Maio de 2009
Devoção à Santíssima Virgem Maria
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão
Capa

Devoção à Santíssima Virgem Maria

Caminho seguro para se chegar a Deus e sinal inequívoco de salvação

 


Neste mês de maio — o mês mariano por excelência — Catolicismo dedica sua matéria de capa a Nossa Senhora, Medianeira de todas as graças. Nossos leitores serão favorecidos com um texto realmente excepcional. Seu autor é o sacerdote francês Thomas de Saint-Laurent, do século passado, conhecido autor de espiritualidade e grande devoto da Virgem Maria (vide quadro no final do artigo).

Texto eminentemente mariano, escrito com muita unção, que será motivo, estamos seguros, de bênçãos especiais para os que o lerem com devoção, e não apenas para enriquecer sua formação religiosa.

Contemplaremos como Maria, escolhida por Deus para ser sua Mãe perfeitíssima, fora também eleita para ser a perfeita advogada, medianeira e embaixadora dos homens junto ao trono do Onipotente. Veremos que a devoção a Ela é o caminho mais fácil, agradável e seguro para se chegar a Deus, e — como afirmaram muitos santos — “sinal inequívoco de salvação”.

O autor expõe magnificamente como o Criador cumulou Nossa Senhora de excelsas graças e A fez “obra-prima da criação”. E mostra que todos os nossos pedidos e dificuldades devem ser deixados nas suas mãos puríssimas, pois seremos atendidos super-abundantemente se confiarmos inteiramente em sua intercessão junto a Deus.

É claro que o atendimento pode não ser imediato, e que tenhamos de passar por uma árdua espera. Mas isso não é motivo para desanimarmos, pois Deus, desejando a salvação de seus filhos, almeja vê-los unidos à sua Santíssima Mãe também nas vias do sofrimento e da purificação. Tenhamos plena confiança de que, em determinado momento, seremos atendidos além de nossas necessidades e recompensados em grau superior a nossas súplicas.

O texto que segue é composto de excertos do livro La Vierge Marie,(*) traduzido para o português por Hélio Dias Viana, colaborador de Catolicismo. Os intertítulos foram inseridos pela Redação.

A direção de Catolicismo

 



* A obra recebeu aprovação eclesiástica (Nihil obstat) de E. Lucquin, censor designado em Avinhão (França), no dia 15 de fevereiro de 1927. E o Imprimatur, na mesma data, de J. Peyron. Sua versão em português foi publicada pela Artpress Indústria Gráfica e Editora Ltda., São Paulo, SP, 1996.

1 | 2 | 3 | 4 | 5 | 6 Continua
Comente
Leia os comentários
Envie para amigos
Versao para impressão