Janeiro de 2013
Socialistas desarmam o Ocidente enquanto a Rússia se arma
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
A Realidade Concisamente

 

Há 16 anos que o “aquecimento global” não aumenta

Desde o início de 1997 até agosto de 2012 não houve aumento algum nas temperaturas globais, revelou o Met Office — Serviço Nacional para o clima da Grã Bretanha. Os dados provêm de 3.000 pontos de medição sobre a terra e os mares. A revelação ocorreu junto com o anúncio de uma mudança na política energética inglesa. O ministro da Energia, John Hayes, prometeu que “as teorias altamente distorcidas dos acadêmicos esquerdistas não passarão por cima dos interesses do povo comum, que precisa de combustível para se aquecer, para a iluminação e o transporte”.

 

Socialistas desarmam o Ocidente enquanto a Rússia se arma

Na França, o presidente socialista François Hollande quer rebaixar ainda mais a defesa do país. Por sua vez, a Rússia se rearma e “relança suas despesas militares porque, na sua visão estratégica, a força está voltando nas relações internacionais”, segundo Thomas Gomart, do Institut Français des Relations Internationales (IFRI). Porém, a Rússia precisa dos equipamentos ocidentais, pois é incapaz de os produzir. Gomart prossegue:“Os russos são conscientes de sua inferioridade.Quando eles viram em ação os armamentos franceses e britânicos engajados na Líbia, entenderam que eram incapazes de fazer o mesmo”. O presidente Vladimir Putin prometeu a Hollande que compraria armas da França por 28 bilhões de euros, e da Alemanha por 72 bilhões. Tudo isso poderá ser usado um dia contra Europa que se desarma!

 

Coreia do Norte: prossegue a crueldade comunista

Imagens de satélite desmentiram as alegações da ditadura norte-coreana de que o campo de concentração conhecido como “Colônia Penal 22” fora fechado e os presos redistribuídos para outras prisões. Nesse campo há 50 mil presos em regime de trabalho forçado. Guardas desertores narraram numerosas formas de tortura, inclusive experimentações “médicas” ou de novas armas, utilizando-se de presos e até de crianças como alvo. A ONU manifestou “séria preocupação” pela “existência de um grande número de campos de concentração e de uma larga utilização de mão de obra forçada” na Coreia do Norte. O documento só serviu para engrossar ainda mais os enormes arquivos de constatações da ONU sem qualquer aplicação concreta.

Golpe propagandístico para dissimular truculência inumana

A mídia ocidental difundiu foto(acima) de um prédio em Wenling, na província de Zhejiang (China), localizado bem no meio de uma nova estrada. Pouco depois, o governo marxista teria indenizado os proprietários e eles abandonaram sua casa, logo demolida para desimpedir a estrada. Após a suposta indenização, a “mensagem” foi: o comunismo respeita a propriedade privada! Na realidade, o fato é uma montagem propagandística visando desmentir as denúncias de violências desumanas contra pequeníssimos proprietários. A ONG Anistia Internacional analisou 41 casos entre 2009 e 2012, constatando agressões, prisões, sequestros e mortes por ocasião das expropriações. Em Wuhan, uma mulher de 70 anos foi enterrada viva por uma retroescavadeira quando tentava salvar sua casa. Em Wenchang, um bebê foi arrancado da mãe até que a família concordasse com o confisco de sua residência. Há registros de auto-imolações de moradores expropriados.

 

Eslováquia: Parlamento rechaça ‘casamento’ homossexual

O Parlamento da Eslováquia rechaçou, por 94 votos contra 14, um projeto de lei apresentado por partidos de oposição para legalizar as uniões homossexuais. Durante dois dias de intenso debate, os defensores do matrimônio segundo o Direito natural e a Lei de Deus advertiram que dar às uniões do mesmo sexo um status jurídico equivalente ao casamento tradicional significava pôr em risco a sociedade. O projeto de lei afetaria todo o sistema jurídico do país e mudaria a face de uma nação, na qual 62% se professam católicos.

 

UE tenta vetar símbolos religiosos em moeda eslovaca

Para comemorar o 1150º aniversario da evangelização da Eslováquia, o Banco Central daquela nação aprovou o lançamento de moedas de dois euros com a imagem dos Santos Cirilo e Metódio. No desenho os dois santos apareciam com as respectivas aureolas, e cruzes em suas vestimentas. A Comissão Européia, porém, e alguns Estados da UE pediram a eliminação desses símbolos, “para obedecer ao princípio da neutralidade religiosa”. Tendo o governo eslovaco cedido à pressão, instituições e eminentes figuras da vida social e política protestaram firmemente. O porta-voz da Conferência Episcopal declarou: “Em 1988 [na luta contra o domínio comunista], os fiéis da Eslováquia arriscaram suas vidas difundindo a doutrina que haviam pregado os dois santos. Vivemos realmente num Estado de Direito, ou num sistema totalitário que nos dita quais atributos podemos utilizar?” Diante da reação popular, o Banco Central eslovaco reconsiderou sua posição e aprovou o modelo original com os símbolos e atributos dos Santos Cirilo e Metódio. E os burocratas socialistas da UE ficaram a ver navios...

 

 

EUA: Jazida de petróleo é o dobro de todas as reservas da OPEP

Segundo recente relatório do U.S. Government Accountability Office – GAO, o potencial de petróleo aproveitável na jazida de Green River Formation, nos estados de Utah e Colorado (EUA), seria “igual a todas as reservas mundiais de petróleo conhecidas”. O GAO e a indústria privada estimam que o petróleo aproveitável na jazida atingiria 3 trilhões de barris. “Nos últimos 100 anos, toda a humanidade consumiu 1 trilhão de barris de petróleo. E nós temos aqui várias vezes isso” – disse Roger Day, vice-presidente para as operações da American Shale Oil (AMSO). Se depender do petróleo, o apocalipse energético planetário anunciado pelos ecologistas ainda vai demorar séculos.

 

 

Breves Religiosas

Cardeal de Chicago denuncia onda de cristofobia

O cardeal Francis George, arcebispo de Chicago (EUA), escreveu em artigo para a revista “Catholic Culture”: “Espero morrer em meu leito; meu sucessor morrerá na prisão, e o sucessor dele morrerá mártir em praça pública”. O cardeal aludia à onda de cristofobia crescente nos EUA nos últimos anos. Ele sublinhou que os sentimentos anti-religiosos que se manifestaram com tanta agressividade durante a recente campanha presidencial introduzem no horizonte a perspectiva do martírio. Mas acrescentou que a longo prazo a Igreja sairá vitoriosa, assumirá a tarefa de “reerguer a partir dos escombros uma sociedade arruinada, e ajudará lentamente a reconstruir a civilização, como Ela já o fez tão frequentemente na história da humanidade”.

Bispo romeno lembra mártires do comunismo

No recente Sínodo geral realizado em Roma, Dom Virgil Bercea, bispo de Oradea Mare, na Romênia, referiu-se ao sangue vertido pelos mártires católicos sob o regime comunista: “Quando meus pais obtiveram o primeiro rádio, conseguimos ouvir a Missa através da Rádio Vaticano. Minha mãe colocou uma cruz sobre o rádio, e vieram muitas pessoas até a nossa casa. Nós nos sentíamos diante do rádio como diante de um altar. Simultaneamente, nossos mártires encontravam-se atrás das grades. Estávamos unidos pela oração. Um tio meu, que depois foi nomeado cardeal, passou 16 anos no cárcere. Quando ele saiu da prisão com o cabelo raspado a zero e os olhos esbugalhados, fiquei impressionado com a sua personalidade! Media 1,85m, mas o mantiveram durante três anos numa cela de um metro por um metro e meio, devendo passar o dia todo de pé. Esses mártires estavam expostos ao frio de até 30º negativos”. Apesar desse impressionante relato, o Sínodo não se pronunciou contra os regimes que continuam martirizando hoje os católicos, como, por exemplo, os da China, do Vietnã e de Cuba.

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão