Recomeçaram as crucifixões
Destaque

Vodka como Bússola?

Yeltsin não esconde mais que abusa de vodka, ao se apresentar com voz pastosa e com dificuldade para cami­nhar, diante de 300 jornalistas russos e estrangeiros que assistiram recente reunião de cúpula da Comunidade de Estados Independentes (CEI), realiza­da em Alma-Ata, capital do Casaquis­tão.

A bebedeira do mandatario do Krem­lin, além do vexame tem causado apreensão em diplomatas e governos ocidentais que até agora vinham dan­do franco apoio ao presidente da Fe­deração Russa.

Combustão humana espontânea

Pelo fenômeno CHE (Combustão Hu­mana Espontânea), pessoas incen­deiam-se como palitos de fósforos. Jenny Randles e Peter Hough em seu livro Combustão humana espontânea: estudo definitivo com fotos, compilam 111 casos registrados até agora. E Larry Arnold, especialista norte-americano em CHE, declarou que os casos arqui­vados em seu computador já somam mais de 300 ...

O enigmático fenômeno em geral ocorre da seguinte forma: a pessoa, sem nenhum motivo natural, se incen­deia numa estranha chama azul, que reduz o corpo a cinzas. O ''Jornal do Brasil", noticiando este assunto, acres­centa uma frase muito significativa:  "Com o milênio chegando ao fim, isto tudo pode piorar consideravelmente, como um sinal dos tempos" ...

Incra apavora proprietários rurais

Setenta e cinco por cento das peque­nas, médias e grandes propriedades rurais de Umuarama (PR) estão sendo consideradas improdutivas pelo IN­CRA. Desta forma, esses imóveis podem vir a ser desapropriados, o que está causando verdadeiro pânico entre os proprietários. Razão tinha a TFP quando em 1992 realizou uma grande campanha nacional contra projeto de Reforma Agraria (já transformado em lei sob número 8629/93) alertando que aquele projeto permitia ao INCRA con­siderar como" improdutivos" qualquer propriedade rural.

Queijos e bananas

Dois anos depois da tentativa de proi­bir a venda dos queijos Camembert e Roquefort por excesso de bactérias, os burocratas da União Europeia comete­ram novo disparate. Decretaram que desde 1995, somente serão comercia­lizadas nos paises membros as bana­nas que tiveram no mínimo 14 cm. de comprimento por 2,7 cm. de diâmetro. Entretanto isso não se aplica às bana­nas verdes mas às maduras ...

 

 

Recomeçaram as crucifixões

Com a disseminação de um estado de espírito falsamente otimista e prazen teiro dentro da Igreja Católica, levado a cabo pelo "progressismo", a luta pela verdade e pelo bem foi tida como inçomoda e acabou sendo posta de lado em muitos círculos católicos. Com isso, o campo sagrado da Igreja ficou preparado para que nele se plantasse um certo tipo de ecume nismo, pronto a todas as conces sões para não ter que defender a Fé.

O otimismo chegou a um tal ponto de radicalidade, em certos espíritos, que muitos acreditaram extinto o ódio do Inferno contra a Religiao Católica. A era das perse guições religiosas dir-se-ia ultra passada.

  Os fatos vêm desmentindo dolorosamente essas vãs esperanças. A perseguição brutal que se faz contra os cristãos em países muçulmanos já tem sido noticiada diversas vezes por nossa revista. Agora, o ódio mostra toda sua - virulência: recomeçaram as crucifixões de católicos.

  Informa a revista Mensagem de Fátima, setembro/94: "Abdulahi Yosif e Mu hammed Medani, dois homens do Su dão, recentemente convertidos à Igreja Católica, viviam entre maometanos na aldeia de Nafi".

"No dia 14 de julho de 1994 foram presos. Em castigo de terem deixado a sua religião, receberam 80 vergastadas, como manda a lei mulçumana. Na prisão foram espancados, maltratados e ameaçados de que, se não renegavam a Cristo, seriam condenados à morte.

''Assim aconteceu no passado dia 10 de agosto, em que foram pregados na Cruz. Morreram como seu Mestre Jesus, no mais humilhante e doloroso sofrimento. Além destes, muitos outros cristãos têm sido perseguidos e assassinados".

Informa o The Washington Times, 6 de dezembro de 1994: "Um Bispo Católico do Sul do Sudão disse que quatro cristãos árabes foram açoitados e crucificados pelas forças de segurança, por se recusarem à se perverter ao Islã".

"Em julho e agosto passados, quatro catequistas na Arábia foram açoitados e depois crucificados por se  recusarem a perverter-se ao Islã, uma fé que abandonaram há 20 anos, disse o Bispo Mazzolari na entrevista".

* * *

Nossos irmãos na fé estão sendo crucificados. E nós, continuaremos a nos abanar, sem sequer pensar neles? Sem levantar ao Céu uma prece pela perseverança deles na fé? Sem ao menos externar, de todas as formas que nos for possível, e em todos os ambientes que freqüentamos, nosso protesto veemente por tão feroz e diabólica perseguição?