Fevereiro de 2017
Jovens que mudam a história
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Ação Contra-Revolucionária - 2

Jovens que mudam a História!

 

        Fábio Augusto Ferreira

No ano de 1414, três jovens príncipes, Dom Duarte, de 23 anos, Dom Pedro, de 22, e Dom Henrique, de apenas 18, convenceram seu pai, Dom João I, rei de Portugal, a conquistar a cidade de Ceuta, ao norte da África. A vitória, além de uma conquista para a Cristandade, era a prova de que esses três infantes mereceriam ser armados cavaleiros. A intrepidez deles mudou a história do mundo. A expansão do Cristianismo através dos mares, o descobrimento do Brasil, a conversão de inúmeros pagãos e a quebra da principal fonte econômica dos muçulmanos não foram senão consequências do heroísmo desses três jovens.

Por isso mesmo, Dom Afonso Henriques, São Nuno Alves Pereira, Vasco da Gama e outros heróis católicos de Portugal foram apresentados aos jovens participantes do 8º Simpósio promovido pelo Instituto Plinio Corrêa de Oliveira como modelos a serem seguidos.

Este ano, o encontro ocorreu na cidade de Joanópolis (SP), entre os dias 5 a 10 de janeiro, e contou com a presença de 80 jovens provenientes de alguns estados do Brasil.

Enquanto as reuniões versavam sobre os referidos heróis e suas epopeias em defesa da Cristandade, todas as tardes realizavam-se jogos que motivassem o espírito de luta e cavalheirismo. O programa também contou com a participação de dois sacerdotes que celebraram a Santa Missa no rito tradicional da Igreja e ministraram sacramento da Confissão aos que o desejassem, além da imposição do escapulário de Nossa Senhora do Carmo.

Heroísmo não só na teoria, mas também na prática. Durante a programação, os participantes foram convidados a realizar no centro de Joanópolis uma campanha para combater os inimigos da fé nos dias atuais. Enquanto uma fanfarra chamava a atenção do público, os jovens percorriam a cidade recolhendo assinaturas e difundindo obras contra o aborto. Tal foi o entusiasmo dos que pela primeira vez se lançavam no combate, que muitos se prontificaram a participar da próxima caravana do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira, que iniciaria logo em seguida aos dias de simpósio.

O encerramento do Simpósio ocorreu durante um jantar com pratos típicos de Portugal e teve o privilégio da ilustre presença do Príncipe Imperial do Brasil, Dom Bertrand de Orleans e Bragança, descendente dos santos e guerreiros que foram tema daqueles dias de estudos em Joanópolis.

 

  

  

Nas fotos, várias das atividades desenvolvidas durante os dias de Simpósio

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão