Maio de 2013
O Brasil desconhecido
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Ação Contra-Revolucionária

Da esq. para dir.: Dr. Plinio Vidigal Xavier da Silveira, Dr. Evaristo de Miranda, Dr. Adolpho Lindenberg, D. Bertrand de Orleans e Bragança, Dr. Caio Vidigal Xavier da Silveira e Dr. Mario Navarro da Costa

Fotos: Paulo Roberto Campos
O Brasil desconhecido

Edson Carlos de Oliveira

 

Professor Evaristo Eduardo de Miranda

O Instituto Plinio Corrêa de Oliveira realizou na noite do dia 18 de abril último, no auditório lotado do Club Homs, em São Paulo, importante conferência do Professor Evaristo Eduardo de Miranda sobre o Brasil que os brasileiros não conhecem.

O Dr. Adolpho Lindenberg, presidente do Instituto, abriu o evento relatando o combate de 50 anos empreendido por Plinio Corrêa de Oliveira e seus discípulos contra a Reforma Agrária socialista e confiscatória no Brasil, panaceia cujas origens remontam à Revolução bolchevista de 1917 na URSS. Tirar os pretextos pseudocientíficos desse surrado chavão revolucionário é um trabalho ao qual o Instituto atribui importância capital. Por sua vez, graças à Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária) é possível defender cientificamente a eficácia da atual agricultura brasileira e ajudá-la a progredir cada vez mais.

*       *       *

Coube ao Dr. Mario Navarro da Costa, diretor do Bureau da TFP norte-americana em Washington, apresentar o vasto currículo do conferencista — sem dúvida um dos maiores conhecedores da agricultura, da riqueza do solo e do potencial econômico do Brasil. Além de pesquisador da Embrapa, o Dr. Evaristo Miranda é consultor da FAPESP, FAO, OEA e UNESCO, bem como autor de diversos livros e artigos, além de renomado conferencista internacional.

*       *       *

Os dados apresentados pelo Dr. Evaristo desvendaram ao auditório um Brasil desconhecido e enfatizaram como a agricultura é por excelência o setor moderno e pujante da economia nacional. O mais importante, segundo o conferencista, não é saber se o Brasil é o maior produtor disso ou daquilo, mas como ele chegou a esse patamar.

O conferencista mostrou como um incremento de volume e qualidade de pesquisas em biotecnologia e em transgênicos vem se verificando na zona agrícola, sem necessidade de expandir o respectivo território. Um exemplo surpreendente foi o resultado produzido pelo sistema de plantio direto. Ele reduziu tanto a erosão de terra no Paraná que chegou a modificar a cor das cataratas do Iguaçu de vermelho barrento para verde cristalino.

O Brasil é o País que mais protege sua fauna e sua flora, a ponto de 30% de seu território serem compostos de áreas ambientais — áreas, a bem dizer, que serviriam para a agricultura ou a pecuária. Basta comparar com dois outros grandes países — Estados Unidos e China —, o primeiro dos quais protege o Alasca e o segundo o deserto de Gobi, ou seja, áreas não produtivas. Além do mais, a atual legislação brasileira obriga o proprietário a manter reservas florestais inclusive dentro de suas próprias terras. Não obstante isso constituir um abuso da parte do Estado, serve como mais uma prova da potência agrícola que é o Brasil.

Assim, somos o celeiro do mundo; produzimos grãos para alimentar 1 bilhão de pessoas e oferecemos três de cada quatro copos de suco de laranja bebidos mundo (75% da produção mundial); abatemos anualmente 42 milhões de bois, 35 milhões de suínos e 5,5 bilhões de frangos; nosso meio rural ainda produz 31 bilhões de litros de leite e 2,5 bilhões de dúzias de ovos.

E quem é o maior beneficiário de tudo isso? O agricultor? Não, a população urbana! Em 40 anos, ela teve o valor da cesta básica reduzido em 50%.

A conferência foi extremamente elucidativa, sendo impossível relatar aqui todos os dados apresentados pelo Dr. Evaristo Miranda. Por isso convidamos nossos leitores a assistirem ao vídeo completo no site do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira (http://www.ipco.org.br)

*       *       *

No encerramento, o príncipe Dom Bertrand de Orleans e Bragança chamou a atenção do público para a vocação agrária do Brasil e pediu à Providência Divina para nos ajudar a realizá-la na sua plenitude.

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão