A Realidade Concisamente

2011: Ano recorde de repressões e torturas na China

Na China vermelha, o ano passado foi o pior da última década sob o prisma dos direitos humanos. 3.832 dissidentes foram encarcerados, tendo 159 deles sido repetidas vezes torturados, alguns ficando aleijados para sempre. 86% dos encarceramentos não tiveram pretexto legal algum, e em outros 6% dos casos a base legal foi contestável. Esses dados foram registrados no Relatório Anual da organização Chinese Human Rights Defender, que monitora o estado da dissidência no país. 2.795 dissidentes acabaram nas “black jail”, ou prisões ocultas, sem que os familiares ou advogados tivessem notícias deles. Nas prisões “legais” colocaram 89 dissidentes, dos quais 72 foram encerrados em “detenções criminosas” — dependências especializadas dos cárceres. 60 foram condenados a trabalhos forçados.

 

Hungria diminui idade penal e protege seus símbolos

O Parlamento húngaro rebaixou a idade penal de 14 para 12 anos em casos de crimes contra a vida e a integridade física. A norma está incluída na reforma do Código Penal e entrará em vigor em 2013. A ONU, a Unicef, associações e governos, arautos dos “direitos humanos”, reprovaram a decisão alegando acordos internacionais — cujas sinistras consequências, diga-se de passagem, se fazem sentir até no Brasil. O novo Código Penal também pune as injúrias aos símbolos pátrios, como a “Santa Coroa” do rei Santo Estêvão, símbolo da história e da catolicidade da Hungria; ao hino, à bandeira e ao escudo nacionais. A pretexto de “direitos humanos”, o que aquelas organizações internacionais favorecem é o crime de desrespeito dos símbolos pátrios, e no caso da Coroa de Santo Estêvão, também religiosos. Desrespeito que faz parte da mesma revolução contra os restos de Cristandade ainda existentes na Hungria e no mundo.

 

População cubana diminui e envelhece na miséria

A imoralidade intrínseca ao sistema comunista – que inclui a extinção oficial da família e o aborto – está reduzindo a população de Cuba, que decresceu entre 2006-2010, com exceção apenas de 2009. No fim de 2010, havia na ilha-prisão 2.675 habitantes a menos que no fim de 2005. Cuba virou o país latino-americano com maior proporção de idosos, para os quais o catastrófico sistema de saúde do país é uma ameaça constante. O estudo oficial Proyecciones de la población cubana 2011-2035 calcula que em 2035 Cuba terá perdido 478.544 habitantes; 34% das pessoas serão idosas e haverá 827.296 mulheres em idade fértil (15-49 anos) a menos. Fidel e Raul Castro poderão ostentar estes números, próprios da extinção gradual de um povo, como contribuição eficaz do socialismo para o apregoado “desenvolvimento sustentável”...

 

Grande projeto chinês cria cidade fantasma em Angola

A China desenvolveu um projeto residencial nos arredores de Luanda, capital de Angola, mas acabou criando uma moderna cidade-fantasma. O bairro da Nova Cidade de Kilamba deveria receber 500 mil pessoas. Os prédios estão construídos, mas só se veem ruas desertas e apartamentos fechados. Dos 2.800 apartamentos postos à venda há um ano, apenas 220 foram comprados. Os preços são irreais, não existe financiamento, o plano foi concebido num gabinete fechado socialista, desligado da realidade. Esta é uma das mazelas, e não das mais graves, do dirigismo totalitário marxista.

 

Sinagoga descoberta confirma proezas de Sansão

Em uma monumental sinagoga dos séculos IV e V a.C., descoberta na Galileia, foi encontrado um piso de mosaico representando o episódio em que Sansão, Juiz de Israel, amarrou tochas nas caudas de 300 raposas e as soltou nas plantações dos filisteus, inimigos dos judeus. As escavações estão sendo conduzidas por especialistas de universidades dos EUA, do Canadá e de Israel. Uma propaganda anti-religiosa difundiu a notícia de que Sansão não existiu e que sua história, narrada pela Bíblia, seria mera adaptação hebraica do mito grego de Hércules. A recente descoberta, porém, confirma a veracidade histórica da existência de Sansão e de suas façanhas pela causa de Deus, como também dos pecados e da penitência daquele Juiz de Israel.

 

Narcotráfico na Argentina atraiu onda de bruxos

O narcotráfico colombiano está desenvolvendo intensamente sua rede na Argentina, beneficiado pelas cumplicidades que encontra no regime esquerdista de Cristina Kirchner. Laboratórios de droga, lavagem de dinheiro e sicários assassinos colombianos entraram no panorama platino. Mas veio junta uma surpresa pior: a proliferação de bruxos, videntes, tarotistas e xamãs, que invocam as potências infernais para “proteger” os traficantes, adivinhar os dias propícios para o transporte das drogas e lançar malefícios contra os adversários do narcotráfico. Esses cultos pagãos e supersticiosos incluem assassinatos rituais e acertos de contas entre “bruxos” e “parapsicólogos” ocultistas. A polícia argentina explica que os narcotraficantes são muito dependentes dos bruxos e de outras crenças infernais, sobretudo por ocasião da prática de assassinatos por encomenda.

 

Plebiscito em Liechtenstein confirma a monarquia

76% dos habitantes do principado de Liechtenstein confirmaram o poder de veto do príncipe soberano do pequeno Estado, inclusive em matérias aprovadas em eleição. No Liechtenstein, mais de 90% dos habitantes são católicos e o aborto é ilegal. O príncipe herdeiro, Aloísio, anunciou que vetaria qualquer resolução que favorecesse o massacre de inocentes. Ativistas republicanos pediram então um plebiscito para cassar esse poder. A questão do veto transformou-se numa outra questão: abolir ou não a monarquia sob o influxo de esmagadora propaganda republicana. Mas a população menosprezou essa propaganda e manteve a prerrogativa régia. “O Príncipe [Hans Adam de Liechtenstein] representa o país, ele é a garantia de nossa soberania e de nossa estabilidade. Um país pequeno precisa ter uma bandeira e a bandeira de Liechtenstein é a casa principesca”, esclareceu a parlamentar Renate Wohlwend, do Partido dos Cidadãos Progressistas.

Breves Religiosas

China: bispo renuncia ao regime marxista e “desaparece”

A sagração do novo bispo-auxiliar de Xangai, combinada entre o governo comunista chinês e a Santa Sé, teve um desfecho inesperado. Dom Thaddeus Ma Daqin recusou a imposição das mãos de Dom Zhan Silu, bispo “oficial” de Mindong, não reconhecido por Roma e afiliado à ditadura anticristã. Também se recusou a receber a comunhão das mãos do prelado ilegal. Em sua homilia, Dom Thaddeus, que era membro do Comitê Nacional da Associação Patriótica, disse: “Eu acredito que não convém continuar servindo a Associação Patriótica”. O povo aplaudiu o bispo e se emocionou diante de seu ato de coragem. Mas Dom Thaddeus “desapareceu” logo após a cerimônia. O regime alega que ele “foi repousar porque sofria de esgotamento físico e moral” — desculpa que deve encobrir alguma forma de intimidação psicológica ou até prisão.

 

Reino Unido: Veneração a São João Maria Vianney

Milhares de ingleses veneraram o coração de São João Maria Batista Vianney durante a primeira peregrinação dessa relíquia pela Grã Bretanha, duplicando as expectativas dos organizadores. Na igreja de Santo Antonio (Manchester), 2.700 pessoas formaram fila durante horas para venerá-la. No porto de Liverpool, 6.000 peregrinos aguardaram-na, desafiando a chuva. Cenas análogas ocorreram em Northwich, Shrewsbury e Birmigham. Pároco de minúscula aldeia no coração da França e padroeiro universal dos vigários, o santo Cura d’Ars foi dotado de luzes proféticas e previu o futuro retorno da Inglaterra ao catolicismo. “Eu estou certo de que a Igreja da Inglaterra recuperará seu antigo esplendor” – confiou ele ao bispo de Birmingham. A calorosa acolhida e a veneração de seu coração podem significar a proximidade do cumprimento dessa profecia.


-->