HOME
Atualidade

Voz de alerta nos Estados Unidos:
perceber e combater o demônio é dever do católico

Dom Donald W. Montrose é, desde 1985, Bispo de Stockton, na Califórnia, tendo sido antes Bispo Auxiliar de Los Angeles. Preocupado com o avanço do satanismo nos Estados Unidos, escreveu uma Carta Pastoral, The occult has demonic influence ["O oculto tem influência satânica"]. Um resumo dela foi publicado na revista Tradition, Family and Property, da TFP norte-americana.

Abaixo, alguns trechos do substancioso resumo desse documento, para que o leitor brasileiro possa conhecer o que pensa o referido Prelado sobre a ação do demônio e as práticas satanistas em nossos dias.

"Por oculto designamos aqui uma influência supra-humana ou preternatural que não vem de Deus. Normalmente associamos o oculto com aquilo que tem influência diabólica. O oculto hoje nos Estados Unidos é mais difundido do que o era há vinte anos atrás. Música satânica popular, aumento da adoração do demônio, uso mais generalizado de horóscopos, estudo dos signos do zodíaco, jogos satânicos que podem ser comprados, tudo isto atesta essa difusão.

O reino de Satanás

"O reino de Satanás é uma mentira que procura imitar o reino de Deus. O demônio oferece uma felicidade falsa e paz. Atrai para um conhecimento e uma sabedoria sinistros. Foi desta forma que tentou Adão e Eva. São Paulo adverte para estarmos alertas: "Alguns homens abandonarão a fé nos últimos tempos. Obedecerão espíritos mentirosos e seguirão o ensinamento dos demônios"(l, Tim 4;1).

Conhecimento proibido e poder proibido

"Quando dizemos conhecimento proibido, com isto simplesmente queremos significar um conhecimento que é obtido fora da influência divina, ou fora da via normal pela qual os seres humanos conhecem. De nosso conhecimento de circunstâncias particulares, podemos conjeturar o que provavelmente acontecerá. Mas procurar conhecimento do futuro ou conhecimento íntimo sobre outra pessoa, fora de Deus, e por meio da ajuda da advinhação ou dos espíritos, é tentar obter um conhecimento proibido.

Astrologia e horóscopos

"Astrologia e horóscopo são usos pagãos. É proibido procurar conhecer o futuro através das cartas, do tarot, das bolas de cristal, pela leitura das mãos, pela interpretação do curso dos astros, examinando vísceras de animais, lançando setas, conchas, pedras ou por qualquer outro meio supersticioso. A leitura diária do horóscopo, mesmo por entretenimento, pode facilmente influenciar no sentido de uma abertura para o oculto.

Amuletos

"O amuleto é uma forma de magia. Crê-se que um objeto tem certo poder para atrair o bem e afastar o mal. Boa parte das jóias usadas no pescoço em nossos dias tem símbolos usados na bruxaria.

Espiritismo e seitas espíritas

"O espiritismo pretende a comunicação com os mortos ou com o mundo dos espíritos por algum processo psíquico ou por meios ocultos. Algumas vezes, o espiritismo vem ligado a curas, bruxarias, adivinhações etc. Os espíritas também acreditam na reincarnação. Todos aqueles que estão envolvidos com o espiritismo devem renunciar a Satanás e às doutrinas espíritas, pedir perdão a Deus, e confessar seus pecados a um sacerdote.

Reincarnação

"A reincarnação é a crença de que a alma, após a morte, entra no corpo de outro ser humano, de um animal, numa planta ou mesmo numa coisa inanimada. Muitas seitas e religiões orientais (a teosofia, entre outras) acreditam na reincarnação. A crença na reincarnação é contrária à Bíblia e a todo ensinamento cristão.

Curas supersticiosas

"Não importa que haja imagens, água benta, crucifixos, orações para Jesus, e Maria ou para os santos. Se há alguma prática supersticiosa trata-se de uma ação má. Algumas vezes curandeiros e benzedeiras precrevem preces "católicas". Nenhuma destas orações pode ser rezada em tais circunstâncias.

Hipnotismo

"Embora hoje em dia o hipnotismo seja usado por médicos respeitáveis, dentistas e terapeutas, foi ligado ao oculto e à superstição. Mesmo quando legítimo, há perigos que devem ser cuidadosamente considerados, pois o hiptonizado entrega por certo tempo sua capacidade de raciocinar, há uma dependência à vontade do hipnotizador, e pode deixar seqüelas desagradáveis. Nunca se deve ser hipnotizado por divertimento.

Música

"Em nossos dias, o rock pesado, tocado por bandas satânicas, apresenta certos problemas adicionais. Esta música muitas vezes glorifica satanás, desperta desejos de cometer suicídio, de usar drogas e de promiscuidade sexual. O inferno é proposto como um fim desejável para a vida. O mal manifesta-se na combinação musical das palavras, no rítmo e no ruído. Discos ou fitas desse tipo não devem ser guardados no lar. Devem ser destruídos, mesmo que tenham custado caro. Não é necessário dizer que rezar ao demônio, adorá-lo, e participar de missas negras estão entre os piores pecados que se podem cometer.

O movimento New Age (Era Nova)

"Na superfície, o movimento New Age parece um movimento da paz. Entretanto, é ocultista, mesmo quando satanás não é mencionado. O "deus" do New Age mão é o Deus do Cristianismo. Trata-se de uma espécie de energia impessoal, que abarca o universo inteiro, uma forma de panteísmo. Não se deixem enganar por sua mensagem sobre ecologia, a beleza do mundo natural, e a fundamental bondade dos objetivos aparentes deste movimento. Não é um poder espiritual que vem de Deus, mas do reino da luz falsa e das trevas.

O reino das trevas

"O reino das trevas oferece uma falsa paz e a felicidade no pecado. Esta falsa paz é oferecida no pecado de embriaguez, no abuso de drogas, na vida sexual fora do matrimônio e na homossexualidade. O grande escândalo de nossos dias é que o pecado tornou-se respeitável em nossa sociedade.

Eliminar o reino das trevas

"Os lares devem ser locais sagrados, limpos. Eliminem de suas casas qualquer coisa que se relacione com bruxaria, espiritismo, curandeiros, médiuns espíritas, seitas ou religiões orientais. Destruam esse material. Queimem toda revista e material pornográficos. Livrem-se de literatura religiosa em desacordo com nossas verdades de Fé. Não permitam que a influência do mal entre através da televisão. Os valores ensinados pela propaganda de TV não são os ensinados por Nosso Senhor Jesus Cristo.

No lar - a presença divina

"Os católicos batizados, mesmo não sendo sacerdotes, têm um poder que não conhecem bem. Podem pedir a Deus que proteja e abençôe suas casas. A consagração das famílias e do lar ao Sagrado Coração de Jesus é um lindo costume. Tenham em casa um Crucifixo e quadros ou imagens do Sagrado Coração e de Nossa Senhora.

Libertando-nos do poder das trevas

"Por sua Paixão, Morte e Ressurreição, Nosso Senhor destruiu o poder do Maligno. A influência do demônio na vida de alguém vem normalmente pelo pecado. Em nossos dias a confissão caiu em desuso. Há um poder neste sacramento para destruir o domínio do Maligno e do pecado que não é possível exercer de outra maneira. A fé na Eucaristia está fraca. Neste sacramento está o poder de Cristo e Ele mesmo ali se encontra. A Confissão e a Eucaristia são armas especiais que Jesus deu à sua Igreja para vencer o reino do pecado e das trevas. Nossa Senhora foi encarregada por Deus para esmagar a cabeça da serpente. O Rosário é um poderoso meio de salvação e proteção.

"Há certa dificuldade de definir o que seja pecado hoje em dia. Temos que defini-lo segundo o Evangelho e o Magistério da Igreja. Não podemos defini-lo segundo o ponto de vista moderno, pois este está contaminado. Há muitas maneiras pelas quais o pecado e o mal têm sido apresentados de uma maneira atraente. Esta Carta Pastoral indicou algumas delas, nas quais raramente se presta atenção. Rezo para que ela possa ser uma fonte de conhecimento e ajuda para aqueles que a leiam".

 

 

João Paulo II:
A doutrina do movimento New Age é contrária à Fé católica.

O movimento New Age está se tornando conhecido no Brasil, mesmo entre os católicos. Catolicismo julga oportuno oferecer a seus leitores uma severa advertência de João Paulo II, feita em maio de 1993 em reunião com Bispos norte-americanos de Iowa, Kansas, Missouri e Nebrasca, que foram à Roma para a visita ad limina, realizada cada cinco anos. Dessa reunião publicamos o texto abaixo.

"Muitos dos que aqui estão escreveram Cartas Pastorais sobre problemas criados por movimentos pseudo-religiosos e seitas, incluindo o assim chamado New Age. As idéias do New Age algumas vezes encontram guarida nos sermões, no catecismo, em reuniões apostólicas, em retiros, e desta forma influenciam mesmo católicos praticantes, que talvez não se tenham dado conta da incompatibilidade dessas doutrinas com a fé da Igreja. Na sua perspectiva sincretista e imanentista, tais movimentos para-religiosos dão pouca atenção à Revelação e, em vez disso, procuram chegar a Deus por meio do conhecimento e da experiência baseados em elementos emprestados da espiritualidade oriental ou de técnicas psicológicas. Eles tendem a relativizar a doutrina religiosa em favor de uma vaga concepção do mundo expressa como um sistema de mitos e símbolos, ataviados em linguagem religiosa. Sobretudo, eles propõem muitas vezes uma concepção panteísta de Deus, a qual é incompatível com a Sagrada Escritura e a Tradição cristã. Substituem a responsabilidade pessoal face a Deus por nossas ações por um senso de dever em relação ao universo, destruindo desta forma o conceito verdadeiro de pecado e a necessidade de redenção por meio de Cristo.

É um triste fato que alguns cristãos hoje estão sucumbindo à tentação de reduzir o Cristianismo a uma simples ciência humana, uma pseudo-ciência de bem-estar. É preciso uma pregação mais vigorosa e uma catequese sobre os temas escatológicos para esclarecer a relação entre a verdadeira natureza da vida cristã e a infalível esperança da Igreja em seu Senhor que é "a ressureição e a vida" (Jo 11,25).

O Catecismo da Igreja Católica oferece um resumo das verdades sobre os novíssimos que Deus nos revelou em Cristo. A singularidade absoluta de cada ser humano e a finalidade da morte, o imediato julgamento da alma após a morte, a oração pelos mortos com necessidade de purificação, precedendo a visão de Deus, e a grave reflexão na existência e eternidade do inferno. Enquanto muitos preferem evitar essas questões últimas e alguns são tentados a pensar na salvação como um direito e como um fim já conseguido, a Igreja deve continuar a lembrar a todos da terrível realidade da liberdade humana, o preço da salvação, e as riquezas da misericórida.

Felizmente há indícios de uma reavaliação séria de atitudes e práticas adotadas nos anos pós-conciliares as quais, no juízo de muitos religiosos e leigos, não trouxeram a renovação pleiteada no Concílio Vaticano II. É um sinal esperançoso que muitos religiosos e comunidades religiosas nos Estados Unidos -- tendo experimentado a esterilidade da auto-preocupação, a confusão sobre o significado dos conselhos religiosos e a falta de senso de união à instituição e ao apostolado -- estão agora abertos para uma reflexão séria sobre as autênticas tradições eclesiais de consagração religiosa.

(cfr. "Obbservatore Romano", 29 de maio de 1993)

-->