Novembro de 2006
Como se empurra uma sociedade ladeira abaixo
Por que Nossa Senhora Chora?

Como se empurra uma sociedade ladeira abaixo

Um dos condutos pelo qual se procura forçar a sociedade brasileira a aceitar a legalização do chamado “casamento” homossexual são as novelas. Não há aberração moral de que estas não se façam eco.

Páginas da Vida, seguindo o mesmo diapasão das últimas três novelas das oito da “Globo”, também inclui personagens homossexuais. Desta vez, no entanto, é dado um passo a mais: dá-se a entender que um casal homossexual é algo inteiramente normal. “O casal [homossexual], segundo o meu projeto, [...] vai levar vida comum, normal, como se fosse um casal composto de um homem e uma mulher. Vão receber a família e os amigos, como qualquer casal. Os pais de ambos verão os filhos com total naturalidade” –– explica o autor Manoel Carlos (“Folha de S. Paulo", 18-9-06). Sempre segundo M. Carlos, os dois homossexuais serão tão “normais” que poderão até adotar uma criança. E terão um momento de heróis: cuidarão de uma menina perseguida por sua avó.

Tudo isso é para ser engolido pelo público que, mesmo não gostando, acaba absorvendo por falta de desejo de lutar, e assim participa do pecado de aceitação. Não nos referimos a todos, é claro. Existem também aqueles que protestam e se negam a ver tais novelas. Mas infelizmente o número deles é bem menor do que deveria ser. Por isso Nossa Senhora chora! Até o momento em que suas lágrimas se transformem numa chuva de fogo, a exemplo de Sodoma e Gomorra. É o que a Mensagem de Fátima nos promete, e talvez não esteja tão longe.

Propaganda infame

A Holanda está na vanguarda da degradação moral no Ocidente

“A Associação Brasileira de Turismo GLS, com o apoio da Prefeitura de São Paulo, vai realizar na semana do feriado de 15 de novembro a Semana da DiverCidade. A programação inclui um fórum para discutir o mercado GLS [constituído por homossexuais], debates sobre os códigos e usos da linguagem pelo segmento GLBT, e a inclusão do “diferente” na literatura infanto-juvenil” (“O Estado de S. Paulo”, 21-9-06). Ao que parece, até as crianças serão objeto dessa propaganda infame! O apoio oficial aumenta a gravidade do evento.

Seguimos a Holanda

Só quem quiser cegar-se não vê que os próximos passos poderão ser a promoção da pedofilia, do nudismo e outras abominações. Hoje em dia existe em certos círculos a hipocrisia de defender a prática homossexual e combater a pedofilia. Mas isso não se sustenta, pois a pedofilia é apenas um dos aspectos do homossexualismo — talvez o mais aberrante, por utilizar crianças inocentes. E a prática de tais aberrações é uma rampa que, uma vez iniciado o deslizamento, vai até o fundo desse inferno moral, caso não se lhes oponha uma barreira.

A Holanda sai na frente nesse campo. Um tribunal holandês autorizou a existência do partido político chamado Partido de Amor ao Próximo, Liberdade e Diversidade, cuja principal plataforma é a defesa da pedofilia. O partido defende o sexo entre adultos e crianças e pede a redução da chamada maioridade sexual no país de 16 para 12 anos. Isso inicialmente, pois é previsível que, para o futuro, seja eliminado qualquer limite de idade. Prega ainda a liberalização das drogas pesadas e a nudez em público, entre outras aberrações morais.