Janeiro de 2017
A Realidade Concisamente
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
A Realidade Concisamente

Rússia não cessa de forjar mentiras

A Rússia montou um arsenal de disfarces ideológicos e materiais para a guerra de ‘maskirovka’ (dissimulação, engano). “Ninguém vence jogando limpo”, disse o engenheiro militar Alexey Komarov. Uma ativa rede de trolls, blogs, sites, agências de notícias e TV difundem falsas notícias para enganar as audiências ou os internautas no Ocidente. A empresa Rusbal produz jatos, mísseis, tanques e outras armas infláveis para enganar os satélites adversários. “Na guerra, não existem acordos de cavalheiros”, repete um dos fabricantes. Putin sabe bem disso. Ele paga o desenvolvimento das “novas armas” e das falsas imagens de líder religioso ou moralizador para ludibriar suas futuras vítimas.

 

Americanos não acreditaram na “Laudato Si”

A encíclica Laudato Si, do Papa Francisco, favorável às hipóteses ambientalistas, caiu no desinteresse geral, constatou o vaticanista Marco Tosatti. Segundo sondagem nos EUA, o documento pontifício não produziu impacto no público. A pesquisa ouviu 2.755 pessoas em todo o país. Apenas 22,5% sabiam de sua existência, apesar de ser muito trombeteado. O estudo conclui que talvez “o apelo ecologista do Papa possa ter aumentado as preocupações de alguns sobre a mudança climática, mas atraiu contra si o público conservador, católico ou não. Este não só apresentou resistência à mensagem, mas manteve suas opiniões prévias, desvalorizando a credibilidade do Papa sobre a mudança climática”.

 

China: porta-aviões reciclado acirra tensões

Liaoning, o primeiro porta-aviões chinês, entrou propagandisticamente em atividade. Iniciado pela extinta URSS, ele ficou abandonado, virou hotel de emergência da Ucrânia e por fim foi vendido como sucata para um estaleiro chinês, que o reciclou. Agora o regime de Pequim trombeteia que o Liaoning pode combater. Sua presença nos mares do Oriente é mais um fator de perturbação no delicado equilíbrio nos arquipélagos do Mar da China e do Mar do Japão, reivindicados por Pequim, Tóquio, Seul e Taiwan. Numa corrida armamentista, o Japão dispõe de quatro unidades de “porta-helicópteros destroieres” que podem receber avançados caças de decolagem vertical, unidades essas muito superiores à sucata chinesa modernizada. Contudo, não deixam de chamar a atenção para o perigo de guerra no Oriente.

 

Fogo calcina tudo, mas imagem de Jesus fica intacta

Cinegrafistas da CNN que filmavam as ruínas causadas pelos pavorosos incêndios florestais no estado de Tennessee (EUA) ficaram pasmos ao encontrarem uma imagem do Sagrado Coração de Jesus, manifestamente envolvida pelas chamas. Entretanto, ela permanecia de pé, apontando para as chamas de amor de Seu Coração, que nunca se extinguem. A imagem é o único objeto que sobrou de uma casa. O canal KLTV entrevistou Travis Cogdill, filho dos moradores. Ele voltou ao local e encontrou seu pai apontando para o que, segundo ele, verdadeiramente importava: a imagem do Sagrado Coração de Jesus que permaneceu ereta.

 

“Bolo dos Reis”: tradição gastronômica francesa

Em janeiro, as pâtisseries de Paris se enchem de “galettes des rois” — bolo acompanhado por uma coroa especial. Em 2014, entre 85% e 97% dos franceses diziam comê-lo na festa de Reis (6 de janeiro). As receitas e formas são incontáveis. A criança mais nova à mesa corta a “galette des rois” e distribui um pedaço para cada um dos presentes. Dentro do bolo há uma fava. Quem for contemplado com a fatia que a contiver passa a ser chamado de “rei”, põe na cabeça a coroa que orna o bolo e bebe numa taça especial, enquanto os demais cantam “o rei bebe”. Nos bons tempos, partia-se a “galette” pelo número dos presentes mais um. O pedaço extra era “a parte do Bom Deus”, ou “a parte da Virgem”, ou “a parte do pobre”, e era dado ao primeiro pobre que batesse à porta do lar. O costume comemora a festa da Adoração do Menino Jesus pelos Reis Magos.

 

Visita oficial por um príncipe de três anos...

O príncipe George, de três anos, realizou visita oficial ao Canadá levado pelos pais, os duques de Cambridge, representando a rainha Elisabeth II. George compareceu aos atos de Estado usando calças curtas de veludo, pois o futuro rei deve usá-las com meias até o joelho, para respeitar a etiqueta da Corte. “O uso de calças curtas é uma das marcas de categoria que nós temos na Inglaterra”, explicou William Hanson, entendido em protocolo. O costume remonta ao século XVI e é praticado por todo “aristocrata que se respeite”. George revelou também um instinto natural pelos bons costumes. Quando o primeiro-ministro esquerdista do Canadá, Justin Trudeau, lhe estendeu a mão para um cumprimento vulgar, o principezinho recusou com leve, mas explícito movimento negativo de cabeça, deixando o poderoso anfitrião com a mão estendida no ar...

 

Padre salva tesouro com terço nas mãos

No Iraque, enquanto os maometanos adeptos do ISIS avançavam sobre a cidade cristã de Qaraqosh, o frade dominicano Najeeb Michaeel fugia num caminhão fretado, levando 3.500 manuscritos orientais dos séculos X a XIII. Já nos tempos das invasões bárbaras na Europa a Igreja Católica protegeu e salvou todo o acervo da Antiguidade pagã que chegou até os nossos dias. O religioso declarou: “Foi um ato da Providência. Nunca deixei de rezar meu terço. Em certo momento senti que a Virgem Maria estava presente no carro e no caminhão. [...] Eu tive que fugir do Iraque porque estava numa lista para ser assassinado. Mataram sete religiosos de minha ordem. O ISIS não quer dialogar. Antes de falar, mata. Assassinaram milhares de homens e mulheres, e as meninas foram feitas suas escravas sexuais”.

 

Satânico mercado de órgãos humanos na China

“The New York Post” e a CNN publicaram relatos da “sinistra coleta de órgãos humanos na China” — entre 60 mil e 100 mil por ano, embora o governo comunista assuma “apenas” a cifra de 10 mil! O “New York Post” reconstituiu o processo de um condenado a fornecer órgãos: sequestrado e encerrado numa cela sem acusação nem sentença; torturado para mudar de ideias, é levado a uma sala onde lhe extraem o sangue. “Ninguém vai responder a seus gritos implorando ajuda. Ninguém vai lhe explicar nada. Cirurgiões vão extrair um por um de seus órgãos enquanto você continua vivo. O governo vai dizer que você desapareceu e membros do Partido Comunista ou simplesmente ricos [chineses] e também do exterior, vão se inscrever nos hospitais onde há vasta oferta de rins, fígados e outros órgãos humanos”. Se tais processos desumanos e terríveis são praticados na China vermelha, não podemos esquecer que no Ocidente as clínicas de aborto atuam de modo análogo!

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão