Setembro de 2009
AIDS: coquetel de retrovirais é uma ilusão
A Realidade Concisamente

Nas vésperas das Olimpíadas,
crescem protestos

Aumentam os protestos contra a ditadura marxista chinesa. No Tibet, a China está massacrando populares que querem recuperar a independência para seu país. A chama olímpica percorreu praças e ruas de Pequim, esvaziadas pela polícia para evitar protestos como o ocorrido no dia em que foi acesa. Nas cidades por onde passou, manifestantes tentaram barrá-la. Em Paris, a despeito de uma custódia de 3.000 agentes, a tocha teve que ser apagada duas vezes. [foto] A chanceler alemã, Angela Merkel, não irá à abertura dos jogos por causa da violação dos direitos humanos na China. Intenção semelhante manifestou o presidente Nicolas Sarkozy, pois sabe que na França muitos querem o boicote político das Olimpíadas. Mas o comunismo chinês usufrui de cumplicidades na mídia para tentar transformar o evento esportivo num imenso show de propaganda de fundo ideológico, como Hitler em 1936.

França:
descendentes das vítimas guilhotinadas

Como quem procura antepassados com títulos de nobreza, centenas de milhares de franceses estão consultando a lista das mais de 18.000 pessoas guilhotinadas pela anticristã Revolução Francesa de 1789. Os nomes conhecidos foram postos na Internet pelo programador de computação Raymond Combes. Na realidade, houve muito mais vítimas em chacinas não registradas. Pereceram na guilhotina, desde o rei Luís XVI [foto] e a rainha Maria Antonieta até simples populares, condenados arbitrariamente pelos tribunais revolucionários em nome da Liberdade, Igualdade e Fraternidade. O historiador Jean-Louis Beaucarnot calcula em aproximadamente cinco milhões os descendentes ou parentes colaterais das vítimas daquela revolução. Encontrar um parente vitimado pelos tribunais revolucionários é quase um título de honra.

AIDS:
coquetel de retrovirais é uma ilusão

A falsa idéia de que a AIDS seja controlável com coquetéis de retrovirais teve efeitos catastróficos. A sífilis, que se julgava erradicada no Ocidente há 25 anos, ressurgiu com força entre os homossexuais. Na Inglaterra, o número de casos cresceu mais de 1.200% em nove anos. O maior aumento ocorreu em Londres, Dublin, Berlim, Paris e Rotterdam, informou o Centro para Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. O enganoso coquetel não é 100% eficaz e tem efeitos emocionais devastadores nos usuários. No Brasil, a faixa dos aidéticos entre 13 e 24 anos passou de 26% em 1996 para 41%, nos 32 mil novos casos registrados em 2006. 474 mil brasileiros contraíram AIDS desde 1980, mas o total chegaria a 600 mil. Sem a reforma moral e a conversão pedida por Nossa Senhora em Fátima, o crescimento do vício e das doenças conexas é irrefreável.

Desintegração:
Bélgica e a própria Europa ameaçadas

Vários países europeus estão afundando numa espiral separatista, que pode levar ao colapso a unidade nacional. Na Bélgica, após nove meses sem governo, assumiu como premiê o democrata-cristão Yves Leterme à testa de uma coalizão instável e pouco unida. O país corre o risco de rachar em pelo menos duas regiões: Flandres, ao norte, que fala holandês ou flamengo; e Valônia, no sul, de língua francesa. A União Européia (UE), entretanto, a despeito de declarações formais, não vê com maus olhos a desagregação das unidades nacionais. Pois, se ocorrerem, produzirão regiões menores, as quais o governo da UE –– centralizador, absorvente e apátrida –– manipulará com facilidade.

Crato: escolha de D. Luiz Cappio
para figurar como boneco de Judas

A cidade de Crato (CE) costuma dar um nome ao boneco de Judas que malhado e enforcado na Semana Santa. A Fundação do Folclore Mestre Eloi propôs opções para o nome com que seria “batizado” o boneco de Judas. Foram sugeridos: Hitler, Fernandinho Beira-Mar, George W. Bush ou um estuprador (não identificado). Entretanto, o preferido da população foi o bispo de Barra, D. Luiz Cappio, cuja campanha esquerdista de greve de fome foi instrumentalizada contra a transposição das águas do Rio São Francisco [foto]. O bispo de Crato, D. Fernando Panico, tentou mudar o nome preferido pela vontade popular para o boneco que representa Judas.

Favelados cariocas
aprovam “caveirão”

 

A maioria dos moradores de 101 favelas de Rio de Janeiro simpatiza com o blindado policial chamado “caveirão”, usado para a intervenção das Forças Armadas nas favelas. Segundo essa enquête do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social (IBPS), 69,5% das 1.074 pessoas ouvidas foram também contra a legalização de drogas leves. 48,9% concordam com a intervenção. O “caveirão” é sobretudo aprovado pelos mais jovens, de menor renda e menor alfabetização, mas vituperado –– muito previsivelmente, aliás –– pelos adeptos dos movimentos de “direitos humanos”. Para um favelado que reside há 38 anos na Zona Oeste, o narcotráfico desvalorizou as propriedades. Mas, com o “caveirão”, voltou a segurança e a valorização. É erro de intelectual esquerdista achar que o pobre, pelo fato de ser pobre, aprova o crime, a droga e o socialismo.

Argentinos repudiam
socialismo tributário

Multidões indignadas de argentinos saíram espontaneamente às ruas em mais de 300 locais do país, para protestar contra o primeiro discurso da presidente Cristina Kirchner, todo ele eivado de populismo esquerdista contra os proprietários rurais. Panelaços, buzinaços, tratoraços e ruidosas cantorias com bandeiras nacionais encheram até a Praça de Maio diante da Casa Rosada [foto]. Piqueteros (equivalentes urbanos ao MST e congêneres) saíram em defesa da presidente e agrediram vários manifestantes. A maioria destes não era de proprietários rurais, mas de populares citadinos que se solidarizaram naturalmente com eles, que sofrem uma saraivada de impostos confiscatórios. O repúdio popular ao esquerdismo kirchnerista atinge níveis recordes.

Estado da escola pública é assustador,
revela Enem

O Enem (Exame Nacional do Ensino Médio), que mede a qualidade do ensino, evidenciou o precipício aberto entre o nível do ensino médio privado e o público. Em São Paulo, 75% das escolas estaduais tiraram uma nota média inferior à do pior colégio particular. A melhor escola estadual ficou no 335º posto da cidade de São Paulo. A melhor nacional foi o tradicional colégio São Bento, dos monges beneditinos no Rio de Janeiro, que só aceita meninos. “O quadro da escola pública está assustador”, disse Celso Ferretti, pesquisador da Fundação Carlos Chagas. No último exame que seleciona alunos para a USP, apenas 19% dos aprovados vinham da rede estadual; e para a Faculdade de Medicina, só 3,7%. Apesar de os alunos da escola pública serem privilegiados com um “bônus” de 3% na nota.

Breves Religiosas

Terço promovido por Uribe
teria evitado a guerra

O principal diário da capital colombiana, “El Tiempo”, informou que o conflito entre a Colômbia, Equador e Venezuela, o qual poderia ter degenerado numa guerra com péssimos efeitos nas fronteiras brasileiras, foi debelado após ter o presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, confiado a crise à intercessão de Nossa Senhora. O Pe. Júlio Solórzano, capelão do palácio presidencial de Bogotá, revelou que no auge da crise o presidente convocou os funcionários do palácio, incluídos os ministros de Defesa e do Interior, para rezar o terço na capela presidencial, a fim de evitar a guerra. Uribe invocou oficialmente as padroeiras dos três países: Nossa Senhora de Chiquinquirá (Padroeira da Colômbia), Nossa Senhora de Coromoto (Venezuela) e Nossa Senhora das Mercês (Equador). A oração oficial de um chefe de Estado pode ter um especial valor, e atrai de modo possantíssimo a benevolência do Céu. Em sentido contrário, o ateísmo prático dos governos é um dos fatores que mais afastam as graças divinas.

Fanatismo islâmico
martiriza arcebispo iraquiano

O arcebispo de Mossul (Iraque), Mons. Paulos Faraj Rahho, morreu nas mãos dos terroristas islâmicos, que o tinham seqüestrado no mês anterior nas proximidades de sua cidade. Uma multidão acompanhou o enterro do pranteado prelado. Nos últimos tempos, vários leigos e sacerdotes católicos foram martirizados no Iraque. A Igreja Caldéia, formada por católicos de rito oriental caldaico, é a maior comunidade cristã do país, com quase 600 mil membros. Até o fim dos tempos o ódio satânico não deixará de causar mártires nas fileiras da Santa Igreja, aumentando a legião daqueles que reinam gloriosamente no Céu.