Setembro de 2009
Aborto obscurantismo
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Correspondência

Do Deputado Lael Varella

A respeito do tema principal da revista deste mês, “Aborto: Crime que brada ao Céu e clama a Deus por vingança”, envio-lhes o texto do discurso — muito convenientemente pronunciado no Congresso Nacional — do Deputado mineiro Lael Varella, do DEM:

“Sr. Presidente, Sras. e Srs. Deputados, mais uma vez a discussão sobre o aborto volta ao Congresso. Há anos que a ameaça da ampliação dos casos de aborto vem pairando sobre o Brasil, tornando-se cada vez mais iminente o risco de sua aprovação, malgrado nossa opinião pública o desaprovar de maneira contundente, pois equivaleria à legalização do infanticídio.

No Senado Federal, cinco projetos de Lei se encontram em tramitação, sendo que quase todos favorecem o aborto. Enquanto aqui na Câmara dos Deputados há mais de uma dezena de projetos visando aumentar os casos da prática abortista sob o amparo legal.

Algumas propostas legislativas defendem a permissão do aborto até certo tempo de gestação, havendo outras que propugnam a liberalização total da matança de inocentes, como o PL-1135/9l, que legaliza o aborto em qualquer caso até o 9° mês de gravidez!

Nesse sentido, Sr. Presidente, a revista Catolicismo, revista de cultura que vem sendo editada há 57 anos, desde seus primórdios defende ardorosamente os princípios católicos e a Civilização Cristã no Brasil. Na atual emergência, tão séria, em que estão ameaçados os mais básicos valores da moral católica e até mesmo da Lei natural na Terra de Santa Cruz, Catolicismo não se omitiu.

Em carta na edição de abril 2008, seu diretor, Dr. Paulo Corrêa de Brito Filho, manifesta a certeza de prestar oportuno contributo para o esclarecimento de tão importante tema, oferecendo a seus leitores a matéria de capa, cujo conteúdo trata de modo abrangente a delicada e importante questão.

Com efeito, tal artigo analisa o crime do aborto do ponto de vista da ciência, da filosofia e da Religião católica, explanando sob esta última focalização a gravidade do pecado de aborto, condenado pelo Código de Direito Canônico com a severa pena de excomunhão automática.

O Brasil, país de maior população católica do globo, pode se vangloriar pelo fato de seu povo ser católico, e sê-lo com ampla maioria. É compreensível, pois, que recente pesquisa de opinião tenha revelado que aproximadamente 90% dos brasileiros se manifestaram contrários à morte dos nascituros, e que a rejeição ao aborto tenha aumentado em mais de 30 pontos percentuais nos últimos 15 anos.

Dr. Paulo Brito termina manifestando a esperança de que os sólidos argumentos anti-abortistas constantes no referido artigo sejam de molde a esclarecer mais profundamente sobre o assunto, auxiliando-nos a votar a relevante matéria segundo os ditames da reta razão e em consonância com nossas gloriosas tradições cristãs.

E conclui com uma súplica a Nossa Senhora Aparecida, Rainha e Padroeira do Brasil: afastai de nosso País, ó Mãe de Deus e nossa, a chaga criminosa do aborto, evitando assim para a Nação brasileira a maldição divina!

Sr. Presidente, neste sentido, venho pedir a transcrição nos anais da Câmara do artigo de Frederico Abranches Viotti da revista Catolicismo, exatamente pelos sólidos argumentos anti-abortistas e pelas sublimes idéias em defesa da dignidade da vida humana, da Lei Natural e da Lei de Deus, autor de toda vida.

Tenho dito.

(B.M. — DF)

Do Senador Tasso Jereissati

Caro Paulo Corrêa de Brito

Agradeço a gentileza do envio do exemplar da revista Catolicismo, contendo importantes considerações sobre a legalização da prática do aborto. Um tema tão controverso deve ser exaustivamente debatido antes de qualquer votação, e as informações constantes da publicação certamente serão de grande importância para formar a minha opinião sobre o tema.

Atenciosamente,

(T.J. — DF)

Pró-Vida

Vi, com entusiasmo, a matéria sobre o aborto, de Frederico Abranches Viotti, especialmente a referência ao Pró-vida de Anápolis, presidido pelo culto e incansável Pe. Lodi, a quem tenho a honra de auxiliar em assuntos jurídicos. Parabéns pelo bem escrito texto.

(A.M.S. — DF)

Aborto: obscurantismo

Excelente seu artigo (“O ensinamento da Igreja, a Lei natural e a ciência convergem na defesa da vida”). São peças como essa, clara e abrangente, que nos ajudam a ganhar mais algumas trincheiras nesta luta sem fim contra os defensores do verdadeiro obscurantismo.

(F.F. — SP)

Sadias reações

Graças a Deus, as reações contra o aborto têm dado resultado. Em nossa Diocese, a posição dos católicos começou a se fazer presente. Temos que lutar para que mais essa falácia dos comunistas não atinja nosso querido País. Cristo nos proteja.

(P.M.L. — PR)

Ainda existem dinossauros

“Cuba e o Submarino”. Com esse artigo, o Prof. Plinio nos brinda com uma explicação que eu não encontrei em escritor nenhum, em lugar nenhum: a atitude daqueles “dinossauros” (tipo Frei Boff, Frei Betto, Lula, Chávez, Morales, Dirceu, Niemayer, etc., etc.) em inexplicáveis verborragias, tecendo loas ao ditador de Cuba. Sem a Cuba comunista, suas utopias vão para a fossa. Daí os esforços “dinossáuricos” para tentar tirar aquela pobre ilha da fossa na qual foi jogada pelo governo comunista.

(N.B.M.S. — RJ)

Do exílio cubano

O desterro cubano agradece sua desinteressada cooperação quanto a nossos mártires. Queira Nossa Senhora da Caridade do Cobre, padroeira de Cuba, cumulá-los de graças e bênçãos. Um abraço.

(S.F.P. — Miami)

Em estado terminal

Incompreensível a atitude dos “esquerloprados” (os esquerdistas aloprados do Brasil): não perdem ocasião de malhar a ditadura militar no Brasil, e não perdem ocasião de elogiar a ditadura comunista em Cuba... Sendo que esta é milhões e milhões de vezes pior que a nossa no passado. O que justifica? Se realmente os “esquerloprados” detestam a ditadura brasileira com seu sistema de torturas, por que demandam uma ditadura como a chavista para o Brasil, que também é milhões de vezes pior que a que tivemos? Só encontro uma justificativa: esquerdismo e contradição são sinônimos. Nunca a esquerda “deste país” foi tão contraditória como agora, com os elogios fúnebres do ditador em fase terminal. Da esquerda “deste país”, mas podemos falar o mesmo da esquerda do clero católico, como, por exemplo, do cardeal que visitou Cuba, como comenta o exilado cubano Senhor Armando Valadares, um ex-preso que passou pelas torturas das masmorras de Fidel Castro.

(I.J.S.F. — RJ)

Descontentamento

Sobre o artigo “Um governo inimigo da família e da propriedade”, de Dr. Plinio Vidigal Xavier da Silveira, gostaria de comentar que muitos também não estão contentes com esse estado de coisas que vem acontecendo. É o caso dos militares, que em 1964 articularam uma revolução democrática para combater o comunismo. Depois do fim da contra-revolução de 31 de março de 1964, elementos esquerdistas se apossaram do governo e subvertem a ordem e o progresso do País.

(P.A.D.F. — RJ)

Símbolos de São Paulo

Conciso e elegante, verdadeiro e enriquecedor o artigo tão bem alinhavado pelo Sr. Gregório Vivanco Lopes, ao destacar alguns símbolos de uma cidade que cresceu sob o impacto da industrialização, diria, um pouco desordenada. Suas considerações sobre o belo, o histórico, cultural, tradicional, evocam nossa memória a dirigir um olhar importante que apreende as importâncias do passado para aquilatar nosso modus vivendi presente. Tenho dois meninos, melhor dizendo, moços, aos quais, quando crianças, eu fazia questão de mostrar a importância de um museu e a história de uma cidade. Assim, visitamos mais de uma vez o Museu do Ipiranga, e lembro-me de que eles ficavam encantados em estar ali presentes, vendo aquilo que só tinham visto em livros. Alegro-me em compartilhar todas as palavras do autor de um artigo precioso e ver fotos tão belas. Parabéns.

(O.S.S.Q.B. — MS)

Símbolos abandonados

Acabei de ler a edição de abril da revista Catolicismo. Gostaria apenas de comentar sobre os símbolos da cidade de São Paulo. Como seria bom que os mesmos estivessem como nas fotos! Mas infelizmente, hoje, não só esses que estão na revista, mas a Praça da Sé, Praça Clóvis, Largo São Francisco, marcos da cidade de São Paulo, parecem abandonados! Entregues aos mendigos, crianças drogadas, malandros, etc. Infelizmente ninguém faz nada. Já mandei vários e-mails e ofícios para a Prefeitura de São Paulo, para que alguma coisa seja feita, mas nada. Eles estão preocupados com a eleição, e não têm tempo para esse tipo de atitude. Bom, pelo menos existem fotos, assim poderemos relembrar como esses lugares eram lindos...

(S.R. — SP)

Perde-se a paciência com o MST

O culpado das arruaças e invasões do MST é o governo. Sendo simpatizante dos invasores, não usa o poder que tem para defender os proprietários de terra. Basta! O MST já foi longe demais.

(P.A.D.F. — RJ)

Anseio de santidade

Tenho 15 anos, e fiquei extremamente admirado com esta divulgação. A vida dos santos me inspira, e tenho os mesmos desejos e necessidade de santidade. Fiquei muito feliz!

(W.C.B. –– AL)

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão