Cântico de Moisés
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Historia Sagrada

História Sagrada em seu lar (53)
noções básicas

Cântico de Moisés

Aproximando-se o dia em que o profeta Moisés deveria morrer, o Se­nhor disse-lhe: Escrevei um "cântico e ensina i-o aos filhos de Israel, par~ que eles o saibam de cor, e o cantem, e este cântico Me sirva de testemu­nho entre os filhos de Israel" (Deut. 31, 19).

Sublime e profético - "O cântico de Moisés é uma das páginas mais ­belas da Sagrada' Escritura. Mesmo sob o ponto de vista literário, não se encontra composição comparável em qual­quer literatura huma­na" (1).

"Verdadeiro 'canto de cisne' .... é uma das mais sublimes poesias do Antigo Testamento. Além disso, é animado de um sopro profético .... Moisés, por anteci­pação, contempla os hebreus instalados na Terra prometida, des­cobre e expõe sua ne­gra ingratidão e, ao mesmo tempo, os cas­tigos que essa lhes atrairá: toda sua histó­ria passada e futura é resumida nestas pou­cas páginas" (2).

Eis alguns trechos desse magnífico cânti­co; que se encontra no livro do Deuteronô­mio, 32, 1 a 44: "Povo louco e insensato ­Ouvi, ó céus, o que eu vou dizer, ouça a terra as palavras da minha boca.

"As obras de Deus são perfeitas, e todos os seus caminhos são justos. Pecaram contra Ele os israelitas, os não seus filhos (3), com suas imun­dícies: geração depravada e perver­sa. E este o agradecimento que dás ao Senhor, povo louco e insensato?

Fogo, feras, espada, terror - [O povo] "amado abandonou a Deus seu criador. Sacrificaram aos demô­nios e não a Deus. O Senhor viu isto, e acendeu-se em ira. E disse:

"Um fogo se acendeu no meu furor e devorará a terra e abrasará os fundamentos das montanhas.

"Eu acumularei os males sobre eles, e empregarei contra eles todas as minhas setas. Serão consumidos pela fome, e as aves os devorarão com as suas mais cruéis mordeduras; mandarei contra eles os dentes das feras, com o furor dos répteis que se revolvem e se arrastam sobre a terra.

"Por fora os devastará a espada, e por dentro o terror. Perecerá o jovem a virgem, a criança e o homem feito.

"Embriagarei de sangue as mi­nhas setas" "A mim pertence a vingança, e Eu lhes darei a paga a seu tempo.

"Se Eu afiar como o raio a minha espada, e a minha mão a tomar a justiça, Eu me vingarei dos meus inimigos. Embriagarei de sangue as minhas setas, e a espada devorará a carne dos inimigos.

"Louvai, ó gentes, o seu povo, porque ele vingará o sangue dos seus servos, e tomará vingança dos seus inimigos"

Bênção profética de Moisés ­"Foi, pois, Moisés, e proferiu todas as palavras deste cântico a seu servo, e com ele estava Josué". Como um pai prestes a deixar seus filhos, Moi­sés abençoou as tribos de Israel, dirigindo-Ihes palavras proféticas. E terminou, dizendo: "Não há outro Deus, como o Deus do povo retíssi­mo. Ele expulsará da tua presença o inimigo, e dirá: Sê reduzido a pó.

"Bem-aventurado sejas tu, ó Is­rael. Quem é semelhante a ti, que tens a tua salvação no Senhor? Ele é o escudo do teu so­corro, e a espada da tua glória. Teus inimi­gos virão bajular-te mas, então, tu lhes pi­sarás no dorso" (Deut. 33,26 a 29).

 

NOTAS:

 I. Padre Matos Soares, Bíblia Sagrada, Edições Paulinas, São Paulo, 6" ed., 1953, p. 229.

2. Padre Luís Cláudio Fillion, La Sainte Bible commentée d'apres Ia Vulgate et les textes oTlgmaux, Librairie Letouzey et Ané, Paris, 1925, 7" ed., tomo I, p. 657.

3. Explica o Pe. Matos Soares: "Os não seus filhos. Os israelitas não mereciam o nome de filhos de Deus, a quem tanto ultrajaram" (op. cit. p.229).

 

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão