Fevereiro de 1994
Inverdades desinibidas
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Destaque

Destaque

Inverdades Desinibidas

Faz parte do quotidiano de nosso pobre Brasil de hoje que urna série de afirmações vão sendo feitas de modo insistente e desinibido. Tornam-se elas moeda corrente, sendo mal visto contraditá-las ... e no entanto nada mais são do que inverdades. Não é pequeno o papel da mídia nesse processo.

Vez por outra, contudo, cientistas ou pesquisadores sérios resolvem estudar os fatos. E chegam a conclusões inesperadas para os que haviam embarcado em alguma dessas inverdades desinibidas.

Vejamos só dois exemplos.

Fala-se do desmatamento da Amazônia como se estivesse sendo praticado numa proporção tal, que se transformaria numa espécie de tragédia ecológica.

Entretanto, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) demonstrou que de 1978 a 1988 o desmatamento da Amazônia foi quatro vezes menor do que se dizia. E de

1988 a 1992, caiu ainda de 50%. Essa constatação do INPE foi agora confirmada por estudos feitos pela NASA, usando a mais moderna tecnologia.

A esse respeito, o ministro da Ciência e Tecnologia, Israel Vargas, comentou:

"Está demonstrado que os dados usados pela F AO (Organização para a Agricultura e Alimentação, da ONU) e por organizações não governamentais (ONGS) estavam errados" ("Jornal do Brasil", 15-10-93).

Outra afirmação insistente e desinibida é a de que, em nossa Pátria, os pobres. estão cada vez mais pobres.

Ora, a pesquisadora Sônia Rocha, do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), afirmou na reunião da Associação Nacional dos Pós-graduados em Ciências Sociais (Anpocs) que "o número de miseráveis brasileiros não seguiu o crescimento dos índices recessivos". Ou seja, diminuiu.

"A pesquisadora tocou em privilégios [da demagogia] há muito adquiridos" ("A indústria da fome" , in "O Estado de S. Paulo" , 28-10-1993).

A primeira "verdade inquestionável" que caiu por terra com a pesquisa" foi a de que há no Brasil 35 milhões de mineráveis urbanos" .

Ela provou que "se em 1981,29,1% da população total residente em nove regiões metropolitanas estava abaixo da linha de pobreza, em 1990 este número regredira para 28,9%" .

Moral da história: Cuidado com as afirmações da demagogia.

Ela provou que "se em 1981,29,1% da população total residente em nove regiões metropolitanas estava abaixo da linha de pobreza, em 1990 este número regredira para 28,9%" .

Moral da história: Cuidado com as afirmações da demagogia.

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão