Maio de 2009
Demarcação das reservas indígenas Raposa/Serra do Sol: Fronteiras vulneráveis
Correspondência

Respeito pela Semana Santa


Mostrei a meus pais a reportagem sobre a Semana Santa em Sevilha, pois eles visitaram aquela cidade exatamente na Semana Santa de 2001. Eles ficaram comentando cada foto. Como tinham assistido ao vivo os desfiles, ficaram relembrando também como eles eram feitos em Barbacena. Evidentemente, de modo mais modesto, mas também bonitos e com muita devoção religiosa. As pessoas tinham muito respeito pelos dias santos, não comiam carne, ninguém fazia barulho, nem os motoristas buzinavam, etc. Meus pais gostaram tanto, que me prometeram uma viagem à Espanha no tempo da Semana Santa. Se Deus quiser, no ano que vem poderei viajar. Levarei a revista, para reler no próprio local e não perder nenhum desfile dos andores.

(E.S.I.A. — MG)

Não leia...

Folheando Catolicismo, detive-me com as maravilhosas fotos das procissões de semana santa na Espanha. Mas quando vi o título “NÃO LEIA ESTA PARTE”, fui direto ler esse texto. Achei muito bonito e comovente o depoimento pessoal.

(O.I.V. — RJ)

Posição face à Paixão

A leitura de meditação para a Semana Santa auxiliou-me muito para bem focalizar minha posição, como a de todos os cristãos, face à paixão de Cristo como vivenciamos hoje em dia. Como dizem muito bem, a paixão de Cristo se repete em nosso tempo. Malgrado meu atraso, desejo aos amigos da equipe da revista Catolicismo uma Feliz Páscoa em união com as alegrias da Ressurreição de Jesus Cristo.

(M.V.C. — SP)

Brilhante aula

No último fim de semana, dediquei-me a uma leitura atenta da revista de abril, especialmente do artigo sobre o livro Revolução e Contra-Revolução. Livro escrito por Plinio Corrêa de Oliveira há 50 anos, mas de uma atualidade que me impressionou. Essa leitura foi para mim uma verdadeira e brilhante aula sobre a crise do mundo, da Igreja e dos valores morais. Passei a entender que sem uma reforma moral de grande intensidade não há solução possível para nossa sociedade.

Tenho no computador de meu filho o texto digitalizado do livro, que copiei do site que tem o nome do ilustre professor Plinio, mas vou adquirir o próprio livro para tê-lo em minha pequena biblioteca.

(S.G.H. — ES)

O Santo Condestável

Que bom que nós portugueses teremos mais um santo para nossa devoção. Mas de devoção para os brasileiros também, não é verdade? Nuno Álvares Pereira, na constelação dos santos, não é uma estrela qualquer, é de primeira grandeza. Com a canonização que acontecerá no final deste mês [abril], poderemos rezar mais diretamente para ele, e certamente Deus lhe dará mais faculdades para nos atender.

(R.M.E.P.S. — PA)

Fronteiras vulneráveis

O ministro Marco Aurélio de Mello merece nossas felicitações por ter sozinho contraditado todos seus colegas no STF, que, de uma maneira irresponsável, entregaram todas as terras da Raposa Serra do Sol à sorte de aventureiros. Ele foi o único que não cedeu às pressões de traidores de nossa Pátria que forçaram a votação no Supremo. Esses traidores deixaram parte de nossas fronteiras com a Venezuela vulneráveis a interesses estrangeiros. Além de prejudicarem o estado de Roraima, prejudicam o Brasil inteiro quanto à produção de alimentos, principalmente de arroz. O governo PT prometeu indenizar os arrozeiros. Alguns acreditam, a maioria não. Eu também não acredito. Tenho quase certeza de que, se houver indenização, será uma miséria que os produtores de arroz receberão daqui a muitos anos; e mesmo assim, se muito batalharem com processos em cima do governo federal.

(J.W.J. — AC)

Igreja e Funai

Com a homologação das terras indígenas Raposa/Serra do Sol (RR), não se alcança a paz naquela região. Pelo contrário, agora é que a guerra vai se espalhar. Aquilo lá vai pegar fogo entre índios, brancos e negros. Será que a Igreja e a Funai não sabiam disso? Impossível não perceber que a guerra se espalharia. De modo que fica girando em minha cabeça que a Igreja e a Funai não desejam a paz entre as raças, mas a guerra entre elas. Com isso quem tira proveito é a ala esquerdista do governo.

(A.L.D. — BA)

Lastimável argumentação

É lastimável ver que uma revista que prega o cristianismo defende tantas posições contrárias ao Reino de Deus. No caso da reserva indígena Raposa Serra do Sol, ninguém está fazendo favor àqueles índios, visto que, quando da chegada do sacro império português às nossas terras, 6 milhões de índios já viviam aqui, e não brancos. Triste é ver que teremos que continuar a pedir desculpas, como o Papa João Paulo II, pelas nossas desastradas e terríveis ações contra os indígenas da América do Sul. Deus tenha piedade de nós!

(A.P.F. — MG)

Nota da Redação

Prezado Alisson,

Nós queremos muito bem aos nossos irmãos indígenas, e por isso desejamos que sejam evangelizados, como era o trabalho de grandes e santos missionários como o Beato Anchieta e Nóbrega. Não desejamos que os índios sejam prejudicados, por isso não desejamos que eles fiquem segregados em reservas e entregues aos costumes pagãos de seus ancestrais, como infanticídio, antropofagia e outras selvagerias. No caso concreto da Raposa Serra do Sol, o missivista sabia que a maioria dos índios ali presentes é contrária à expulsão dos brancos? E que é uma minoria de índios, fomentada pelo Cimi e pela Funai (influenciada pelo PT), que deseja o contrário? O problema não é o índio. O problema é uma corrente esquerdista de brancos — saudosa da União Soviética — que quer promover um comunismo tribal, ajudada por ONGs internacionais de esquerda. Os neomissionários que surgiram nos meios católicos –– aos quais se aplica a denúncia feita pelo Papa Paulo VI, de uma “autodemolição” na Igreja –– esses é que buscam impor sua ideologia comunomissionária. Não sabemos se por ignorância ou por participação, mas o fato é que as posições ideológicas que transparecem em sua carta são as mesmas do Cimi e do PT. Nada têm a ver com o bem dos índios.

Mons. José Luiz Villac

A primeira coisa que leio na revista é a “Palavra do Sacerdote”, do querido Monsenhor, mas fiquei decepcionado porque neste mês a revista não trouxe esta parte. Gostei muito das outras, também muito importantes para nossa boa formação, mas me fizeram falta as respostas contidas na “Palavra do Sacerdote”; e por isso peço aos senhores que retomem a publicação das duas páginas tradicionais do Monsenhor.

(A.C.K. — SP)

Devoção marial e eucarística

No alto de meus 83 anos, alio-me prazerosamente à devoção do benemérito e sempre lembrado mestre Plinio Corrêa de Oliveira à Santíssima e Imaculada Conceição da Virgem Maria, assim como ao Santíssimo Sacramento, visto que a fé na presença eucarística de Jesus entre nós é, sem dúvida, um dos sustentáculos da Religião Católica. Parafraseando São Paulo, diria que se Cristo não permanecesse entre nós — como ele mesmo o afirmara — a Rocha (CEFAS) não conseguiria manter sua integridade, enfrentando as procelas das agressões atéias socialistas-marxistas.

(J.B.F. — SP)

Cardeal Pujats

Parabenizo ao Senhor Cardeal Pujats pela coragem de enfrentar este problema dos homossexuais — como também o dito casamento entre eles — com tal bravura! Este sim é profeta!

(C.P.M. — RS)

“Casamento”

Não posso concordar, sob hipótese alguma, com a legalização de “casamento” entre homossexuais e outros fora da Lei divina. Nossas autoridades têm que combater com rigor esta tentativa de legalização.

(E.G.C. —SC)

Na. Sra. da Cabeça

Achei muito linda a história publicada por essa revista sobre Nossa Senhora da Cabeça. Tenho certeza de que a parte mais importante do nosso corpo é a cabeça. Por isso ficarei devota desta santa tão milagrosa, vou pesquisar mais sobre ela, e gostaria, se possível, de adquirir sua imagem.

(M.A.S.R. — SC)

www.catolicismo.com.br

Há muito tempo venho procurando um site verdadeiramente católico. Graças a Deus o encontrei. Parabéns!

(J.R.G.O. — PA)

Linguagem católica

Gostei muito da revista Catolicismo. É uma revista completa, que fala a linguagem que o católico deve usar. Um abraço a todos.

(J.M.C. — MG)

São José de Cupertino

Em meio às tribulações que enfrentamos nos dias de hoje, deparamos com a biografia de São José de Cupertino, que esta revista nos apresentou como exemplo de desprendimento. Ficamos atordoados. Este santo se foi, mas seu exemplo, sua retidão espiritual, sobrevive durante séculos e traz até os dias materializados de hoje um sopro do divino! Pensar nele, me aproxima de Deus e do maravilhoso. Sinto-me renovada, só de pensar na existência da mais humilde das criaturas de que tenho conhecimento. Ele, julgando-se nada, nos legou absolutamente tudo!

(S.E.O. — CE)

Guadalupe

Visitei o site www.catolicismo.com.br, onde li o artigo sobre Nossa Senhora de Guadalupe, o qual eu havia comentado com amigos no domingo passado, pois achei que poderia lhes interessar.

(L.P.S. — RJ)