Setembro de 2009
TFP Students in Action
Ação Contra-Revolucionária

TFP Students in Action

Estudantes em Ação — voluntários da TFP norte-americana, em intensa e destemida atuação nos meios universitários, visando abolir iniciativas anti-católicas

Francisco José Saidl

Nesses dias de decadência moral em que vivemos, é um dever do católico atuar junto aos estudantes, com o objetivo de alertar e encorajar aqueles que compartilham os mesmos ideais, a fim de defender os valores básicos da Civilização Cristã. Neste sentido, não poupa esforços e atua sempre com coragem e ufania a Students in Action.

Atualmente essa entidade vinculada à TFP norte-americana denuncia a existência de 96 universidades católicas que possuem clubes pró-homossexuais; faz um apelo para que sejam tomadas medidas contra este escândalo; explica as razões que a movem a esta atitude.

Historicamente, as universidades católicas têm sido um farol para indicar a verdade, um veículo de progresso intelectual e excelente difusora de princípios morais. Contudo, os valores morais estão sendo minados em muitos campus, os princípios que guiam as almas na nobre tarefa do ensino estão sendo ignorados, e seu secular modelo invadido, permitindo o relativismo moral. Como resultado, a revolução sexual está fazendo seu caminho nas academias católicas.

Estudantes universitários freqüentemente têm contactado a TFP Students in Action a propósito da ação do movimento homossexual no campus das universidades católicas. A cada ano a situação parece piorar. Por exemplo, a Universidade Georgetown, de Washington, a mais antiga universidade católica da nação americana, recentemente concordou em abrir um novo centro para estudantes homossexuais.

Para se avaliar a dimensão desta crise, voluntários da TFP examinaram o website oficial de 211 universidades e colégios catalogados pela Granley´s Catholic Schools in America. A pesquisa indicou que 45% deles possuem clubes pró-homossexuais. Muitos desses clubes são ligados a movimentos com metas radicais, para forçar a aceitação do vício antinatural.

Provavelmente o número desses clubes pode exceder 45%, pois nem todos estão listados nos websites.

* * *

Causa muita perplexidade quando estudantes católicos sentem-se perseguidos ao manifestar fidelidade ao Magistério da Igreja Católica nos campus, enquanto que, a pretexto de “liberdade de expressão” e de “tolerância”, faz-se propaganda do vício antinatural.

Para ilustrar o problema, cito apenas dois exemplos.



Georgetown University: Membros da TFP foram expulsos, apesar de se encontrarem na zona de público acesso desta universidade, por distribuírem folhetos contendo a doutrina católica a respeito do vício homossexual. O vice presidente interino dos assuntos estudantis mandou agentes da segurança adverti-los de que seriam presos caso retornassem.

Duquesne University: O estudante Ryan Miner foi punido pela universidade por afixar um comentário no seu blog, opondo-se à criação do “Gay-Straight Alliance”, um clube no seu campus católico. Miner foi considerado culpado de violar a política antidiscriminatória, e obrigado a escrever dez páginas sobre “os pontos-de-vistas pró e contra a homossexualidade”, utilizando matéria específica. Como recusou submeter-se a isto, tentaram expulsá-lo da escola.

Muitos outros estudantes são forçados a permanecer em silêncio, atemorizados por retaliações de administradores, professores ou ativistas pró-homossexuais.

* * *

A Students in Action, faz exposições mostrando que a razão mais profunda do poder do movimento homossexual reside, não na sua força, mas na fraqueza dos bons. Esta fraqueza é o resultado de um gradual obscurecimento da distinção entre o bem e o mal, a generalizada perda da noção de pecado.

A fim de restaurar a cultura católica, mostra que uma ação efetiva se faz necessária para reverter este grave problema moral; que se deve revigorar os fundamentos da Moral, firmemente alicerçados nos Dez Mandamentos e na imutável Lei Natural; que se deve criar um clima onde a homossexualidade seja rejeitada. Tese esta que se encontra profundamente explicada no livro Em defesa de uma lei maior, editado pela TFP americana, refutando os sofismas sobre a matéria.

* * *

TFP Students in Action espera coletar milhares de assinaturas, urgindo os presidentes das universidades católicas a defenderem a verdadeira educação católica e a não aprovarem a existência dos clubes pró-homossexuais. Estudantes, mestres, pais de alunos e o público em geral estão convidados a assinar este apelo urgente.

Católicos fiéis: rejeitem Monologues


Este é outro apelo da ação universitária da TFP americana.

No dia 27 de março, jovens voluntários da TFP dirigiram-se à Universidade de Notre Dame para distribuir um protesto contra uma peça imoral, com o título em epígrafe, apresentada naquele estabelecimento, que é tido como católico.

Apesar de censurada pelo bispo local John D’Arcy, esta peça que exalta o lesbianismo e provoca escândalo continua a ser exibida.

Membros da TFP Students in Action deslocaram-se da Pensilvânia para Indiana, para distribuir na porta da universidade folhetos contendo a censura do bispo D’Arcy, e pedindo ao reitor, Pe. Jenkis, que tal apresentação imoral seja banida para sempre. Foi grande o número de universitários que aderiram a esta ação e pediram folhetos para ajudar na distribuição.

1 | 2 Continua