Relatório Extra "Grandezas e misérias marcam Medicina no Brasil"
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Escrevem os Leitores

Relatório Extra "Grandezas e misérias marcam Medicina no Brasil"

Aí está um bom começo. Esse relatório tem que ser enviado aos Governadores, Prefeitos, diretores de hospitais, médicos, enfermeiras, homens da área. As indústrias precisam colaborar em todos os sentidos.

Rubens Gomes da Silva - Suzano - SP

A atomização dos indivíduos na sociedade decorrente do ideário jacobino, proporcionou uma ética estatizante a qual impediu que as comunidades resolvessem seus próprios problemas, bem como eliminou o espírito emulativo entre as pessoas, as quais ficam aguardando as benesses e o paternalismo estatal, o que acarretou o presente estado de anarquia nos serviços que a comunidade deveria prestar a ela mesma. Urge, portanto, que retomemos ao enfoque familiar de administração pública, para que possamos resolver o atual caos existente, não somente na saúde mas também em outras áreas sob o controle do Estado.

Mario Prandini Junior - São Paulo - SP

O relatório representa um esforço válido no sentido de corrigir ou atenuar as irracionalidades impostas à Nação pelo intervencionismo estatal. O Estado deve aplicar-se com a máxima eficiência nas atividades essenciais, com o mínimo de interferência nos empreendimentos privados e o devido respeito à liberdade individual.

José da Silva Chagas - Jacareí - SP

É uma calamidade pública. Precisei do INAMPS para uma radiografia. A consulta seria de graça. Radiografia, só se pagasse. Este ano precisei de uma cirurgia, mas o SUS não estava internando, a não ser em caso de morte. Pago até hoje a prestação de minha cirurgia, feita em hospital particular. De que me valeu pagar INSS?

Maria Martha Reis - Varginha - MG

Como não sou da área da saúde, parece-me um grande quebra-cabeça muito bem embrulhado. Talvez um começo seja olhar para o surgimento dos hospitais na Idade Média, cuja base foi a misericórdia e o respeito à dignidade humana.

Nelson da Silva Fonseca Junior - Piracicaba - SP

O Dr. Lara Duca fala sobre o fundo de saúde pessoal. Uma brilhante idéia. Fico imaginando o esforço dos colegas para produzir esse belo trabalho nessas quatro folhas. Gostaria que todos os médicos do País pudessem receber essa obra. Estou disposto a contribuir para reprodução e distribuição em todos os hospitais.

Elimar Máximo Damasceno - Magé - RJ

No dia a dia que passa estamos caminhando para o caos em matéria de saúde. Inclusive no SUS os pacientes são examinados visualmente, e muitas vezes toma-se medicamentos que nada se referem à doença.

Luiz Carlos Santos - Telêmaco Borba - PR

Parece-me que não só no plano de saúde o Brasil está falido, mas também em qualquer área onde o sistema estatal intervém. Com a mentalidade de nossos "representantes" (só representam os seus próprios interesses) cada dia fica pior a situação do País. É necessária uma grande campanha de moralização. Na minha opinião a privatização seria a solução.

Eunice Rodrigues Cáspar - Belo Horizonte - MG

Gostei muito do encarte com apreciações sobre a saúde e artigo sobre a Santa Casa de Misericórdia de São Paulo. É um encarte precioso para os leitores de CATOLICISMO, bem como para os estudantes e pesquisadores. Enviei o encarte para o Provedor da Santa Casa local.

Wilson José Caritá - Limeira - SP

Sobre a saúde pública no Brasil, parece-me que o SUS funciona muito bem no papel. Porque na realidade não funciona. No meu município, antes do SUS, tínhamos várias opções para uma consulta: Sindicato Rural, Sindicato Patronal, Posto de Saúde, Santa Casa. Hoje, para conseguir temos que ir para fila quatro horas da manhã. Às vezes dormimos na fila. Foi ótimo, nós fomos esclarecidos de verdade. Quero agradecer o diretor Paulo Brito e a todos os jornalistas responsáveis por essa matéria.

Maria de Fátima Peralba Oliveira - Guaçuí - ES

Por 19 anos minha empresa representou o INPS em Mirandópolis. Assistimos ao grande genocídio perpetrado pelo carrasco governamental. E tudo devemos a duas grandes desgraças:

1- políticos comunistas (e a estes juntados grande porção de demagogos) que pregavam a igualdade sem nunca terem entendido sobre relação ou proporção, e que conseguiram socializar a saúde (no papel) quando o País dava o grande arranque para o progresso;

2- todos os políticos encamparam o mando do sistema:

a) dando respaldo aos governantes em troca de manipulação de verbas;

b) dando essas verbas em troca de votos;

c) a submissão política dos próprios atendentes de todos os meios de distribuição de saúde, que para o atendimento ao solicitante prioriza a sigla do partido;

d) falta de amor e de solidariedade que aí alcança tanto o atendente como o solicitante, aliás o que graça nessa sociedade moderna, qual um castigo dos céus.

Emilio Colnago - Mirandópolis - SP

Está excelente do ponto de vista da diagramação, conteúdo, fotos e opiniões dos destacados profissionais. Ficaria encantada de conhecer a origem das Santas Casas de Misericórdia.

Delia Maria Gondra - Buenos Aires - Argentina

Ainda o Direito Alternativo

Recebi a revista CATOLICISMO, onde encontrei importante artigo de sua responsabilidade.

Devo-lhe confessar que sempre pensei em escrever sobre o tema do Direito Alternativo, e minha opinião vai ao encontro de seu estudo manifestado.

Marino Mendes - Varginha - MG

Santo Sudário

Aproveito a oportunidade para sugerir-lhes: por que a TFP não edita em um único fascículo toda a história do Santo Sudário, desde seus primórdios, suas tradições, itinerários, custódias, acidentes, incidentes, descobertas, exames, ensaios e perícias por que passou a santa relíquia? Já imaginaram a repercussão de tal obra em nossos tempos de materialismo e imoralidade?

José Roberto Homsi - São José do Rio Preto - SP

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão