Belezas escondidas, Histórias silenciadas...
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Ambientes, Costumes e Civilizações

Belezas escondidas, Histórias silenciadas...

 

Catolicismo, desde seus primórdios, sempre procurou realçar virtudes e verdades que, de modo especial, se opõem a vícios e erros de nossa época. Daí as seções Virtudes esquecidas, e, posteriormente, Verdades esquecidas que nossa revista há anos e com tanto proveito espiritual, vem oferecendo a seus leitores.

Mas também em outros campos é necessário apontar valores escondidos e quebrar silêncios induzidos. Por exemplo. no campo da arte - mais próprio às matérias desta seção - e na esfera da Historia.

Desta maneira, pode-se dizer que as obras geniais do Aleijadinho eram insuficientemente conhecidas pela maioria dos brasileiros até algumas décadas atrás. E foram estrangeiros, como Gemlain Bazin, ex-conservador do Museu do Louvre, em Paris, que as valorizaram devidamente, tomando-as universalmente divulgadas e admiradas.

E no âmbito da História ... quantos "silêncios"!

Quais os leitores que já conheciam a graciosa capela aqui reproduzida. verdadeira jóia do barroco brasileiro? Como pedra preciosa, ela está incrustada no Convento de Macaúbas, que dista cerca de 50 quilômetros de Belo Horizonte.

Por que esse mais que bicentenário Convento não é mais focalizado, já não dizemos pela mídia, mas por publicações católicas e livros artísticos especializados?

Se adentrarmos na área da história religiosa nacional, há um feito que mereceria ser registrado com destaque: o das três irmãs da família Costa que de sua cidade natal de Penedo, Alagoas, estabeleceram-se no sítio de Macaúbas, perto do rio das Velhas. Iniciaram ali "vida religiosa" já em 1710.

Em 1743, concluída a construção do atual convento. para ali se transferiu o Recolhimento feminino que havia sido fundado em 1716, cujas religiosas portavam hábito franciscano. As irmãs Costa e algumas primas constituíram o núcleo inicial desse Recolhimento, que historicamente foi a primeira comunidade religiosa feminina estabelecida em Minas Gerais. Em 1926, foi ela incorporada à Ordem da Imaculada Conceição, isto é, das religiosas contemplativas concepcionistas, fundada no séc. XV por Santa Beatriz da Silva

Em virtude da devoção àquele dogma mariano, pode-se admirar no teto da capela de Macaúbas expressiva pintura da Imaculada E no altar-mor, artística imagem de Nossa Senhora da Conceição.

No altar lateral da direita, há uma imagem de Nossa Senhora Menina, de pé junto à Sua mãe, Santana, sentada em posição majestosa e maternal. A esquerda, ornamentais janelas gradeadas da clausura evocam a sublimidade da vida contemplativa.

Não valeu a pena, caro leitor, exumar essas riquezas da arte brasileira e de nossa história religiosa?

Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão