Setembro de 2005
Descoberta arqueológica confirma autenticidade do Evangelho
A Realidade Concisamente

Bin Laden, o continuador de Lenine

S
audosistas marxistas comemoraram na Rússia o 80º aniversário da morte de Lenine. Houve passeatas e discursos. Alexander Projanov, escritor e co-presidente da União Patriótica da Rússia, fez uma exaltação do sanguinário líder da revolução bolchevista de 1917. Nela destacou que o herdeiro atual de Lenine é Bin Laden. Segundo a agência EFE, para Projanov “toda a rebelião radical muçulmana contra a globalização é uma idéia das esquerdas pintada de verde islâmico”. Por isso mesmo, acrescentou, o legado leninista continua vivo e atuante.

Descalabro e anarquia no interior da China comunista

Camponeses bloquearam o acesso à fábrica de Kunming, Yunnan
A
s revoltas camponesas na China são cada vez mais violentas e generalizadas. O socialismo não consegue garantir a subsistência alimentar, e a desastrada industrialização multiplica os protestos, informou o diário “Le Monde” de Paris. Nas aldeias de Yiwu, província de Zhejiang, conhecidas como “a cidade do câncer”, a população expulsou mais de 3.000 policiais que tentavam recuperar 13 fábricas químicas paralisadas pelos protestos. “Todo o mundo estava com os olhos vermelhos. Tínhamos vontade de vomitar”, disse uma mulher. As crianças nasciam disformes. Centenas de veículos foram destruídos pela população indignada diante da brutalidade e da inépcia da política econômica comunista.

Populares letões dispersam passeata homossexual

Na primeira marcha denominada de “orgulho homossexual” em Riga, capital da Letônia, os manifestantes homossexuais — por volta de 100 — precisaram fugir de ônibus, face à indignação popular, embora tivessem autorização oficial e grande cobertura policial. A manifestação acabou sob uma chuva de ovos e outros objetos. Os letões estão etnicamente muito divididos, mas o repúdio dessa marcha fez com que os grupos opostos esquecessem suas rivalidades. Muitos políticos mudaram de posição, percebendo o mal-estar da população, e reprovaram aquela manifestação em favor da sodomia, informou o semanário “Baltic Times”. O Cardeal da Letônia, Janis Pujats, qualificou a passeata de “exibicionismo de pecado”, e acrescentou: “Na era soviética enfrentamos o ateísmo que oprimia a religião; agora estamos numa era de ateísmo sexual”.

Passeata homossexual feita por ódio à Igreja

A
pós impressionante passeata contra o “casamento” homossexual, ocorreu em Madri a “marcha do orgulho homossexual”, muito inferior em número, mas prestigiada por um ministro e vários líderes socialistas. “Que a Igreja cale a boca”, foi um dos slogans insultantes bradados pelos manifestantes. Homossexuais fantasiados de Nazareno, de Nossa Senhora, de Papa, de cardeais e de freiras parodiaram procissões e cerimônias religiosas, despejaram uma torrente de blasfêmias e ameaças carregadas de ódio contra a família, instigaram as pessoas a apostatarem da Religião Católica. O fundo anticristão da ofensiva homossexual aflorou nessa ocasião em toda a sua verdadeira dimensão.

Empresas européias financiam repressão comunista

Desenho animado produzido pela empresa nortecoreana SEK
P
rodutores de filmes de desenhos animados da Espanha, Itália e França contrataram a agência de propaganda da ditadura marxista da Coréia do Norte “SEK” para elaborar os seus filmes. Desta maneira, a máquina de repressão comunista norte-coreano — uma das mais sanguinárias da História — obtém financiamento extra. Os contratos dão oportunidade para a difusão no Ocidente dos “valores morais” do regime, que mantém milhões de pessoas passando fome para “economizar” e produzir a bomba atômica, e ameaçar o vizinho Japão e mesmo os EUA!

Imigração muçulmana foi danosa, concluem europeus

Terroristas islâmicos entram no metrô de Londres no dia do ataque
S
omente 12% dos cidadãos britânicos muçulmanos se consideram britânicos e 88% preferem dizer-se membros da comunidade islâmica mundial. Além do mais, 21% dos muçulmanos com passaporte inglês não querem cooperar na procura dos terroristas, segundo enquête da “Sky News”. Segundo o “Corriere della Sera” de Milão, os resultados são ainda mais preocupantes. Ernesto Galli della Loggia, editorialista desse periódico milanês, afirmou: “Notícias como estas jogam uma espessa sombra de dúvida sobre toda a estratégia [...] de adoção de políticas generosas de integração e cidadania em relação aos imigrantes islâmicos”.

Descoberta arquológica confirma autenticidade do Evangelho

A
rqueólogos da Universidade de Haifa descobriram as ruínas da piscina de Siloé, onde Nosso Senhor Jesus Cristo curou um cego de nascimento. Foi uma nova confirmação da historicidade e autenticidade do Evangelho de São João. Estudiosos progressistas afirmavam que a piscina fora uma invenção desse evangelista, e que seu Evangelho era puramente espiritual, sem nenhuma base histórica. Eli Shukron, do insuspeito Israel Antiquities Authority, garantiu estar “100% certo” de que se trata da piscina da qual falam os Evangelhos.

* * *

Breves Religiosas

Perseguição anticatólica aumenta na China vermelha

Bispos da chamada “Igreja católica patriótica” chinesa — cisma dependente da ditadura marxista de Pequim — vêm dando sinais de querer aproximar-se da Santa Sé. Porém a polícia chinesa continua prendendo o clero fiel a Roma, o qual é contrário ao cisma. A agência vaticana “Asianews” informou que o bispo de Hebei (norte do país), Dom Júlio Jia Zhigou, foi detido pelo governo comunista sob pretexto de “controles médicos”. A polícia o libertou pouco depois. Foi a sua segunda detenção em duas semanas, visando arrasá-lo psicologicamente. De seus 25 anos como bispo, Dom Júlio passou 20 no cárcere e quase todo o restante em prisão domiciliar. Outros 18 bispos católicos e 29 sacerdotes estão atualmente encarcerados ou desaparecidos no país. A política de distensão com o governo marxista chinês, na prática, em nada parece arrefecer a perseguição anticatólica. E pode vir a desanimar os bons católicos.

Pantomima de ordenação de mulheres acaba em excomunhão

  Uma mulher foi “ordenada” sacerdotiza, numa pantomima blasfema e inválida, por três “bispas” pseudo-católicas, num barco em Lyon (França). As denominadas “bispas” dizem que foram “sagradas” por bispos católicos, fato que em nada mudaria a invalidade intrínseca da administração do Sacramento da Ordem a mulheres. O público desdenhou da paródia da “ordenação”, mas havia, na ocasião, uma multidão de jornalistas e fotógrafos... A pseudo-cerimônia caricaturizou o cerimonial tradicional da Igreja sob o slogan “Igualdade”. A mulher “sacerdotiza” acabou excomungada pelo Cardeal de Lyon.