da Catedral de Sorocaba, em cujo altar-mor é venerada a bela imagem de Nossa Senhora da Ponte, Padroeira da cidadeEm 1590, foi construída uma ponte na região de Sorocaba, Estado de São Paulo, para dar passagem à expedição de Afonso Sardinha, a qual visava explorar as minas de ferro do morro de Ipanema. A expedição acabou fundando uma cidade que não vingou. Mas a ponte ficou, e lá estava quando veio Baltazar Fernandes, de Sant'Ana do Parnaíba, com sua família, colonos e escravos. Ele fixou-se na região, surgindo então a atual cidade de Sorocaba.

Baltazar Fernandes levou uma imagem de Nossa Senhora. Para a cultuar devidamente, construiu uma capela dedicada a Nossa Senhora da Ponte. Talvez seja a mesma capela que ainda existia em 1820, junto a uma velha ponte de madeira que atravessava o rio Tietê, perto do salto de Itu.

Por que essa imagem intitulava-se da Ponte? Por estar junto à ponte de madeira? Ou possuía Baltazar Fernandes uma cópia da imagem portuguesa de Ponte de Lima? Nada ficou registrado. Pode também ser ela cópia da imagem paraguaia, pois o vigário da cidade de Villarica era muito amigo do fundador de Sorocaba, cuja esposa era oriunda de família espanhola. Seja como for, a invocação a Nossa Senhora da Ponte ficou conhecida e permanece até nossos dias.

Quem ainda hoje visita a atual Catedral da cidade, encontra uma imagem barroca do século XVIII, muito provavelmente de origem portuguesa, que representa Nossa Senhora de pé, tendo o Menino Jesus em seu braço esquerdo. Quantas pessoas já invocaram a Virgem Santíssima diante dessa imagem! E a quantas ela terá ajudado a transpor a ponte da eternidade!

Uma caraterística das obras católicas é de serem belas e práticas. E se uma ponte nos lembra Nossa Senhora, o que pode haver de mais belo e mais prático?
________________

Fontes de referência:

- Marquis de la Franquerie, La Vierge Marie dans l'histoire de France, Paris, 1939.

- Nilza Botelho Megale, Cento e doze invocações da Virgem Maria no Brasil, Ed. Vozes, Petrópolis, 1986.

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão