HOME
Ação Contra-Revolucionária

Não à censura exercida
contra a moral cristã!”

Com esse expressivo título, o boletim de abril da associação francesa Avenir de la Culture (Futuro da Cultura) convoca seus milhares de aderentes a uma mobilização geral

  • W.Gabriel da Silva

Para denunciar o projeto de lei do governo Raffarin contra o que chamam de homofobia (aversão aos homossexuais), a associação Avenir de la Culture distribuiu largamente o cartão que ilustra esta página.

Avenir defende que uma lei punindo qualquer “discriminação em nome da orientação sexual” coloca fora da lei a moral cristã. Com efeito, sem falar nas condenações bíblicas, o Catecismo da Igreja Católica considera que “os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados. Eles são contrários à lei natural e não podem ser aprovados em nenhum caso” (nº 2357).

Esse projeto, se aprovado, tornará legítima perante o Estado a união de homossexuais e colocará fora da lei todo católico fiel à Lei divina. Quem confessar publicamente o que afirmam a Bíblia e a doutrina católica a respeito, estará sujeito à acusação de homofobia. Bastará, por exemplo, que os pais de família se queixem junto a um estabelecimento de ensino por colocarem um professor ou professora que ostenta a condição de homossexual, para incorrerem nos rigores da lei.

Além disso, a expressão orientação sexual abre as portas a todas as perversões, como a pedofilia, o incesto e o sadismo.

*     *     *

A TFP francesa aderiu à campanha de Avenir de la Culture. O cartão distribuído por ambas associações foi enviado por seus aderentes ao gabinete do primeiro-ministro e do ministro da Justiça. Este último declarou recentemente que o “casamento” entre homossexuais “é contrário à lei” (“Le Figaro”, 28-4-04, pp. 1 e 6).

1 | 2 | 3 | 4 Continua
-->