Janeiro de 2017
Santos e festas do mês de janeiro
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Santos e Festas do Mês

1

SANTA MARIA, MÃE DE DEUS

(No Calendário tradicional: Circuncisão de Nosso Senhor Jesus Cristo)

 

2

Santíssimo Nome de Jesus

A devoção ao Santíssimo Nome de Jesus, já arraigada desde o início na Igreja, foi pregada e inculcada de modo particular por São Bernardo, São Bernardino de Siena e pelos franciscanos.

 

3

Santa Bertila de Mareuil, Viúva

+ França, Séc. VIII. De nobre família, dedicava-se com o marido ao socorro de pobres e enfermos. Após a morte do esposo, construiu uma igreja em Mareuil com uma cela ao lado, onde passou a viver em oração e recolhimento.

 

4

Santo Odilon, Abade

+ Cluny, França, 1048. Um dos grandes abades de Cluny, cujo papel foi primordial na Idade Média. A ele se deve a introdução da festa de Finados; e para controlar o espírito extremamente belicoso do tempo, estabeleceu a Trégua de Deus, que proibia atos de hostilidade ou pilhagem de quarta-feira à tarde até segunda-feira de manhã.

 

5

São João Neumann, Confessor

+ Filadélfia, 1860. Natural da Boêmia, foi para os Estados Unidos como missionário dos imigrantes de língua alemã. Nomeado bispo de Filadélfia pelo Papa Pio IX, promoveu a educação católica das crianças, fundou com essa finalidade uma congregação religiosa feminina e levou outras da Europa.

 

6

(No calendário tradicional)

EPIFANIA DO SENHOR, OU SANTOS REIS

Epifania significa “manifestação”. Com a adoração dos Magos, Nosso Senhor se manifestou não só aos judeus, mas a todos os povos.

Primeira Sexta-feira do mês.

 

7

São Canuto Lavard, mártir

+ Dinamarca, 1131. Filho do rei da Dinamarca, seus compatriotas o chamavam de Lavard (ou o Senhor). Foi duque da Jutlândia, favoreceu a atividade missionária de São Vicelino e recebeu do imperador do Sacro Império Romano Alemão o título de rei. Isso provocou a ira do soberano da Dinamarca e Canuto acabou sendo assassinado pelos próprios primos.

Primeiro Sábado do mês.

 

8

Festa da Sagrada Família

(Domingo depois da Epifania)

 

9

Santo André Corsini, Confessor

+ Fiésole, 1373. De uma das mais ilustres famílias de Florença, fez-se religioso carmelita depois de vida mundana, expiando suas leviandades mediante grandes penitências.

 

10

São Guilherme de Bourges, Bispo e Confessor

+ 1209. Grande amante da solidão, ingressou na Ordem de Cister. Em nome da obediência, foi levado depois para ocupar a Sé arquiepiscopal de Bourges, no centro da França.

 

11

São Teodósio o Cenobita, Confessor

+ Palestina, 529. Retirando-se para um deserto perto de Belém a fim de viver em recolhimento, sua fama de santidade lhe atraiu inúmeros discípulos. Construiu três hospitais. Com São Sabas, lutou valorosamente contra a heresia monofisista, sendo por isso desterrado pelo imperador bizantino.

 

12

Santo Antônio Maria Pucci, Confessor

+ Viareggio, Itália, 1892. Da Congregação dos Servos de Maria, santificou-se como pároco de um porto pesqueiro e de veraneio. Dedicou-se de corpo e alma à conversão dos infiéis e pecadores, à instrução infantil, bem como ao cuidado dos doentes, anciãos e pobres.

 

13

BATISMO DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO

O objeto desta festa é o Batismo de Nosso Senhor por São João Batista e, secundariamente, o nosso nascimento espiritual para a vida da graça.

 

14

São Sabas, Bispo e Confessor

+ Bulgária, 1237. Filho de Estêvão I, fundador da dinastia e do Estado independente da Sérvia, retirou-se aos 17 anos para um mosteiro do Monte Athos. Seu pai o seguiu depois de abdicar ao trono. Juntos fundaram um mosteiro para os sérvios.

 

15

São Paulo Eremita, Confessor

+ Egito, 342. O primeiro e mais famoso dos eremitas, ele ficou órfão aos 14 anos. Aos 20, durante a perseguição do imperador romano pagão Décio, fugiu para uma gruta no deserto. Milagrosamente, um corvo lhe levava um pão a cada dia.

 

16

São Bernardo e companheiros, Mártires

+ Marrocos, 1302. Enviados por São Francisco de Assis para converter os mouros de Sevilha que haviam sido expulsos dessa cidade, São Bernardo e quatro outros religiosos franciscanos se dirigiram ao Marrocos como capelães de mercenários cristãos do exército marroquino. Como falavam ao povo e se recusavam a cessar as pregações, o sultão decepou suas cabeças com a própria cimitarra.

 

17

São Sabino Bispo, Confessor

+ Piacenza, 420. Amigo de Santo Ambrósio, participou de vários concílios. Foi enviado pelo Papa São Dâmaso ao Oriente por ocasião dos distúrbios provocados pelos hereges arianos em Antioquia.

 

18

São Leobardo Recluso, Confessor

+ França, 593. Após consagrar-se aos estudos, passou seus bens para o irmão e foi viver na contemplação perto de Tours, sob a direção de São Gregório, bispo dessa cidade.

 

19

São Canuto Rei, Confessor

+ Dinamarca, 1086. Filho ilegítimo do Rei Sweyn da Dinamarca, sobrinho de seu homônimo que conquistou a Inglaterra, subiu ao trono após a morte de seu irmão. Vítima de uma rebelião, Canuto fugiu para a ilha de Funem, onde se preparou para a morte. Foi assassinado pelos rebeldes enquanto orava aos pés do altar.

 

20

São Sebastião, Mártir

+ Roma, 288. Centurião da guarda pretoriana do imperador romano pagão Diocleciano, sustentava com zelo apostólico os confessores da fé e os mártires. Denunciado, foi trespassado com flechas; curado milagrosamente, açoitaram-no até a morte. Tornou-se um dos santos mais populares em toda a Igreja.

 

21

Beato João Batista Turpin de Cormier e companheiros, Mártires

+ França, 1794. Pároco de Laval, com constância e valor encorajou outros 13 sacerdotes a não prestarem o cismático juramento constitucional imposto pela Revolução Francesa. Intimados novamente a fazê-lo, todos os 13 se recusaram, sendo condenados à guilhotina pelo tribunal revolucionário.

 

22

São Vicente Pallotti, Confessor

+ Roma, 1850. Doutor em Teologia, famoso confessor e exorcista, seu programa consistiu em levar os católicos a participar intensamente do trabalho apostólico. Para isso fundou a Sociedade do Apostolado Católico.

 

23

Santo Ildefonso, Bispo e Confessor

(Vide p. 42)

 

24

São Francisco de Sales, Bispo, Confessor e Doutor da Igreja

+ Annecy, 1622. Bispo de Genebra, animado de profundo amor de Deus e das almas, dotado de bondade e suavidade excepcionais no trato, sólida cultura e ortodoxia, fundador e diretor de incontáveis almas, que guiou com passo firme no caminho da perfeição.

25

Conversão de São Paulo Apóstolo

Após cair do cavalo e converter-se, o perseguidor dos cristãos se tornou Apóstolo. Instruí­do pelo próprio Cristo Jesus, foi um dos mais ardorosos proclamadores do cristianismo.

 

26

Santa Paula, Viúva

+ Palestina, 404. Matrona romana da mais alta aristocracia, edificava Roma pela virtude. Tendo falecido seu esposo, foi convencida por Santa Marcela, também viúva, a entregar-se totalmente a Deus sob a direção de São Jerônimo.

 

27

São Vitaliano, Papa e Confessor

+ Roma, 672. Sucessor de Eugênio I no sólio pontifício, enviou outros dois santos à Inglaterra: São Teodoro de Tarso para a Sé de Cantuária, e Santo Adriano como abade de Santo Agostinho.

 

28

Santo Tomás de Aquino, Confessor e Doutor da Igreja

+ Fossa Nuova, 1274. O maior teólogo da Igreja foi confiado aos cinco anos aos monges beneditinos de Monte Cassino, entrando depois para a Ordem Dominicana, da qual é, com o fundador São Domingos, a maior glória. Com razão foi cognominado Doutor Angélico, por sua pureza de vida e elevação de doutrina, que transcende a pura inteligência humana.

 

29

São Sulpício Severo, Bispo e Confessor

+ França, 591. São Gregório de Tours se refere a ele com muito respeito, elogiando suas virtudes. Foi nomeado para a Sé de Bourges em lugar de candidatos simoníacos.

 

30

Santa Batilde, Viúva

+ França, 680. Inglesa de nascimento, foi levada para a França. Ali o rei Clóvis II, encantado pela sua virtude e prudência, desposou-a. Mãe de três reis –– Clotário III, Childerico II e Thierry III –– ela se tornou regente após a morte do esposo, governando o reino com rara habilidade.

 

31

São João Bosco, Confessor

+ Turim, 1888. Exerceu enorme influência no campo religioso e social, tendo fundado a Sociedade Salesiana e o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora. “O êxito dessa obra só pode explicar-se pela vida sobrenatural e santidade de seu fundador”, afirmou São Pio X.

 

*       *       *

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão