Novembro de 2012
Caro leitor,
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Carta do Diretor

Caro leitor,

Focalizamos na presente matéria de capa uma obra de importância transcendental que acaba de ser lançada: Psicose ambientalista – Os bastidores do eco-terrorismo para implantar uma “religião” ecológica, igualitária e anticristã.

Seu autor, o Príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança, reconhecido líder contrário ao agro-reformismo socialista vigente no País, é coordenador do movimento Paz no Campo e eficiente defensor da pujante agropecuária brasileira.

Com extensa documentação e acerto, a obra denuncia a manobra empreendida pelas forças de esquerda como saída para o colapso da União Soviética, iniciado com a queda do muro de Berlim, em 1989, e consumado em 1991 com a derrubada da Cortina de Ferro. Trata-se de uma metamorfose pela qual os líderes marxistas e notórios corifeus da Teologia da Libertação se refugiaram por trás da bandeira ecológica, sem renunciar a seus princípios marxistas.

Assim é que a Teologia da Libertação, a desacreditada utopia marxista adotada em ambientes da esquerda católica, agora se apresenta como defensora de teses ambientalistas!

Essa manobra das esquerdas trouxe-lhes ainda uma vantagem adicional: substituiu o “vermelho” do comunismo pelo “verde” do ecologismo, conseguindo com isso iludir os incautos.

Os autores do artigo de capa desta edição — que são membros da Comissão de Estudos Ambientais do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira e colaboraram para a elaboração da citada obra — reconhecem a necessidade de compatibilizar a agropecuária brasileira com a preservação do meio ambiente, mas criticam os exageros e mentiras de um ecologismo frenético.

Eles fazem ainda uma análise crítica do novo Código Florestal do País, vetado em parte pela presidente da República, que editou em substituição à Medida Provisória 571, posteriormente modificada pelo Congresso Nacional. O texto final, no momento em que escrevemos, ainda não está definido.

Não se deixe enganar pela nova ‘religião ecológica’. Para informar-se melhor sobre essa grave temática, leia a mencionada obra”, é o alerta e a proposta final do artigo de capa.

Esse mesmo alerta e proposta nós os fazemos aos prezados leitores de Catolicismo, recomendando a todos a aquisição e uma profícua leitura de Psicose ambientalista, livro indispensável no Brasil de hoje.

Em Jesus e Maria,

Paulo Corrêa de Brito Filho
Diretor
catolicismo@terra.com.br

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão